Certezas negociadas

Desquite, adultério e teias cotidianas (Belém, 1946-1950)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/2178-3748.2022.1.42886

Palavras-chave:

Belém, Casamento, Família, Adultério

Resumo

O artigo versa sobre relações extraconjugais “concretizadas” por alguns consortes na cidade de Belém entre 1946 e 1950. À vista disso, o plano diretor de “Certezas negociadas” é o de buscar compreender o adultério na qualidade de instituto detentor de força capaz de deixar qualquer casamento desnutrido e impraticável. Assim sendo, por meio da análise de alguns deslocamentos infiéis e do cotidiano a cingir casais unidos pela celebração solene, a reflexão procurou descortinar a força desqualificadora que a infidelidade demonstrava possuir no seio do casamento. Dessa maneira, não raramente, em virtude da ruptura do pensado como moral, como honrado e como decente, a vida conjugal imaginada eterna terminava em ação de desquite litigiosa impetrada nas Varas Cíveis de Família. Face a essas referências, a interpretação se respaldou em cinco processos de desquite contenciosos, em fragmentos do Código Civil de 1916 e em uma matéria do periódico católico A Palavra

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ipojucan Dias Campos, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, PA, Brasil.

Doutor e mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), em São Paulo, SP, Brasil. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade do Estado do Pará (UEPA), em Belém, PA, Brasil, e do Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, PA, Brasil. 

Lediane Araújo Pires Demétrio, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, PA, Brasil.

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, PA, Brasil. 

Referências

BEVILAQUA, Clovis. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1941. v. II.

BRASIL. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1917.

CAMPOS, Ipojucan Dias. Para além da tradição: casamentos, famílias e relações conjugais (Belém, 1916-1940). São Paulo: Fonte Editorial, 2016.

FÁVERI, Marlene de. ‘Não quero ser excomungada nem ser chamada de puta’ – memórias ressentidas de separações conjugais (Brasil). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 27., 2013, Natal, RN. Anais [...]. Natal, RN: UFRN, 2013. v. 1, p. 2.

FILHOS legítimos e ilegítimos. A Palavra, Belém, p. 1, 14 set. 1947.

FONSECA, Claudia. Ser mulher, mãe e pobre. In: PRIORE, Mary Del (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2017.p. 510-553.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: GRAAL, 2012.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 2003.

LEVENHAGEN, Antônio José de Sousa. Do casamento ao divórcio. São Paulo: Atlas, 1981.

OLIVEIRA, Eneocy Maria Correia Soares de. Sedução e abandono de mulheres em Salvador (1890-1920). 2010. 210 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Étnicos e Africanos) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

PARÁ (Estado). Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Auto Civil de desquite litigioso. Registro em: 1947. Autor: Calixto Malaquias Mendes – Ré: Layde Noemia da Silva. Série: Civil, Subsérie: Desquite litigioso, 5ª Vara, Cartório Pepes.

PARÁ (Estado). Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Auto Civil de desquite litigioso. Registro em 1946. Autor: Ernesto Frade Palmeira – Ré: Sara Nazaré de Sousa Palmeira. Série: Civil, Subsérie: Desquite litigioso, 5ª Vara, Cartório Pepes.

PARÁ (Estado). Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Auto Civil de desquite litigioso. Registro em 1949. Autor: Geogenor de Souza Franco – Ré: Amalia Freire de Souza Franco. Série: Civil, Subsérie: Desquite litigioso, 5ª Vara, Cartório Pepes.

PARÁ (Estado). Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Auto Civil de desquite litigioso. Registro em 1947. Autor: Manoel Guimarães Rezende – Ré: Raimunda Guimarães Coelho Rezende. Série: Civil, Subsérie: Desquite litigioso, 5ª Vara, Cartório Pepes.

PARÁ (Estado). Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Auto Civil de desquite litigioso. Registro em 1947. Autor: Severino do Nascimento – Ré: Rosalina Barbosa do Nascimento. Série: Civil, Subsérie: Desquite litigioso, 5ª Vara, Cartório Pepes.

QUEIROGA, Antônio apud ZENI, Bruna Schlindwein. A evolução histórico-legal da filiação no Brasil. Direito em debate, [S. l.], ano XVII, n. 31, p. 61-62, set. 2009.

Downloads

Publicado

2022-10-31

Como Citar

Campos, I. D., & Demétrio, L. A. P. (2022). Certezas negociadas: Desquite, adultério e teias cotidianas (Belém, 1946-1950). Oficina Do Historiador, 15(1), e42886. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2022.1.42886