Das possibilidades e usos da história ambiental, ou uma introdução ao dossiê temático “História e Ambiente”

Palavras-chave: História Ambiental

Resumo

Apresentação do dossiê temático "História e Ambiente" da edição 2020/2 da Oficina do Historiador.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio F. Flores-Coelho, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil. /  Instituto Superior de Educação Ivoti (ISEI), Ivoti, RS, Brasil.

Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; doutorando em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professor auxiliar do Curso de Licenciatura em História do Instituto Superior de Educação Ivoti (ISEI), em Ivoti, RS, Brasil; professor-tutor do Eixo de Humanismo Social da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, RS, Brasil; professor de História do Colégio Sinodal, em São Leopoldo, RS, Brasil.

Paula Tatiane de Azevedo, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil

Mestre em Ensino de História pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IFCH/UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil; doutoranda em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Lucas de Oliveira Klever, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestre e doutorando em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

BUBLITZ, Juliana. O recomeço na mata: notas para uma história ambiental da colonização alemã no Rio Grande do Sul. História Unisinos, São Leopoldo, v. 12, n. 3, p. 207-218, set./dez. 2008. https://doi.org/10.4013/htu.20083.02

CARVALHO, José Murilo. O motivo edênico no imaginário popular brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 13, n. 38, out. 1998. https://doi.org/10.1590/S0102-69091998000300004

CHAKRABARTY, Dipesh. The climate of history: four theses. Critical Inquiry, Chicago, v. 35, n. 2, p. 197-222, inverno de 2009. https://doi.org/10.1086/596640

LE ROY LADURIE, Emmanuel. Présentation. Annales. Économies, Sociétés, Civilisations, 29 année, n. 3, 1974.

https://doi.org/10.1017/S0395264900169409

NASH, Roderick Frazier. Wilderness and the American Mind. New Haven and London: Yale University Press, 2014.

PADUA, José A. Herança romântica e ecologismo contemporâneo – Existe um vínculo histórico? Varia Historia, Belo Horizonte, v. 21, n. 33, 2005. https://doi.org/10.1590/S0104-87752005000100004

RÜCKERT, Fabiano Q. O saneamento e a politização da higiene no Rio Grande do Sul (1828-1930). 276f. 2015. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História. Universidade do Vale do Rio Caí, São Leopoldo, 2015.

Publicado
2020-12-20
Como Citar
Flores-Coelho, C. F., de Azevedo, P. T., & Klever, L. de O. (2020). Das possibilidades e usos da história ambiental, ou uma introdução ao dossiê temático “História e Ambiente”. Oficina Do Historiador, 13(2), e38843. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.2.38843
Seção
Apresentação