Depois do golpe

O nacionalista Ivanilton Costa Santos na mira da repressão – Jacobina, BA

Palavras-chave: Golpe civil-militar de 1964, Ivanilton Costa Santos, IPM

Resumo

O presente artigo traça o cenário pós-golpe civil-militar de 1964, analisando as primeiras ações empreendidas pelos militares do Comando Supremo da Revolução para conter o que eles chamavam de “subversão comunista” no País, especialmente com a implementação da medida autoritária chamado de Ato Institucional n.º 1, em abril de 1964. Buscamos compreender como essas medidas repressivas se consolidaram na prática no estado da Bahia, através das instaurações de Inquéritos Policiais-Militares (IPMs) que objetivavam promover uma devassa na vida de pessoas e de instituições públicas. Por fim, analisamos com maior detalhe e acuidade o baiano, advogado e professor Ivanilton Costa Santos nos autos do IPM n.º 27/64, as suas ideias, a sua relação com a esquerda, em especial o nacionalismo e seu pensamento sobre o País. Portanto, percebemos que as perseguições e o modos operandi militar foi significativo no interior baiano e também em pessoas comuns que, neste caso específico, não tinham qualquer relação com o “comunismo” ou “atos subversivos” sustentados pelos militares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hebert Santos Oliveira, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, BA, Brasil.

Mestre em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em Salvador, BA, Brasil.

Referências

ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). Petrópolis: Vozes, 1984.

BARRETO, Iracema Santos [Correspondência]. Destinatário: Ivanilton Costa Santos. Jacobina, 3 de ago. 1964. 1 carta.

COMO se contra a história da Revolução em Jacobina. A Tarde, Salvador, 15 maio 1964, p. 12.

CZAJKA, Rodrigo. Esses chamados intelectuais de esquerda: o IPM do PCB e o fenômeno do comunismo na produção cultural do pós-golpe. Antíteses, Londrina, v. 8, n. 15, p. 219-242, jan./jun. 2015. https://doi.org/10.5433/1984-3356.2015v8n15p219.

FERREIRA, Jorge. João Goulart: uma biografia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

FERREIRA, Muniz. O Golpe de Estado de 1964 na Bahia. Clio, Recife, v. 22, n. 1, p. 85-101, jan./jun. 2004.

FICO, Carlos. O Golpe de 1964: momentos decisivos. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2014.

FICO, Carlos. História do Tempo Presente, eventos traumáticos e documentos sensíveis: o caso brasileiro. Varia História, Belo Horizonte, v. 28, n. 47, p. 43-59, jan./jun. 2012. https://doi.org/10.1590/S0104-87752012000100003.

INQUÉRITO Policial-Militar nº 27. Salvador: 6ª Região Militar, 1964.

OLIVEIRA, Hebert Santos. Frente Nacionalista e Grupos dos Onze: Nacionalismo de esquerda, política e repressão em Jacobina-BA (1963-1966). Dissertação (Mestrado em História) -- UFBA, Salvador, 2017.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SILVA, Paulo Santos. Âncoras de tradição: luta política, intelectuais e construção do discurso histórico na Bahia, 1930-1949. Salvador: Edufba, 2000.

TAVARES, Luís Henrique Dias. História da Bahia. Salvador: Edunesp, 2001.

THIESEN, Icléia. Documentos “Sensíveis”: produção, retenção, apropriação. TPBCI, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p.1-15, fev. 2013.

Publicado
2021-04-26
Como Citar
Santos Oliveira, H. (2021). Depois do golpe: O nacionalista Ivanilton Costa Santos na mira da repressão – Jacobina, BA. Oficina Do Historiador, 14(1), e37900. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2021.1.37900