Ensaio sobre as posturas municipais na cidade de Goyaz

1831-1855

Palavras-chave: Código de Posturas, Comércio, Higiene.

Resumo

A partir da terceira década do século XIX, autoridades da Província de Goiás (médicos, engenheiros, sanitaristas e políticos), preocupadas com a higiene da cidade, providenciaram decretos, leis e projetos para que fosse resolvida a questão no espaço público. A adoção e a imposição das práticas higiênicas foram analisadas, segundo Moraes (1995), como uma ação dominadora dos grupos no poder. Assim, direcionaram mais atenção para hábitos e costumes, que refletiam na saúde dos populares, contribuindo para a mudança no cenário social e para que epidemias não se dispersassem entre o povo. O objetivo deste artigo é analisar a imposição e a fiscalização de um conjunto de leis responsáveis por regulamentar e disciplinar a postura das pessoas no cotidiano da cidade de Goyaz, na segunda metade do século XIX, em especial, uma resolução com data de 14 novembro de 1856, que atribuía exigências determinando as condições e o manejo para a comercialização de carnes nas ruas públicas da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naelma Mendes Do Nascimento, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Guarulhos, SP, Brasil

Historiadora, graduada em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia, GO, Brasil, e graduanda em Direito pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Uberlândia, MG, Brasil. Pesquisadora, na Universidade Federal de Goiás (UFG), com estudos voltados para História do Brasil e História Regional do Brasil.

Referências

CORBIN, Alain. Saberes e Odores: O olfato e imaginário social nos séculos XVIII e XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

DIAS, Thiago Cancellier; LEMKE, Maria; MORAES, Cristina de Cássia P. Fomos aqui acometidos por três flagelos: a varíola, o morbo e a cólera: um ensaio sobre as epidemias nos Guayazes. Goiânia, 2018. No prelo.

GIODARNO, Carolina Celestino. As ações sanitárias na imperial cidade de São Paulo: Mercados e Matadouros. 2006. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação na aera de arquitetura e Urbanismo do Centro de Educações Ambientais e Tecnologia, PUC. Campinas. 2006. Disponível em: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/42. Acesso em: 25 mar. 2018.

MORAES, Cristina de Cassia Pereira. As estratégias de purificação dos espaços na capital da província de Goiás (1853-1843). 1995. Dissertação (Mestrado) – UFG, Goiânia, 1995.

NOGUEIRA, Luiz Gabriel de Souza; SENA, Divino Marcos de. “Gado para o consumo”: Comércio de carne verde e açougueiros em Corumbá 1870-1888 (Província de Mato Grosso).”Cattle for consumption”: fresh meat trade and butchers in Corumbá 1870-1888 (Mato Grosso Province). Revista territórios & fronteiras. Cuiabá, v. 6, n. 2. p.1 42-165, jul./dez. 2013. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4807287. Acesso em: 15 jan. 2018. https://doi.org/10.22228/rt-f.v6i2.199

RABELO, Danilo. Os excessos do corpo: a normalização dos comportamentos na Cidade de Goiás (1822-1889). 1997. Dissertação (mestrado) – UFG, Goiânia, 1997. Disponível em: https://pos.historia.ufg.br/n/20854-ano-1997-dissertacoes Acessado em: 07 ago. 2017.

RABELO, Danilo. As representações jurídico-policiais sobre a prostituição na Cidade de Goiás. Em tempos de História, Brasília, DF, n. 6, p. 1-29, 2002. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/20173. Acesso em: 20 nov. 2017.

ROSEN, George. Uma história da saúde pública. São Paulo: Hucitec. 1994.

SCHMACHTENBERG, Ricardo. Código de postura e regulamentos: Vigiar, controlar e punir. Vestígios do passado a história e suas fontes. Porto Alegre: ANPUH-RS, 2008. p 1-13. Disponível em: http://eeh2008.anpuh-rs.org.br/resources/content/anais/1209158027_ARQUIVO_CODIGOSDEPOSTURAS.pdf. Acesso em: 10 out. 2017

Publicado
2020-11-05
Como Citar
Do Nascimento, N. M. . (2020). Ensaio sobre as posturas municipais na cidade de Goyaz: 1831-1855. Oficina Do Historiador, 13(2), e37870. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.2.37870
Seção
Artigos