José Lutzenberger e a luta pela Amazônia

Militância ambientalista internacional em defesa da floresta (1970-1990)

Palavras-chave: Amazônia, José Lutzenberger, História Ambiental Global

Resumo

Este artigo trata da atuação do engenheiro agrônomo e ambientalista brasileiro José Lutzenberger na proteção da floresta Amazônica nas décadas de 1970, 1980 e 1990. Lutzenberger participou de conferências nacionais e internacionais, denunciou projetos do governo brasileiro na mídia e formulou críticas duras à devastação da floresta e seus povos. Em sua militância internacional, por meio de  palestras e eventos, difundiu a teoria da Gaia, um dos fundamentos de sua concepção ecológica, e nos anos 1990 foi convidado pelo então presidente Fernando Collor para assumir a Secretaria Nacional do Meio Ambiente, por meio da qual trabalhou  na defesa da Amazônia e dos povos indígenas. Entre 1970 e 1990, a Amazônia passa a receber destaque cada vez maior em conferências sobre meio ambiente e na imprensa internacional, tornando-se temática de preocupação global, ao lado das mudanças climáticas e da camada de ozônio. Através da Biografia Histórica e da História Ambiental, analisamos a trajetória de José Lutzenberger, um ator global nesse contexto, cuja atuação é nosso fio condutor para a abordagem das principais lutas empreendidas pelos movimentos ambientalistas brasileiros e de outros países em defesa da grande floresta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elenita Malta Pereira, Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro), Guarapuava, PR, Brasil.

Doutora em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professora de História na Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO), em Guarapuava, PR.

Denis Henrique Fiuza, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Doutorando em História na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC. Bolsista Técnico CNPq.

Sara Rocha Fritz, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Graduanda em História na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC. Bolsista de IC CNPq.

Referências

A AMAZÔNIA devastada. Veja, São Paulo, 07 jul. 1976. (APJL).

ACKER, Antoine. Trabalho forçado na fazenda da Volks: Crônica de um escândalo amazônico na Alemanha.

HENDU – Revista Latino americana de Derechos Humanos, São Leopoldo, v. 4, n. 1, p. 57-69, 2013. https://doi.org/10.18542/hendu.v4i1.1715.

ACKER, Antoine. O maior incêndio do planeta: como a Volkswagen e o regime militar brasileiro acidentalmente ajudaram a transformar a Amazônia em uma arena política global. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 34, n. 68, p. 13-33, 2014. https://doi.org/10.1590/S0102-01882014000200002.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. A singularidade: uma construção nos andaimes pingentes da teoria histórica. In: ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. História: a arte de inventar o passado. Ensaios de teoria da história. Bauru: Edusc, 2007, p. 247-254.

AVELAR, Alexandre de Sá. A biografia como possibilidade de escrita da história. In: Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, USP, São Paulo, julho 2011.

BERG, Evelyn. Correio do Povo, 30/01/1972, p. 17 (MCSHJC).

BICUDO, Francisco. O mapa dos ventos. Pesquisa FAPESP, São Paulo, Edição 114, 2005. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/2005/08/01/o-mapa-dos-ventos. Acesso em: 01 abr. 2020.

BIRD ameaça cortar ajuda de US$ 117 mi. Folha de S. Paulo. São Paulo, 03/03/1992 (APJL).

BORGES, Vavy Pacheco. O “eu” e o “outro” na relação biográfica: algumas reflexões. In: NAXARA, Márcia, MARSON, Izabel e BREPOHL, Marion (org.). Figurações do outro. Uberlândia: EDUFU, 2009. p. 225-238.

BOURDIEU, Pierre. É possível um ato desinteressado? In: BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: Sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 2008.

BRASIL. Decreto-Lei Nr. 1.106. Cria o Programa de Integração Nacional. 16/06/1970. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1965-1988/Del1106.htm. Acesso em: 01 abr. 2020.

BRASIL diz “sim” à Europa. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 28 jun. 1990, p. 9 (APJL).

CASTRO, Eduardo Viveiros. O perspectivismo ameríndio ou a natureza em pessoa. Ciência & Ambiente. Santa Maria, UFSM, n. 31, jul./ dez. 2005.

DECRETO dá vitória para Lutzenberger. O Estado de São Paulo, São Paulo, 19/04/1991, p. 12 (APJL).

DRUMMOND, José Augusto. Por que estudar a história ambiental do Brasil? – Ensaio temático. Varia História, Belo Horizonte, n. 26, p. 13-32, 2002.

ESPECIALISTA alerta empresários da destruição do ambiente natural. Boletim Semanal, Porto Alegre, 15/05/1972, capa (APJL).

FUNDAÇÃO GAIA. Release: ecologista José Lutzenberger assina contrato de consultoria ambiental com o Governo do Amazonas, 03/04/1997 (APJL).

IBAMA é acusado de servir a madeireiras. Folha de S. Paulo, São Paulo, 18/03/1992, p. 1 (APJL).

INPE. Observação da Terra. PRODES-Amazônia. Disponível em: http://www.obt.inpe.br/OBT/assuntos/programas/amazonia/prodes. Acesso em: 26 mar. 2020.

LAGO, Paulo Fernando. A consciência ecológica: a luta pelo futuro. Florianópolis: Ed. Da UFSC, 1991.

LOVELOCK, James. Gaia: alerta final. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2010.

LUTZENBERGER, José. Fim do Futuro? Manifesto Ecológico Brasileiro. 3. ed. Porto Alegre: Editora Movimento, Editora da UFRGS,1980.

LUTZENBERGER, José. Address to the NGO Symposium on the Environment na the Future. UNEP – United Nations Environment Program – Session of special character – 10 years of Stockholm Conference. Nairobi, Quênia, 03 de maio de 1982 (APJL).

LUTZENBERGER, José. Brazilian wilderness: A problem or a model for the world? In: MARTIN, Vance, INGLIS, Mary. Wilderness: The Way Ahead. Scotland and USA: The Findhorn Press, 1984. p. 38-46.

LUTZENBERGER, José. Forest are a source of life. Palestra para a Sociedade Schumacher. Bristol, Inglaterra, outubro de 1986 (APJL).

LUTZENBERGER, José. The climatic effects of the destruction of the rainforests. Presentation in Friends of the Earth Tropical Rainforest Campaign. Activist Seminar, 4 december, 1988a (APJL).

LUTZENBERGER, José. Discurso de aceitação do The Right Livelihood Award. Original datilografado, 1988b, 4 folhas (APJL).

LUTZENBERGER, José. Gaia: O planeta vivo. Porto Alegre: L&PM, 1990.

LUTZENBERGER, José. Discurso na Conferência Action for a Common Future. Noruega, Maio de 1991 (APJL).

LUTZENBERGER. Zero Hora, Porto Alegre, 10 mar. 1990, p. 14. (APJL).

MARGADANT, Jo Burr. The New Biography: Performing Femininity in Nineteenth-Century France. Berkeley and Los Angeles, California: University of California Press, 2000.

PÁDUA, José Augusto. As bases teóricas da história ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, 2010. https://doi.org/10.1590/S0103-40142010000100009.

PÁDUA, José Augusto. A Mata Atlântica e a Floresta Amazônica na Construção Histórica do Território Brasileiro. In: XXVII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA/CONHECIMENTO HISTÓRICO E DIÁLOGO SOCIAL, Natal, 2013. Anais... p.01-12.

PÁDUA, José Augusto. A Mata Atlântica e a Floresta Amazônica na construção do território brasileiro: estabelecendo um marco de análise. Revista de História Regional, [S. l.], v. 20, n. 2, p. 232-251, 2015. https://doi.org/10.5212/Rev.Hist.Reg.v.20i2.0002.

PARA LUTZENBERGER, Amazônia será salva. Folha de S. Paulo, São Paulo, 12/11/1991 (APJL).

PEPPER, David. Ambientalismo moderno. Lisboa: Editora Piaget, 2000.

PEREIRA, Elenita Malta. A década da destruição da Amazônia: José Lutzenberger e a contrarreforma agrária em Rondônia (anos 1980). História Unisinos, São Leopoldo, v. 21, n. 1, p. 26-37, jan./abr. 2017. https://doi.org/10.4013/htu.2017.211.03.

PEREIRA, Elenita Malta. A construção da ética do convívio ecossustentável pelo ambientalista José Lutzenberger (1971-2002). Tempo & Argumento, [S. l.], v. 11, n. 26, p. 7-43, jan./abr. 2019. https://doi.org/10.5965/2175180311262019007.

PEREIRA, Elenita Malta; FRITZ, Sara da Rocha. José Lutzenberger e a divulgação da Teoria de Gaia no plano internacional (década de 1980): leituras a partir de seu acervo privado. Revista de Fontes, [S. l.], n. 11, p. 29-45, 2019. https://doi.org/10.34024/fontes.2019.v6.9713.

PEREIRA, Elenita Malta; SÁ, Débora Nunes de. A demarcação da Terra Indígena Yanomami na imprensa brasileira e internacional (1990-1992). Capítulo de livro No prelo. 2020.

POLÍCIA dissolve protesto contra contratos de risco na Amazônia e prende cinco. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 31/12/1978, p. 20 (APJL).

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A Globalização da Natureza e a Natureza da Globalização. 7. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

PRODES. Levantamento da extensão do Desflorestamento Bruto na Amazônia Legal. São José dos Campos: [s. n.], 1996. RIBEIRO, Berta. Amazônia Urgente. Rio de Janeiro: Editora Itatiaia, 1992.

SENADOR critica viagens. Correio dos Estados e Municípios, Novembro/1991, p. 14 (APJL).

SOARES, Amarindo Fausto; SILVA, Joao dos Santos Vilada. Uniformização da legenda de solos do Brasil ao milionésimo. Campinas: Embrapa Informática Agropecuária, Março/2005. 32 p. (Documentos Embrapa Informática Agropecuária; 49).

WORSTER, Donald. Para fazer história ambiental. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 4, n. 8, 1991.

ZIMMERMAN, Barbara; BERNARD, Enrico. Alianças conservacionistas com sociedades indígenas na Amazônia brasileira. Ciência & Ambiente, Santa Maria, n. 31, jul./ dez. 2005.

Publicado
2020-11-05
Como Citar
Pereira, E. M., Fiuza, D. H., & Fritz, S. R. (2020). José Lutzenberger e a luta pela Amazônia: Militância ambientalista internacional em defesa da floresta (1970-1990). Oficina Do Historiador, 13(2), e37802. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.2.37802
Seção
Dossiê