Sobre precoces trabalhadores

Pressões e moralidades no Oeste do Paraná, memórias do último meio século

Palavras-chave: Trabalhadores, Menoridade, Pressões Sociais

Resumo

Este artigo investiga relações de poder, depreendidas da experiência de trabalhadores, legalmente definidos como crianças e adolescentes. Para tal, evidencia imagens referentes às ações e comportamentos registrados na imprensa e autos processuais no Oeste do Paraná, entre meados do século XX e início do século XXI. Aborda aspectos sociais, que apontam dinâmicas de pressões e de afirmação de moralidades, enquanto indicadores do posicionamento desses sujeitos, expondo a configuração de decisões envolvendo o trabalho infantil. Um caminho analítico que destaca controvertidas condutas, assumidas pelos envolvidos nessas relações (desde familiares, pretensos patronos/patrões, órgãos públicos, setores policiais e judiciário, além de meios de comunicação), com realce para as inconveniências dessa materialidade histórica, confrontando-as com valores promovidos em nosso presente. Nesse enredo, visualiza-se ocorrências que apresentam esses jovens trabalhadores no comércio de rua e prestação de serviços, assim como em atividades industriais. Circunstâncias que permitem a formulação de indagações a respeito das condições e dos sentidos erigidos em tais condutas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheille Soares de Freitas, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.

Doutora em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Uberlândia, MG, Brasil; mestre em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Uberlândia, MG, Brasil; professora da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.

Carlos Meneses de Sousa Santos, Pesquisador autônomo, Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil.

Pós-doutor em História pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em Marechal Cândido Rondon, PR, Brasil; doutor em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Uberlândia, MG, Brasil; mestre em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em Uberlândia, MG, Brasil.

Referências

ALVAREZ, M. C. A emergência do Código de Menores de 1927: uma análise do discurso jurídico e institucional da assistência e proteção aos menores. 1989. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1989.

AREND, S. M. F. Histórias de Abandono: infância e justiça no Brasil (década de 1930). Florianópolis: Editora Mulheres, 2011.

AZEVEDO, G. C. De Sebastianas a Geovanis: o universo do menor nos processos dos juízes de órfãos da cidade de São Paulo (1871-1917). 1995. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1995.

BRASIL. Lei nº 13.869, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Lei nº. 5274, 24 de abril de 1967. Dispõe sobre o salário mínimo de menores e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5274.htm. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Lei nº. 5452, 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-5452-1-maio-1943-415500-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Decreto nº. 17.943-A, 12 de outubro de 1927. Consolida as leis de assistência e proteção a menores. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1920-1929/decreto-17943-a-12-outubro-1927-501820-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 10 jan. 2019.

BACKES, G. Na trilha do Oeste: itinerâncias e memórias de fronteira. In: DUARTE, G. R. et al. (org.). Experiências e memórias de deslocamento no Oeste do Paraná. Cascavel: Edunioeste. 2012. p. 35-57.

BALKO, H. E. et al. Entre Rios do Oeste: fazendo história. Marechal Cândido Rondon: Gráfica Líder, 2004.

CAMPOS, G. M. “Vou procurar o melhor lá dentro”: vivências e memórias de crianças e adolescentes na

FUNABEM (Viçosa, 1964-1989). 2007. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia-MG, 2007.

CHALHOUB, S. Visões de liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CRUZ, H. F. et al. Introdução. In: ALMEIDA, Paulo R. Almeida et al. (org.). Muitas memórias, outras histórias. São Paulo: Editora Olho d’Água, 2004. p. 5-13.

CUSTÓDIO, A. V.; VERONESE, J. R. P. Trabalho infantil: a negação do ser criança e adolescente no Brasil. Florianópolis: OAB/SC, 2007.

DEL PRIORE, M. (org.). História da Criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1991.

DESCONSI, C. A marcha dos pequenos proprietários rurais: trajetórias de migrantes do Sul do Brasil para o Mato Grosso. Rio de Janeiro: E-papers, 2011.

FONTANA, J. Entrevista com o Prof. Dr. Josep Fontana. Entrevistador: Paulo Pinheiro Machado. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 3, n. 5, p. 307-315, 2011.

FREITAS, M. C. (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2011.

FREITAS, S. S.; SANTOS, C. M. S . Visões trágicas da precocidade de trabalhadores: dramas e moralidades no Oeste do Paraná – segunda metade do séc. XX e início do séc. XXI. In: BARTMANN, T.; MANDELLI, B.; SCZIP, R. R. (org.). Trabalhadores(as) do Sul do Brasil e suas lutas na Justiça. 1. ed. Porto Alegre: Editora Fi, 2021. p. 372-416.

GOMES, Â. M. C. Repressão e mudanças no trabalho análogo a de escravo no Brasil: tempo presente e usos do passado. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 32, n. 64, 167-184, 2012.

GREGORY, V. Os eurobrasileiros e o espaço colonial: migrações no Oeste do Paraná (1940-1970). 3. ed. Cascavel: Edunioeste, 2008.

LAVERDI, R. Tempos diversos, vidas entrelaçadas: trajetórias itinerantes de trabalhadores no extremo-oeste do Paraná. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2005.

LENHARO, A. A terra para quem nela não trabalha (A especulação com a terra no oeste brasileiro nos anos 50). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 6, n. 2, p. 47-64, 1986.

MARTINS, A. A proteção constitucional ao trabalho de crianças e adolescentes. São Paulo: LTr, 2002.

NERI, C. Entre “irregularidades” e sociabilidades: histórias de crianças e adolescentes pobres em Toledo/PR (1980-1990). Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon-PR, 2012.

OBERG, K.; JABINE, T. Toledo: um munícipio da fronteira Oeste do Paraná. Rio de Janeiro: Edições SSR, 1960.

PARADELLA, R. Números caem, porém trabalho infantil ainda é realidade no país. Agência de Notícias do IBGE, 26 nov. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/23105-numeros-caem-porem-trabalho-infantil-ainda-e-realidade-no-pais. Acesso em: 5 fev. 2020.

PARANÁ. Comarca de Marechal Cândido Rondon. Reclamação Trabalhista. nº. 55/94 PR, 09 de fevereiro de 1994. Acervo CEPEDAL/UNIOESTE, Marechal Cândido Rondon.

PARANÁ. Comarca de Toledo. Autorização para estudar à noite (Petição Cível). s/nº, 19 de abril de 1974. Acervo NDP/UNIOESTE, Toledo.

PARANÁ. Comarca de Toledo. Ação Criminal (Denúncia, Inquérito). nº. 56/67 PR, 13 de novembro de 1967. Acervo NDP/UNIOESTE, Toledo.

PARANÁ. Comarca de Toledo. Licença para trabalho (Petição Cível). nº 55/60 PR, 24 de maio de 1960. Acervo NDP/UNIOESTE, Toledo.

PESSOA, J. M. A revanche camponesa: cotidiano e história em assentamentos de Goiás. 1977. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1997.

RIZZINI, I.; RIZZINI, I. A institucionalização de crianças no Brasil: percurso histórico e desafios do presente. Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. PUC-Rio/Loyola, 2004.

SANTOS, C. M. S. Sobre a movimentação social de trabalhadores: narrativas orais e os sentidos da territorialização no Oeste do Paraná. Segunda metade do século XX e início do século XXI. Tempos Históricos, Marechal Cândido Rondon, v. 21, n. 1, p. 39-69, 2017.

SANTOS, C. M. S. Trabalhadores em movimento: horizontes abertos em Marechal Cândido Rondon-PR – segunda metade do século XX e início do século XXI. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

SILVEIRA, M. A. A evasão escolar: uma perspectiva dos atendimentos do Conselho Tutelar Regional Leste de Cascavel/PR. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, 2016.

SOUZA, E. A. O. Lei e costume: experiências de trabalhadores na justiça do trabalho (Recôncavo Sul, Bahia, 1940-1960). 2008. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2008.

THOMPSON, Edward P. A Miséria da Teoria: ou um planetário de erros (uma crítica ao pensamento de Althusser). Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

THOMPSON, Edward P. Costume em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

VEIGA, A. Acervos da Justiça do Trabalho como fontes de pesquisa. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 33, n. 65, p. 193-208, 2013.

VENDA de picolés. O Presente, Marechal Cândido Rondon, p. 13, 16 fev. 2005. Acervo CEPEDAL/UNIOESTE, Marechal Cândido Rondon.

Publicado
2021-11-03
Como Citar
Freitas, S. S. de, & Santos, C. M. de S. (2021). Sobre precoces trabalhadores: Pressões e moralidades no Oeste do Paraná, memórias do último meio século. Oficina Do Historiador, 14(1), e37664. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2021.1.37664