A pesca e o pescador: por uma haliêutica historicizada

Palavras-chave: Pesca. Pescador. Identidade. Território.

Resumo

A pesca e o pescador são categorias construídas a partir de diferentes contextos históricos. A haliêutica (a arte da pesca), reúne diferentes pescadores, tralhas, fainas e saberes locais que conferem coesão social. Em linhas gerais, o que se propõe é compreender a formação das comunidades pesqueiras através dos elementos de coesão referidas, nestas comunidades a pesca é organizada por meio do conhecimento e território, sendo este central para a delimitação das práticas e das identidades que surgem a partir delas. O pescador se constitui enquanto tal, a partir das inúmeras relações que estabelece com seu território, com os seres e conhecimentos adquiridos nessa convivência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Peretti Wagner, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS

Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Docente do Departamento de Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas – UFPel.

Lucas Antonio da Silva, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS

Doutor em Arqueologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil). Bolsista de pós-doutorado do Programa de Pós- -Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS, Porto Alegre, RS, Brasil).

Referências

ADOMILLI, Gianpaolo. Trabalho, meio ambiente e conflito: um estudo antropológico sobre a construção da identidade social dos pescadores do Parque Nacional da Lagoa do Peixe – RS. 2002. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

ADOMILLI, Gianpaolo. Terra e mar, do viver e do trabalhar na pesca marítima: tempo, espaço e ambiente junto a pescadores de São José do Norte – RS. 2007. Tese (Doutorado em Antropologia Social) Instituto de

Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

ALVES-CÂMARA, Antônio. Ensaio sobre as construções navais indígenas do Brasil. São Paulo: Brasiliana, 1976 [1888].

BECK, Anamaria. Lavradores e Pescadores: um estudo sobre trabalho familiar e trabalho acessório. Monografia (Livre Docência - Professor Titular) - UFSC, Florianópolis, 1979.

BEGOSSI, Alpina. Áreas, Pontos de Pesca, Pesqueiros e Território na Pesca Artesanal. In: BEGOSSI, A. (org.). Ecologia de Pescadores da Mata Atlântica e da Amazônia. São Paulo: NUPAUB-USP, 2004. p. 223-255.

CÂMARA-CASCUDO, Luís. Jangada: uma pesquisa etnográfica. São Paulo: [s. n.], 2002 [1954].

CASTELLUCCI, Wellington. Pescadores e roceiros: escravos e forros em Itaparica na segunda metade do século XIX, 1860-1888. São Paulo: Annablume, 2008.

DIEGUES, Antônio Carlos. Pesca e Marginalização no Litoral Paulista. 1973. Dissertação (Mestrado em Ciências), FFLCH, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1973.

DIEGUES, Antônio Carlos. Tradition and change in brazilian fishing communities: towards a social anthropology of the sea. In: DIEGUES, A. (org). Tradition and social change in the coastal communities of Brazil. São Paulo, NUPAUB, 1997. p. 1-24.

DIEGUES, Antônio Carlos. Ilhas e Mares. Simbolismo e Imaginário. São Paulo: Hucitec, 1998. 272p.

DIEGUES, Antônio Carlos. A sócio-antropologia das comunidades de pescadores marítimos do Brasil: uma síntese histórica. São Paulo, NUPAUB, 1999.

DIEGUES, Antônio Carlos (org.) A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB-USP, 2000.

DIEGUES, Antônio Carlos. A Pesca Construindo Sociedades. São Paulo: NUPAB – USP, 2004.

DUARTE, Fernando. As redes do suor: a reprodução social dos trabalhadores da produção do pescado em Jurujuba. Rio de Janeiro. 1978. Dissertação (Mestrado Antropologia Social) - Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1978.

FIGUTI, Levy; et al. Small sambaquis and big chronologies: shellmound building and hunter-gatherers in neotropical highlands. Radiocarbon 55, p. 1215-1221, 2013. https://doi.org/10.1017/S00338222000481286/6 Oficina do hist oriador, Porto Alegre, v. 13, n. 1, p. 1 -6, jan.-jun. 2020 | e- 36763

FORMAN, Shepard. The Raft Fishermen: Tradition and Change in the Brazilian Peasant Economy. EUA, Indiana University Press, 1970.

FURTADO, Lourdes. Curralistas e redeiros de Marudá: pescadores do litoral do Pará. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 1987.

GASPAR, Maria Dulce et al. Sambaqui (Shell Mound) Societies of Coastal Brazil. In: SILVERMAN, Helaine.; ISBEL, William. (ed.). Handbook of South América Archaeology. 1ed. Lisboa: Springer, 2008. p. 319-335.

https://doi.org/10.1007/978-0-387-74907-5_18

KOTTAK, Conrad. The Structure of Equality in Brazilian Fishing Community. Columbia, Univ. Press 1966.

KOTTAK, Conrad. An Assault on Paradise. Michigan, Ann Arbor Univ. of Michigan Press. 1983

LAYTANO, Dante. (org.). O negro no Rio Grande do Sul. In: Estudos Ibero Americanos, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 187-201, 1995. https://doi.org/10.15448/1980-864X.1995.2.28832

LIMA, Roberto. Pescadores de Itaipu: a pescaria da tainha e a produção ritual da identidade social. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1978.

LOPES, Raimundo. Pesquisa Etnológica sobre a Pesca Brasileira no Maranhão. Revista do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, n. 2, p. 51-86, 1938.

MALDONADO, Simone. Mestres e Mares, espaço e indivisão na pesca marítima. 2° ed. São Paulo: Annablume, 1994.

MALDONADO, Simone. O caminho das pedras: percepção e utilização do espaço marinho na pesca simples. In: DIEGUES, A. C (org). A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB-USP, 2000. p. 59-68.

MOURÃO, Fernando. Pescadores do litoral sul do Estado de São Paulo. São Paulo: Hucitec/NUPAUB- -USP, 2003[1971]. 264 p.

SILVA, Lucas. Pescadores da Barra do João Pedro, um estudo etnoarqueológico. 2012. Dissertação (Mestrado em História) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

SILVA, Lucas. Com vento a lagoa vira mar: uma etnoarqueologia da pesca no litoral norte do RS. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 10, n. 2, p. 537- 547, maio-ago. 2015.

SILVA, Lucas. Os materiais de pesca fluindo. Uma arqueologia com os pés na água. 2018. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

SILVA, Lucas; GASPAR, Madu. Anzóis, redes e pescadores: reflexões sobre a arqueologia da pesca. Revista de Arqueologia, v. 32, n. 2, Edição especial Museu Nacional (v. 1), p. 4-15, 2019. https://doi.org/10.1590/1981-81222015000200016.

VERÍSSIMO, José. A pesca na Amazônia. Belém: Universidade Federal do Pará, 1970[1895]. 130p.

WAGNER, Gustavo; SILVA, Lucas. Prehistoric maritime domain and Brazilian shellmounds. Archaeological Discovery, v. 2, n.1, p. 1-5, Jan. 2014. https://doi.org/10.4236/ad.2014.21001

WILLEMS, Emilio. A Ilha de Búzios: uma comunidade Caiçara no Sul do Brasil. São Paulo: HUCITEC, 2003[1952]. 185p.

Publicado
2020-06-13
Como Citar
Wagner, G. P., & da Silva, L. A. (2020). A pesca e o pescador: por uma haliêutica historicizada. Oficina Do Historiador, 13(1), e36763. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.1.36763
Seção
Dossiê