Extinguindo o “infame” comércio de escravos no império brasileiro

Palavras-chave: Varnhagen. Tráfico de escravos. Império do Brasil.

Resumo

O artigo analisou a proposta de extinção do tráfico de escravos para o Brasil realizada pelo historiador brasileiro Francisco Adolfo de Varnhagen no Memorial orgânico (1849-1850-1851). Em um contexto de pressão inglesa pela sua supressão e intenso debate sobre a escravidão e seu impacto sobre a vida social, econômica do País na metade do século XIX, Varnhagen defendeu a necessidade de se findar essa prática secular como uma das formas de auxiliar no desenvolvimento do Império, colocando-o na posição de nação forte e respeitável perante o mundo civilizado. Para tanto, fez-se necessário tratar com mais vagar da conjuntura política brasileira à época e como as questões do tráfico e da escravidão apareciam nos debates entre figuras destacadas do cenário letrado como José Bonifácio de Andrada e Silva, Bernardo Pereira de Vasconcelos e Tavares Bastos. O conteúdo do Memorial orgânico, portanto, demonstrava o quanto o historiador paulista estava atualizado com a agenda política do Império do Brasil em meados do oitocentos, usando sua experiência técnica para tratar de uma questão tão premente. Em 1850, pela Lei Eusébio de Queiroz, o tráfico de escravos para o Brasil foi finalmente abolido, a pressão britânica, mas também o medo de rebeliões, o surto de febre amarela associado com o tráfico e uma opinião interna antiescravista contribuíram para que essa medida saísse do papel naquele momento de consolidação do poder imperial no Segundo Reinado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Priscila de Sousa Sá, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, MA

Mestra em História pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA, São Luís, MA, Brasil).

Referências

ANAIS DO SENADO DO IMPÉRIO DO BRASIL. Sessão de 3 de julho de 1850. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Anais, 1978.

BASTOS, Aureliano Cândido Tavares. Cartas do Solitário. 4. ed. São Paulo: Ed. Nacional; Brasília: INL, 1975.

BONAVIDES, Paulo; AMARAL, Roberto. Textos políticos da História do Brasil. v. 2. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 1996.

CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. Economia, população e política externa. In: CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da política exterior do Brasil. 3. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2008.

CHALHOUB, Sidney. Escravismo. In: CHALHOUB, Sidney. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

COLEÇÃO DAS LEIS DO IMPÉRIO DO BRASIL DE 1850. Lei de 4 de setembro de 1850. Estabelece medidas para a repressão do tráfico de africanos neste Império. TOMO XI. Parte I. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1851.

COSTA, Hipólito José da. Escravatura no Brasil. In: COSTA, Hipólito José da. Hipólito José da Costa. São Paulo: Ed. 34, 2001.

COUTINHO, José Joaquim da Cunha de Azeredo. Memória sobre o comércio dos escravos, em que se pretende mostrar que este tráfico é, para eles, antes um bem do que um mal. Rio de Janeiro: Tip. Imp. e Const. de J. Villeneuve e Comp., 1838.

FEIJÓ, Diogo Antônio. Diogo Antônio Feijó. São Paulo: Ed. 34, 1999.

FIORIN, José Luiz. Figuras de troca II: exclamação, interrogação; Reticência ou aposiopese. In: FIORIN, José Luiz. Figuras de retórica. São Paulo: Contexto, 2014.

LYNCH, Christian Edward Cyril. Quando o regresso é progresso: a formação do pensamento conservador saquarema e de seu modelo político (1834-1851). In: BOTELHO, André; FERREIRA, Gabriela Nunes (org.). Revisão do pensamento conservador: ideias e política no Brasil. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2010.

MAMIGONIAN, Beatriz G. Africanos livres: a abolição do tráfico de escravos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

RODRIGUES, Jaime. O fim do tráfico transatlântico de escravos para o Brasil: paradigmas em questão. In: GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo. O Brasil Imperial: 1831-1889. v. 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

PARRON, Tâmis Peixoto. Introdução. In: ALENCAR, José de. Cartas a favor da escravidão. São Paulo: Hedra, 2008.

PARRON, Tâmis Peixoto. A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Dissertação (Mestrado em História Social). Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2009.

SALLES, Ricardo. Abolição no Brasil: resistência escrava, intelectuais e política (1870-1888). Revista de Indias, Coimbra, v. LXXI, n. 251, 2011. DOI: https://doi.org/10.3989/revindias.2011.010.

SILVA, José Bonifácio de Andrada e. Projetos para o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SLENES, Robert W. “Malungu, ngoma vem!”: África coberta e descoberta no Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 12, p. 48-67, dez. 1991-fev. 1992. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i12p48-67.

SOARES, Carlos Eugênio; GOMES, Flávio. Sedições, haitianismo e conexões no Brasil escravista: outras margens do Atlântico negro. Novos Estudos, São Paulo, n. 63, p. 131-144, jul. 2002.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Memorial orgânico. Em que se insiste sobre a adoção de medidas de maior transcendência para o Brasil. Madrid: Imprensa da Viúva de D. R. J. Dominguez, 1850.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Memorial orgânico oferecido à nação. Guanabara, revista mensal, artístico, científica e literária, Rio de Janeiro: Tipografia de Paula Brito, p. 356-370, 382-402, out./nov. 1851.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. TOMO I. Madri: Imp. da V. de Dominguez, 1854.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. TOMO II. Madrid: Imprensa de J. del Rio, 1857.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História Geral do Brasil. TOMO II. 2. ed. Rio de Janeiro: E. & H. Laemmert, 1877.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. A questão da capital: marítima ou no interior? Viena: Imp. do filho de Carlos Gerold, 1877.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Correspondência ativa. Rio de Janeiro: INL, 1961.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Memorial orgânico que à consideração das Assembleias geral e provinciais do Império, apresenta um brasileiro. Dado a luz por um amante do Brasil. Brasília: FUNAG, 2016.

VASCONCELOS, Bernardo Pereira de. Bernardo Pereira de Vasconcelos. São Paulo: Ed. 34, 1999.

YOUSSEF, Alain El. Domínio liberal e crítica ao tráfico negreiro, 1831-1835. In: YOUSSEF, Alain El. Imprensa e escravidão: política e tráfico negreiro no Império do Brasil (Rio de Janeiro, 1822-1850). São Paulo: Intermeios; Fapesp, 2016.

Publicado
2020-06-13
Como Citar
Sá, A. P. de S. (2020). Extinguindo o “infame” comércio de escravos no império brasileiro. Oficina Do Historiador, 13(1), e36018. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.1.36018
Seção
Artigos