Morada de Memórias em O canto dos escravizados

  • Ana Rita Santiago Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cruz das Almas, BA, Brasil; Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador, BA, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-7639-7321
Palavras-chave: Canções, Mar, Memórias, Africanos, Escravidão

Resumo

Este artigo advém de um mapeamento elaborado sobre autoras moçambicanas (2016-2017), no âmbito de pós-doutoramento. Desta pesquisa, resultou o livro Cartografias em construção – Algumas escritoras de Moçambique (EDUFRB, 2019). O livro O canto dos escravizados (NANDYALA, 2018), de Paulina Chiziane, a moçambicana contadora de história, destaca-se neste texto. O seu foco discursivo agencia entendimentos sobre as baladas memorialísticas e a recorrência do mar como um ambiente de memórias inventadas por vozes e brados presentes na obra. O objetivo deste texto é apresentar algumas leituras descritivo-interpretativas dos “textos em versos”, como a autora caracteriza as narrativas, com ênfase na compreensão das odes como invenções de memórias do que se quer lembrado, mas também esquecido, relacionado com a escravidão de africanos(as) nas Américas. Espera-se, com este texto, o incentivo à leitura de O canto dos escravizados e o entendimento de que lembrar, semelhante aos “textos em versos”, pode significar um processo de imersão no passado, implicando esquecer e/ou revogar lembranças e inventar o tempo presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Rita Santiago, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cruz das Almas, BA, Brasil; Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador, BA, Brasil.

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador, BA, Brasil; pós-doutora pela Universitè Paris Descartes, Sorbonne, Paris, França; mestre em Educação e Contemporaneidade, pela Universidade do Estado da Bahia, em Salvador, BA, Brasil; professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em Amargosa, BA, Brasil.

Referências

BÃ, Hampate A. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph (org.). História geral da África. Metodologia e pré-história na África. São Carlos, 1997. v. 1. p. 167-214.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade – Lembranças de velhos. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CHIZIANE, Paulina. O Canto dos escravos. Maputo: Matiko e Arte, Lda, 2017.

CHIZIANE, Paulina. O canto dos escravizados. Belo Horizonte: Nandyala, 2018.

FANON, Franz. Os Condenados da terra. Trad. Enilce Albergaria Rocha; Luci Magalhães. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2005. v. 2. (Coleção Cultura).

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Trad. Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996.

LEITE, Ana Mafalda Leite. Paulina Chiziane: romance de costumes, histórias morais. In: Ensaios sobre Literaturas Africanas. Maputo: Alcance editores, 2013. Ensaios.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Revista Projeto História, São Paulo, n. 10, p. 7-28, 1997.

POLLACK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 3, p. 3-15, 1989.

POLLACK, Michael. Memória e identidade social. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

SANTIAGO, Ana Rita. Cartografias em construção. Algumas escritoras de Moçambique. Cruz das Almas: EDUFRB, 2019. (E-book).

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A memória em questão: uma perspectiva histórico-cultural. Educação & Sociedade, n. 71, p. 166-193, jul. 2000.

Publicado
2021-08-18
Como Citar
Santiago, A. R. (2021). Morada de Memórias em O canto dos escravizados. Navegações, 14(1), e37552. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2021.1.37552
Seção
Ensaios