Criar um Brasil ou ser criado por ele

Leituras do país sob a perspectiva de António Vieira em A Eternidade e o desejo, de Inês Pedrosa

Palavras-chave: Memória, leitura, viagem

Resumo

Ao narrar uma viagem, A Eternidade e o desejo (2008), de Inês Pedrosa, faz-se do discurso intimista e da imersão da protagonista Clara em sua memória pessoal, afetada pela releitura de sermões de António Vieira. Analisaremos o diálogo do texto com elementos formais de romances de ambiente e de narrativas de viagem e como esses formatos são problematizados no romance, ligando-se à discussão sobre o Brasil, território físico, cultural e afetivo “decifrado” pela viagem descrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Franz, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, PR.

Doutor em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP; professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Curitiba, PR, Brasil.

Referências

DAMATTA, Roberto. Carnavais, Malandros e Heróis. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1997.

HOLANDA, Sérgio Buarque de, Raízes do Brasil, São Paulo, Companhia das Letras:1999.

LOURENÇO, Eduardo. Portugal como Destino seguido de Mitologia da Saudade. Lisboa: Gradiva, 2º edição, 1999.

PÉCORA, Alcir. Teatro do Sacramento. Campinas, Editora da Unicamp/EDUSP, 2a. Edição, 2008.

PEDROSA, Inês. A Eternidade e O Desejo. Rio de Janeiro, Objetiva, 2008.

PEDROSA, Inês.. No coração do Brasil - Seis Cartas de Viagem ao Padre António Vieira. Lisboa. Edições Don Quixote, 2016.

PEDROSA, Inês.. Antônio Vieira, o Jesuíta do Rei. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

VIEIRA, António. Sermões. Cinco volumes. Porto: Lello e Irmão, 1993.

Publicado
2020-04-01
Como Citar
Franz, M. (2020). Criar um Brasil ou ser criado por ele: Leituras do país sob a perspectiva de António Vieira em A Eternidade e o desejo, de Inês Pedrosa. Letrônica, 13(3), e36824. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2020.3.36824