Notas sobre o subsolo contrarrevolucionário de Budapeste

Palavras-chave: Práxis. Materialismo Histórico. Questões de Método. Sartre

Resumo

Fundada sobre a liberdade ontológica na obra O ser e o nada (1943), a psicanálise existencial tem o propósito de compreender o ser a partir de sua liberdade em situação. A obra “Questões de método” (1957), por sua vez, marca o período do pensamento satriano conhecido como “virada dialética”. Esta mudança se caracteriza fundamentalmente pela introdução de uma nova abordagem metodológica: o método progressivo-regressivo. Este método almeja conflitar dialeticamente as totalizações históricas buscando a inteligibilidade do macrocosmo sociocultural. Esta virada se dá em função da crise do pensamento marxista de sua época. Ao encravar o existencialismo no coração da filosofia marxista, e assim afirmar o marxismo enquanto filosofia insuperável de nosso tempo, Sartre aponta que o marxismo se tornou dogmático (crítica já presente na obra A transcendência do ego de 1934) ao não partir da realidade material e dissociar teoria e prática. O famoso caso do metrô de Budapeste, relembrado por Sartre, aponta nesta direção: “o metrô de Budapeste era real na cabeça de Rákosi; se o subsolo da cidade não permitia sua construção era porque o subsolo era contra-revolucionário”. Na 2ª tese sobre Feuerbach (1845) Marx já alerta: é na prática que o homem deve mostrar o caráter terreno de seu pensamento. Sartre repõe a questão entre subjetividade e objetividade, liberdade e História acendendo-nos um farol que nos ilumina ainda hoje. Nosso estudo tem a intenção de mostrar a atualidade da crítica sartriana ao materialismo dogmático, bem como a necessidade de partir do homem concreto e da materialidade, aqui e agora, para compreender, criticar e agir sobre a realidade histórica que nos circunda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Dutra Mattos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS, Porto Alegre, RS, Brasil); bolsista Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Referências

CASTRO, Fabio Caprio Leite de. A ética de Sartre. Porto Alegre: Loyola, 2016.

ENGELS, Friedrich. Letter 16, to Joseph Bloch: London, 21[-22] September, 1890. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Collected Works: Letters 1890-1892. London: Lawrence & Wishart, 2001. v. 49.

ENGELS, Friedrich. Letter 150, to W. Borgius: London, 25 January, 1894. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Collected Works: Letters 1892-1895. Vol. 50. London: Lawrence & Wishart, 2004.

LEFEBVRE, Henri. De lo rural a lo urbano. 4. ed. Barcelona: Península, 1978.

MÉSZÁROS, I. A obra de Sartre. Trad. Rogério Bettoni. São Paulo: Boitempo, 2012.

MARX, Karl. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. São Paulo: Boitempo, 2007.

MATTOS, Marcus de Dutra. Sartre e Lukács: Notas para um acerto de contas In: CASTRO, Fabio Caprio Leite de; NORBERTO, Marcelo S. (org.). Sartre Hoje: volume 1. Porto Alegre: Fi, 2017. p. 189-206.

SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do Ego. Lisboa: Colibri, 1994.

SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do Ego: esboço de uma descrição fenomenológica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. Crítica da Razão Dialética. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

SARTRE, Jean-Paul. Critique de la Raison dialectique. Tome I – Théorie des ensembles pratiques, précédé de Questions de méthode. Paris: Gallimard, 1960.

SARTRE, Jean-Paul. La Transcendance de l’Ego: Esquisse d’une Description Phénoménologique. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin, 2003.

SARTRE, Jean-Paul. L’être et le néant: essai d’ontologie phénoménologique. Paris: Gallimard, 1969.

SARTRE, Jean-Paul. L’Idiot de la Famille – Gustave Flaubert de 1821 à 1857. Vol. I. Paris: Gallimard, 1988 (1971).

SARTRE, Jean-Paul. O idiota da família, v1. Trad. Julia da Rosa Simões. Porto Alegre: L&PM, 2013.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada - Ensaio de ontologia fenomenológica. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SARTRE, Jean-Paul. Questão de método. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1968.

Publicado
2020-06-10
Como Citar
Mattos, M. D. (2020). Notas sobre o subsolo contrarrevolucionário de Budapeste. Intuitio, 13(1), e36652. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2020.1.36652
Seção
Artigos