Linguagem, Convenção e Conhecimento no Crátilo de Platão

Palavras-chave: Platão, Crátilo, Linguagem, Convencionalismo

Resumo

O Crátilo é bastante enigmático quanto à forma com que encerra sua discussão sobre a justificação dos nomes, uma vez que planta a pergunta de como proceder ao conhecimento das coisas elas mesmas. Sendo assim, o desvelamento e clarificação da posição platônica contida no diálogo não poderiam deixar de ser assunto de muitas disputas e estudos. Este artigo tem por objetivo contrapor-se particularmente à visão de que Sócrates, ao final da obra, tome partido do convencionalismo com relação aos nomes, algo que é argumentado por Ademollo em seu importante comentário ao diálogo. Para tanto, faremos uma pequena análise das posições naturalista e convencionalista contida na discussão entre Hermógenes e Crátilo, para que, depois, sejamos conduzidos a uma reinterpretação daquilo que aqui apelidamos de “via socrática” levando em conta os vários elementos textuais presentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássio Mercier Ramos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, SP, Brasil

Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em São Paulo, SP, Brasil.

Referências

ACKRILL, J. L. Language and Reality in Plato’s Cratylus. In: Essays on Plato and Aristotle. Oxford: Oxford University Press, 1997, p. 33-52.

ADEMOLLO, F. The Cratylus of Plato: a commentary. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.

ALCINO. Enseignement des doctrines de Platon. Paris: Les Belles Lettres, 1990.

AQUINO, T. de. Comentário ao Sobre a Interpretação de Aristóteles. Campinas: Vide Editorial, 2018.

ARISTÓTELES. Metafísica. Tradução de Marcelo Perine. São Paulo: Edições Loyola, 2015. v. II.

ARISTÓTELES. Poética. Tradução de Paulo Pinheiro. São Paulo: Editora 34, 2015.

BAGWELL, G. S. A Study of Plato’s Cratylus. 2010. Tese [Doutorado em Filosofia] – Duquesne University, Pittsburgh, 2010. Disponível em: https://dsc.duq.edu/etd. Acesso em: 2 jan. 2019.

DEMOS, R. Plato’s Philosophy of Language. The Journal of Philosophy, [S. I.], v. 61, n. 20, p. 595-610,1964.

DIELS, H.; KRANZ, W. Die Fragmente der Vorsokratiker. Zürich: Weidmann, 1996.

DIES, A. La Définition de l’Être et la Nature des Idées dans le Sophiste de Platon. Paris: Félix Alcan, 1909.

FRIEDLÄNDER, P. Plato: The Dialogues, First Period. Translation by Hans Meyerhoff. New York: Pantheon Books, 1964. v. 2.

LICATA, G. Teoria dei nomi e teoria ele idee in Platone. Dialegesthai. Rivista Telemática di filosofia, Roma, ano 3, 2002. Disponível em: http://mondodomani.org/dialegesthai/gl01.htm. Acesso em: 18 nov. 2018.

PLATÃO. A República. Tradução de Pietro Nassetti. São Paulo: Martin Claret, 2009.

PLATÃO. Cartas e Epigramas. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2012.

PLATÃO. Crátilo. Tradução de Celso de Oliveira Vieira. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2014.

PLATÃO. Diálogos I. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2007.

PLATÃO. Diálogos IV. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2015.

PLATÃO. Diálogos V. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2010.

PROCLO. Lecturas del Crátilo de Platón. Madrid: Ediciones Akal, 1999.

REALE, G. Para uma Nova Interpretação de Platão. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

SEDLEY, D. Plato’s Cratylus. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

SEDLEY, D. Plato on Language. In: BENSON, H. (ed.). A Companion to Plato. Oxford: Blackwell Publishing, 2006. p. 214-227.

VAZ, H. C. de L. Contemplação e dialética nos diálogos platônicos. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

XENOFONTE. Ditos e Feitos Memoráveis de Sócrates. São Paulo: Nova Cultura, 1999.

Publicado
2021-09-02
Como Citar
Ramos, C. M. (2021). Linguagem, Convenção e Conhecimento no Crátilo de Platão. Intuitio, 14(1), e35776. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2021.1.35776
Seção
Artigos