Gnosticismo e Niilismo em Han Jonas: o pneumáticos gnóstico enquanto primórdio do “indivíduo autêntico” existencialista

  • Renzo Nery Empregatício: Pontifícia Universidade Católica de Goiás Estudo: Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Hans Jonas, Panvitalismo, Evolucionismo

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar alguns aspectos relacionais do gnosticismo dos primeiros séculos cristãos e sua relação com o niilismo moderno, por meio da “interpretação existencial do gnosticismo” de Hans Jonas. Um desses aspectos investiga o esforço intelectual do filósofo em localizar no gnosticismo meios analíticos essenciais à sua interpretação do niilismo existencialista, em especial o heideggeriano. Para isso, faz-se necessário compreender como ambas as perspectivas – gnóstica e existencialista – negam a ordenação do cosmos rumo a um conceito de bom, dividem entre si a transcendência do eu acósmico e situam suas noções de indivíduo – o pneumáticos gnóstico e “indivíduo autêntico” existencialista – acima de qualquer lei moral ou nomos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renzo Nery, Empregatício: Pontifícia Universidade Católica de Goiás Estudo: Universidade Estadual de Campinas
É Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUC-GO (2003); Mestre em Filosofia (linha de pesquisa em Filosofia Política) pela Universidade Federal de Goiás - UFG (2007) e Doutorando em Filosofia (linha de pesquisa em Filosofia Política) pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Atualmente, trabalha como professor horista efetivo na predita instituição, onde exerce o cargo de coordenador geral de graduação e orienta trabalhos de conclusão de curso. Tem experiência docente superior nas disciplinas de Teoria das Relações Internacionais, Cooperação Internacional, Integração Regional, História das Relações Americanas, Organizações Internacionais I e II, Ética nas Relações Internacionais, Metodologia da Investigação Científica, Bioética e o Exercício da Profissão, Antropologia Filosófica, História e Filosofia da Ciência, Introdução aos Estudos Filosóficos, Ética Profissional e Ética Jurídica, para diversos cursos de graduação em instituições como: PUC-GO, Faculdade Ávila, Faculdade Betel de Goianésia e Faculdade Alfredo Nasser. Possui ainda prática profissional no desenvolvimento de projetos de cunho cultural e educacional, além de atuar como tradutor (português-inglês) de livros e filmes pelo Instituto Casa Brasil de Cultura e pela Barlavento Ações Educacionais. Sua ênfase epistemológico-acadêmica é em Filosofia Política e Relações Internacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria das Relações Internacionais, Clássicos da Filosofia Política, Filosofia Moderna e Contemporânea, relação homem-natureza, metafísica e ética.

Referências

JONAS, Hans. The Phenomenon of Life: Toward a Philosophical Biology. Illinois: Northwestern University Press, 2001.

______. O Princípio Vida: fundamentos para uma biologia filosófica. Trad: Carlos Almeida Pereira. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A Natureza. Trad: Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

Referências eletrônicas

Encyclopedia Britannica: Facts Matter. Disponível em: <http://www.britannica.com/>. Acesso em: 24 julho 2012.

Publicado
2015-07-31
Como Citar
Nery, R. (2015). Gnosticismo e Niilismo em Han Jonas: o pneumáticos gnóstico enquanto primórdio do “indivíduo autêntico” existencialista. Intuitio, 8(1), 123-142. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2015.1.18430
Seção
Artigos