A alienação em Marx

Palavras-chave: Teoria marxiana, Manuscritos Econômicos-filosóficos, Alienação

Resumo

A alienação é uma categoria extremamente complexa, de difícil entendimento, principalmente quando estudada a partir de certas obras de Marx, como os Manuscritos Econômicos-filosóficos de 1844, fragmentado e incompleto. Embora tal noção não tenha sido criada no bojo da teoria marxiana, é nessa vertente que ela adquire um entendimento mais alinhado à realidade social, com raízes no plano econômico. Nos valendo de uma revisão de literatura centrada no tema, esse artigo objetiva uma aproximação ao termo, uma contribuição ao seu entendimento, cujos determinantes que lhe emoldura encontram seu nexo de objetividade sob as configurações estruturais da sociedade burguesa, dominada pelo capital. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvio Redon, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, PR, Brasil.

Mestre em Serviço Social e Política Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em Londrina, PR, Brasil. Doutorando em Serviço Social e Política Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em Londrina, PR, Brasil. Assistente social da Prefeitura Municipal de Laranjeiras do Sul, em Laranjeiras do Sul, PR, Brasil.

Eliane Christine Santos de Campos, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, PR, Brasil.

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em São Paulo, SP, Brasil. Professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Estadual de Londrina (UEL), em Londrina, PR, Brasil.

 

Referências

ANTUNES, R. A constituição do proletariado e sua práxis revolucionária. In: NETTO, J. P. (org.). Curso livre Marx-Engels. A criação destruidora. São Paulo: Boitempo, Carta Maior, 2015. p. 97-114.

GRESPAN, J. Marx: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2021.

LOWY, M.; DUMÉNIL, G.; RENAULT, E. 100 palavras do marxismo. São Paulo: Cortez, 2015.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo, 2012.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MANDEL, E. A formação do pensamento econômico de Karl Marx. De 1843 até a redação de O Capital. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968

MANDEL, E. Iniciação à teoria econômica. Rio de Janeiro: Livraria Página LTDA., 1975. Reedição fac-símile

MARX, K. O Capital: Crítica da economia política. Livro Primeiro: O processo de produção do capital. Tomo I. Prefácios e Capítulos I a XII. São Paulo: Abril Cultural, 1983. v. I.

MARX, K. Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K.; ENGELS, F. A história dos homens (A ideologia Alemã). In: FERNANDES, F. (org.). K. Marx, F. Engels: história. 2. ed. São Paulo: Ática, 1984. p. 182-214.

MÉSZÁROS, I. A teoria da alienação em Marx. São Paulo: Boitempo, 2006.

NETTO, J. P. O Manifesto Comunista: limites e grandeza teórico-política. In: NETTO, J. P. (org.). Curso livre Marx-Engels. A criação destruidora. São Paulo: Boitempo, Carta Maior, 2015c. p. 55-72.

QUEIROZ, P. P. Neodesenvolvimentismo e contrarrevolução no Brasil (2003-2016): crítica à economia política do campo democrático-popular. 2016. 665 fls. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Serviço Social, Rio de Janeiro, 2016.

TONET, I. Método Científico: uma abordagem ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013.

WILLIAMS, R. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.

Publicado
2022-07-12
Como Citar
Redon, S., & Campos, E. C. S. de. (2022). A alienação em Marx. Textos & Contextos (Porto Alegre), 21(1), e43021. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2022.1.43021
Seção
Artigos e Ensaios