A crítica de Hegel à Filosofia Moral kantiana depois de Rawls

Palavras-chave: Imperativo categórico, Formalismo, Procedimento, Valor moral, Dialética

Resumo

O artigo visa mostrar que a crítica de Hegel à Filosofia Moral kantiana, a partir a interpretação de Rawls, deve ser revista em alguns aspectos, tais como: a aplicação do imperativo categórico; o problema do formalismo e o próprio construtivismo moral em Kant. Uma reconstrução dos principais aspectos da interpretação rawlsiana da Filosofia prática de Kant é necessária, considerando a crítica hegeliana. Essa é explicitada tendo em vista os avanços que ela representa dentro de uma perspectiva dialética e de possíveis reparos que a ela podem ser feitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thadeu Weber, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

BERTOMEU, M. J. Recepción y vigência de la ética kantiana en el siglo xix y comienzos del xx. 1988. Tese (Doutorado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia, Universidade de La Plata, La Plata, 1988.

HEGEL, G. W. F. Sobre las maneiras de tratar cientificamente el derecho natural. Madrid: Aguilar, 1979.

HEGEL, G. W. F. Grudlinien der Philosophie des Rechts. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1986.

HEGEL, G. W. F. Principios de la Filosofia del Derecho o Derecho Natural y Ciencia Política. Traduzido por Juan Luis Vermal. Buenos Aires: Editorial Dudamericana, 1975.

HONNETH, A. Sofrimento de Indeterminação: uma reatualização da Filosofia do Direito de Hegel. São Paulo: Esfera Pública, 2007.

RAWLS, J. O Liberalismo Político. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

RAWLS, J. História da Filosofia Moral. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PATON, H. J. The Categorical Imperative: A Study in Kant’s Moral Philosophy. Filadelfia: University of Pennsylvania Press. 1971.

KANT, I. Kritik der Praktischen Vernunft. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1974

KANT, I. Grundlegung zur Mataphysik der Sitten. Frankfurt am Main: Suhrkamp,1974.

KANT, I. A Paz Perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, 1986.

SEUNG, T. K. Kant’s Platonic Revolution in Moral and Political Philosophy. London: The Hopkins V. Press, 1994.

WEBER, T. Ética e Filosofia Política: Hegel e o formalismo kantiano. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1999.

WEBER, T. Ética e Filosofia do Direito: autonomia e dignidade da pessoa humana. Petrópolis: Vozes, 2013.

Publicado
2021-09-03
Como Citar
Weber, T. (2021). A crítica de Hegel à Filosofia Moral kantiana depois de Rawls. Textos & Contextos (Porto Alegre), 20(1), e40340. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2021.1.40430
Seção
Artigos e Ensaios