Validação de instrumento de acompanhamento de egressos da pós-graduação stricto sensu na área do Serviço Social

Palavras-chave: Estudo de validação, Educação de pós-graduação, Egresso

Resumo

O objetivo do estudo foi validar um instrumento para acompanhamento de egressos de programas de pós graduação stricto sensu na área do Serviço Social, realidade essa que se mantém como um desafio para todos os programas no Brasil. Trata-se de estudo de validação de conteúdo, retrospectivo e descritivo, com abordagem quanti-quantitativa, para averiguar se os itens do instrumento representam adequadamente o constructo em foco, nesse caso, o acompanhamento de egressos. As dimensões do instrumento foram categorizadas em cinco eixos: caracterização dos egressos; formação profissional; produção intelectual; atividade de ensino, pesquisa e extensão; e atividade político-organizativa, que vêm possibilitando avançar no sentido do efetivo acompanhamento dos egressos, na elaboração de estratégias para melhoria da gestão do programa e críticas reflexivas sobreo sistema de formação ao nível stricto sensu no Brasil. Conclui-se que a opção por validação de conteúdo foi suficiente não só para o acompanhamento de egressos como desempenho do domínio de interesse do estudo mas, também, se revelou como estratégia na corresponsabilização do corpo docente do programa nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Carlota de Rezende Coelho, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), Vitória, ES, Brasil.

Doutora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; docente e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), em Vitória, RJ, Brasil.

Gissele Carraro, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), Vitória, ES, Brasil.

Doutora, Mestra e Assistente Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, RS, Brasil; docente e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), em Vitória, RJ, Brasil.

Janine Pereira da Silva, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), Vitória, ES, Brasil.

Doutora pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil; docente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM), em Vitória, RJ, Brasil; e coordenadora do Programa Institucional de Iniciação Científica da mesma instituição.

Referências

BARBOSA, D. M. de M.; GUTFILEN, B.; GASPARETTO, E. L.; KOCH, H. A. Análise do perfil dos egressos do Programa de Pós-Graduação em Medicina (Radiologia) da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Radiologia Brasileira, São Paulo, v. 42, n. 2, p. 121-124, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-39842009000200011. Acesso em: 13 jul. 2020.

BRASIL. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Seção 1. p. 59. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 maio 2016. Seção 1. p. 44-46. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html. Acesso em: 13 jul. 2020.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Mulheres são maioria na pós-graduação brasileira. Brasília, DF: Capes, 2017. Disponível em: https://www.capes.gov.br/36-noticias/8315-mulheres-sao-maioria-na-pos-graduacao-brasileira. Acesso em: 15 jun. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Superior: microdados 2014-2016. Brasília, DF: Inep, 2017.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). GT Impacto e Relevância Econômica e Social: Relatório Final de Atividades. Brasília, DF: Capes, 2019. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/RELATORIOS_GTS/2020-01-03_Relat%C3%B3rio_GT-Impacto-e-Relevancia-Economica-e-Social.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Ficha de Avaliação Área Serviço Social. Brasília, DF: Capes, 2020. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/FICHA_AVALIACAO/Ficha_Avaliacao_servico_social.pdf. Acesso em: 18 ago. 2020.

CARVAJAL, A.; CENTENO, C.; WATSON, R.; MARTÍNEZ, M.; RUBIALES, Á. Sanz. ¿Cómo validar un instrumento de medida de la salud? Anales Sis San Navarra, Pamplona, v. 34, n. 1, p. 63-72, ene./abr. 2011. Disponível em: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s1137-66272011000100007. Acesso em: 18 ago. 2020.

COELHO, M. C. de R.; SILVA, J. P. da. Acompanhamento de egressos como instrumento de gestão. Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 470-478, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3215/321554297015.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

GRACIETTI, L.; YAMAGUCHI, C. K. Processo de empoderamento de mulheres pesquisadoras que atuam nos programas de mestrados e doutorados na serra catarinense. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE CONHECIMENTO E INOVAÇÃO (CIKI), 2019, Santa Catarina. Anais [...]. Santa Catarina: PPGE/UFSC, 2019. Disponível em: http://proceeding.ciki.ufsc.br/index.php/ciki/issue/current. Acesso em: 13 jul. 2020.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MATTOS, V. de B. Pós-graduação em tempos de precarização do trabalho. Alongamento da Escolaridade e Alternativa ao Desemprego. São Paulo: Xamã, 2011.

MONTEIRO, G. T. R.; HORA, H. R. M. da. Pesquisa em saúde pública: como desenvolver e validar instrumentos de coleta de dados. Curitiba: Appris, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Henrique_Da_Hora/publication/261562381_Pesquisa_em_Saude_Publica_Como_Desenvolver_e_Validar_Instrumentos_de_Coleta_de_Dados/links/59f08c06a6fdcc1dc7b5fe1f/Pesquisa-em-Saude-Publica-Como-Desenvolver-e-Validar-Instrumentos-de-Coleta-de-Dados.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

PRATES, J. C. O método marxiano de investigação e o enfoque misto na pesquisa social: uma relação necessária. Revista Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 11, n. 1, p. 116-128, jan./jul. 2012. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/7985/2/O_metodo_marxiano_de_investigacao_e_o_enfoque_misto_na_pesquisa_social_uma_relacao_necessaria.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

PEREIRA, F. S.; NETO, I. R. Ações afirmativas: quem são os discentes da pós-graduação no Brasil? Revista Educação, Artes e Inclusão, Santa Catarina, v. 15, n. 4, p. 105-127, 2019. Disponível em: http://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/13072. Acesso em: 13 jul. 2020.

RAYMUNDO, V. P. Construção e validação de instrumentos: um desafio para a psicolinguística. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 44, n. 3, p. 86-93, jul./set. 2009. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/5768/4188. Acesso em: 13 jul. 2020.

SAMPIEIRI, R. H. Metodologia de la Investigación. 6. ed. Espanha: McGraw-Hill Interamericana de España S.L, 2014. Disponível em: https://periodicooficial.jalisco.gob.mx/sites/periodicooficial.jalisco.gob.mx/files/metodologia_de_la_investigacion_-_roberto_hernandez_sampieri.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

SANTOS, L. F. P. et al. As atividades profissionais dos egressos da Pós-Graduação em Odontologia na área de Saúde Coletiva. Revista da ABENO, Londrina, v. 17, n. 3, p. 56-66, 2017. Disponível em: https://revabeno.emnuvens.com.br/revabeno/article/view/387. Acesso em: 13 jul. 2020.

SANTOS, G. B. et al. Similaridades e diferenças entre o Mestrado Acadêmico e o Mestrado Profissional enquanto política pública de formação no campo da Saúde Pública. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, p. 941-952, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v24n3/1413-8123-csc-24-03-0941.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

SCHILLINGS, A. Processo de estresse em mestrandos. 2005. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102851. Acesso em: 13 jul. 2020.

TEIXEIRA, E. C. As dimensões da participação cidadã. Caderno CRH, Salvador, n. 26/27, p. 179-209, jan./dez. 1997. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/crh/article/view/18669/12043. Acesso em: 13 jul. 2020.

VIEITO, A. C. E.; MUNHOZ, D. D.; ANDRÉA, G. F. M. Elites e Poder no Campo Científico: a Questão das Cotas para Negros na Pós-Graduação Stricto Sensu no Brasil. Revista de Ciências Jurídicas, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 35-41, 2018. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/juridicas/article/view/4283/4217. Acesso em: 13 jul. 2020.

Publicado
2021-07-01
Como Citar
Coelho, M. C. de R., Carraro, G. ., & da Silva, J. P. . (2021). Validação de instrumento de acompanhamento de egressos da pós-graduação stricto sensu na área do Serviço Social. Textos & Contextos (Porto Alegre), 20(1), e39192. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2021.1.39192
Seção
Artigos e Ensaios