A atualidade da estratégia baseada na dualidade de poder

Palavras-chave: Duplo poder, Marxismo, Revolução Russa

Resumo

O objetivo desse artigo é tratar do significado do fenômeno do “duplo poder”, algo presente desde as revoluções burguesas até as revoluções proletárias. Os sovietes (conselhos) de trabalhadores das Revoluções Russas de 1905 e 1917 ganham destaque no texto como exemplos da dualidade de poder. A questão que surge é se toda a revolução proletária deve necessariamente passar por um momento de duplo poder, ou, ao contrário, o choque entre dois Estados é algo que se tornou anacrônico. O texto contém observações de autores que participaram ativamente de revoluções, como Marx, Engels, Lênin, Trotsky, Zinoviev, Rosa Luxemburgo e Gramsci, além de diversos comentadores. Com este texto pretende-se contribuir com o debate sobre a estratégia a ser assumida pelo proletariado mundial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Frota Dillenburg, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, SP, Brasil; professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ANWEILER, Oskar. Los soviets en Rusia (1905-1921). Madrid: Zero, 1975.

ACHCAR, Gilbert. A revolução russa. In: LÖWY, Michael (org.). Revoluções. São Paulo: Boitempo, 2009, p. 71-81.

BARSSOTI, Paulo. “Estamos aqui pela humanidade!” Viva a Comuna de Paris de 1871! Revista Brasil Revolucionário, [S. I], n. 29, 2001. Disponível em: http://www4.pucsp.br/neils/downloads/v8_paulo_basotti.pdf. Acesso em: 3 ago. 2020.

BENOIT, Hector. Sobre a crítica (dialética) de O Capital. Revista Crítica

Marxista, São Paulo, n. 3, p. 14-44, 1996. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/artigo16Art1.2.pdf. Acesso em: 4 jun. 2021;

BENOIT, Hector. Sobre o desenvolvimento (dialético) do programa. Revista Crítica Marxista, São Paulo, n. 4, p. 9-44, 1997. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/artigo22Artigo1.pdf. Acesso em: 4 jun. 2021.

BENOIT, Hector. Platão e as temporalidades: a questão metodológica. São Paulo: Annablume, 2015.

BENOIT, Hector. Reflexões sobre o esquecimento do programa marxista. In: GALVÃO, Andréia; NETO, Benedito Moraes et al. (org.). Marxismo e socialismo no século 21. Campinas: UNICAMP/IFCH: Xamã, 2005. p. 87-98.

BENOIT, Hector. A odisseia de Platão: as aventuras e desventuras da dialética. São Paulo: Annablume, 2017.

BROUÉ, Pierre. O partido bolchevique. São Paulo: Instituto José Luís e Rosa Sundermann, [197-]. v. 1.

BROUÉ, Pierre. O partido bolchevique. São Paulo: Instituto José Luís e Rosa Sundermann, [197-]. v. 2.

DILLENBURG, Fernando Frota. Gramsci e o novo programa. 2011. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 1.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 2.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 3.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 4.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 5.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. v. 6.

GRAMSCI, Antonio. Escritos políticos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

LENIN, Vladimir Ilitch. El “izquierdismo”, enfermedad infantil del comunismo. México: Akal, 1978. (Obras completas, t. XXXIII).

GRAMSCI, Antonio. En memoria de la comuna. México: Akal, 1978. (Obras completas, t. XVII).

LUXEMBURGO, Rosa. Greve de massas, partido e sindicatos. Coimbra: Centelha, 1974.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Mensagem do Comitê Central à Liga dos Comunistas. São Paulo: Alfa-Ômega, [195-]. (Obras escolhidas).

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto comunista. São Paulo: Boitempo, 2010.

MIÉVILLE, China. Outubro: história da revolução russa. São Paulo: Boitempo, 2017.

PADIAL, Rafael de Almeida. Ascensão e queda do Programa de Transição. Parte 1. In: Transição Socialista. [S. I], 28 maio, 2015. Disponível em: http://www.transicao.org/negacaodanegacao/producoes-teoricas/ascensao-e-queda-do-programa-de-transicao-parte-1. Acesso em: 4 jun. 2021.

PLATÃO. Diálogos. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os pensadores)

PLATÃO. As leis. 2. ed. Bauru: EDIPRO, 2010.

TESIS, manifiestos y resoluciones adoptados por los cuatro primeros congresos de la Internacional Comunista (1919-1923). Textos completos. 2017. Disponível em: https://www.marxists.org/espanol/comintern/eis/4-Primeros3-Inter-2-edic.pdf. Acesso em: 4 jun. 2021.

TROTSKY, Leon. A história da revolução russa. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

TROTSKY, Leon. O programa de transição: a agonia do capitalismo e as tarefas da Quarta Internacional. São Paulo: Týkhe, 2009.

ZINOVIEV, Grigori. Quando e sob quais condições podem ser criados os sovietes operários? In: PINHEIRO, Milton; MARTORANO, Luciano Cavini (org.). Teoria e prática dos conselhos operários. São Paulo: Expressão Popular, 2013. p. 85-88.

Publicado
2021-07-01
Como Citar
Dillenburg, F. F. (2021). A atualidade da estratégia baseada na dualidade de poder. Textos & Contextos (Porto Alegre), 20(1), e39058. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2021.1.39058
Seção
Artigos e Ensaios