Da relevância do materialismo histórico dialético para uma análise feminista

Palavras-chave: Materialismo histórico dialético, feminismo, marxismo

Resumo

Este artigo tem por objetivo dar uma contribuição ao debate teórico-metodológico do feminismo, tomado por uma perspectiva política e científica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e bibliográfica, cuja base teórica se encontra em livros e artigos científicos, clássicos e contemporâneos. A argumentação se desenvolve no sentido de uma crítica a apropriações do método de Karl Marx que desviam seus fundamentos e recaem, por um lado, no economicismo, e, por outro lado, no politicismo. Feitas as críticas, avançamos para a relevância do uso do materialismo histórico dialético para uma leitura da realidade concreta que, da ótica feminista, avance no sentido de uma luta unificada contra o capitalismo e pela derrocada do patriarcado e do racismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia de Cássia Godoi Moraes, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, ES, Brasil.

Doutora em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil; professora na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Trabalho e Práxis.

Referências

ARRUZZA, Cinzia. Ligações perigosas: casamentos e divórcios entre marxismo e feminismo. São Paulo: Usina, 2019. [2010].

BAKAN, Abigail B. Marxismo e antirracismo: repensando a política da diferença. Revista Outubro, n. 27, nov. 2016.

BENSAÏD, Daniel. Espetáculo, fetichismo, ideologia/um livro inacabado. Fortaleza: Plebeu, 2019.

BHATTACHARYA, Tithi. O que é a teoria da reprodução social? Revista Outubro, n. 32, 1º semestre. 2019.

BONA JÚNIOR, Aurélio. A ontologia de Lukács e a sexualidade em perspectiva emancipatória. Filosofia e Educação (Online); Revista Digital Paideia, Campinas, v. 3, n. 2, p. 18-43, out. 2011/mar. 2012. https://doi.org/10.20396/rfe.v3i2.8635448

COSTA, Gilmaisa Macedo da. Indivíduo e sociedade: sobre a teoria da personalidade em Georg Lukács. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

COUTINHO, Carlos Nelson. O estruturalismo e a miséria da razão. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

DIAS, Edmundo Fernandes. Gramsci e a política hoje. Universidade e Sociedade, Brasília, DF, ano XI, n. 27, p. 129-144, jun. 2002.

FEDERICI, Silvia. El Patriarcado del Salario: “Lo que llaman amor, nosotras lo llamamos trabajo no pagado”, 21, p. [1-8], abr. 2015. Disponível em https://comunitariapress.wordpress.com/2015/04/21/el-patriarcado-del-salario-lo-que-llaman-amor-nosotras-lo-llamamos-trabajo-no-pagado/. Acesso em 04, jul., 2016.

GUILLAUMIN, Colette. Prática do poder e ideia de natureza. In: FERREIRA et al. (org.). O patriarcado desvendado: teorias de três feministas materialistas. Recife: SOS Corpo, 2014. p. 27-100.

KOHAN, Nestor. A herança do fetichismo e o desafio da hegemonia em uma época de rebeldia generalizada. Novos Rumos, Maríla, SP, v. 48 n. 22, p. 12-31, 2007. Disponível em https://www2.marilia.unesp.br/index.php/novosrumos/article/view/4824. Acesso em: 26 abr. 2020.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MORAES, Lívia de Cássia Godoi. Feminismo e marxismo: contribuições para o debate por Hartmann, Young e Arruzza. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E O MARXISMO “MARXISMO SEM TABUS: ENFRENTANDO OPRESSÕES”, 2019. Anais [...]. Niteroi, RJ: UFRJ, 2019. p. 1-12. Disponível em: http://www.niepmarx.blog.br/MM2019/anais2019.htm. Acesso em: 03 jan. 2020.

MORAES, Lívia de Cássia Godoi. Pressupostos teórico-metodológicos para uma análise feminista: da relevância do materialismo histórico dialético. In: JORNADAS DE ECONOMÍA CRÍTICA, 10., 2017, Los Polvorines. Anais [...]. Los Polvorines: Universidade General Sarmiento, 2017. p. 1-16.

ROCHA, Islânia Lima da. Apontamentos acerca da vida cotidiana e o processo de conhecimento. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE TRABALHO E REPRODUÇÃO SOCIAL: CRISE CONTEMPORÂNEA, DESAFIOS DO CONHECIMENTO E LUTAS SOCIAIS, 016., 1, 19-26 out. Maceio. Anais [...]. Maceio: [s. n.], 2016. Trabalho 15.

SAFFIOTI, Heleieth. Movimentos Sociais, face feminina. In: CARVALHO, N. V. (org.). A Condição Feminina. São Paulo. Vértice: Revista dos Tribunais, 1988. p. 143-188.

SAFFIOTI, Heleieth. “Novas perspectivas metodológicas de investigação das relações de gênero”. In: Moraes Silva, Maria Aparecida (org.) Mulher em seis tempos. Araraquara: Faculdade de Ciências e Letras - Unesp, 1991. p. 141-176.

SANTOS, Silvana Mara de Morais. Diversidade sexual: fonte de opressão e de liberdade no capitalismo. Argumentum. Vitória, v. 9, n. 1, p. 8-20, jan./abr. 2017. https://doi.org/10.18315/argum..v9i1.15773

TERTULIAN, Nicolás. Marx: uma filosofia da subjetividade. Outubro Revista, [s. l.], n. 10, p. 7-16, 2004.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
de Cássia Godoi Moraes, L. . (2020). Da relevância do materialismo histórico dialético para uma análise feminista. Textos & Contextos (Porto Alegre), 19(2), e37831. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2020.2.37831
Seção
Artigos e Ensaios