Serviço Social e a intervenção com famílias

Contribuições para uma concepção crítica e interseccional na garantia de direitos

Palavras-chave: Direitos, Intervenção, Família, Forma-trabalho, Serviço Social

Resumo

O presente artigo tem por objetivo debater possíveis caminhos para uma intervenção com famílias para além das demandas institucionais sob à luz dos Fundamentos Histórico Teórico e Metodológicos do Serviço Social bem como do projeto ético-político da profissão. O estudo se propõe, no seu núcleo reflexivo, percorrer os caminhos teórico-metodológicos sobre a categoria família, apreendendo-a para além do senso comum e das reproduções de costumes e moralidades do cotidiano. Busca dar ênfase na reflexão sobre a construção sócio histórica dos direitos e da concepção normativa e teórica da família e a articulação destes processos com a construção da própria identidade profissional e de sua dimensão técnica-operativa. A partir de uma pesquisa bibliográfica e documental, o presente artigo direciona apontamentos para uma teoria crítica e interseccional de análise da categoria família enquanto forma-trabalho (JACQUES, 2017), buscando estabelecer para além da lógica do julgamento e do ajustamento, fruto dos resquícios do Serviço Social de Caso e do ecletismo na apropriação epistemológica em que o tema era tratado nas nossas intervenções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Oliveira Jacques, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestranda em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); assistente social na Secretaria Municipal de Assistência Social (SMFCAS) em Gravataí, RS, Brasil; perita da Justiça Federal do Rio Grande do Sul (JFRS), no RS, Brasil.

Jairo da Luz Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil.

Doutor em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Referências

ALVES, Giovanni. Trabalho, subjetividade e capitalismo manipulatório. O novo metabolismo social do trabalho e a precarização do homem que trabalha. 2010. Disponível em: http://www.giovannialves.org/artigo_giovanni%20alves_2010.pdf. Acesso: 15 de out. 2017

ARIÈS, P. A história social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981

BAPTISTA, Myrian Veras. Algumas reflexões sobre o sistema de garantia de direitos.Serv. Soc. Soc., São Paulo , n. 109, p. 179-199, Mar. 2012 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282012000100010&lng=en&nrm=iso>. access on 15 Nov. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-66282012000100010.

BRASIL. Código Civil, Brasília: Senado, 1916. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L3071.htm. Acesso em 10 de out. 2017

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, Brasília: Senado, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm Acesso em: 15 jul. 2017.

BRASIL. Lei Orgânica da Assistência Social. Brasília: Senado, 1993. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8742compilado.htm. Acesso em: 15 de out. 2017

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Nota técnica tutela, curatela e administração de bens sem a devida nomeação legal e as implicações para o trabalho dos/das assistentes sociais. Brasília; CFSS, 2017. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/CFESS-NotaTecnica-GestaoEdeBatalhas-TutelaCuratela.pdf. Acesso em: jan. 2020.

DIAS, Maria Olivia. Um olhar sobre a família na perspectiva sistémica o processo de comunicação no sistema familiar. Revista Gestão e Desenvolvimento, 19, p. 139-156, 2011. https://doi.org/10.7559/gestaoedesenvolvimento.2011.140.

DILL, Michele Amaral; CALDERAN, Thanabi Bellenzier. Evolução histórica e legislativa da família e da filiação. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIV, n. 85, fev 2011.

ENGELS, Friedrich. A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado. 1984. Disponível em:http://www.dhnet.org.br/direitos/anthist/marcos/hdh_engels_origem_propriedade_privada_estado.pdf. Acesso em 17 de out. 2017

FÁVERO, Eunice. O Serviço Social Judiciário construções e desafios com base na realidade paulista. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n 115, p. 506-526, jul./set. 2013. https://doi.org/10.1590/S010166282013000300006.

FÁVERO, Eunice; MAZUELOS, Elisangela. Serviço Social e acesso à Justiça – reflexões com base na prática de mediação familiar. Revista Serviço Social & Saúde. UNICAMP, Campinas, v. IX, n. 09, p. 39-67, jul. 2010. https://doi.org/10.20396/sss.v9i1.8634875.

FORTES, Alexandre; NEGRO, Antonio; FONTES, Paulo. Pecularidades de E. P.Thompson. In.: NEGRO, Antonio Luigi; SILVA, Sergio (orgs.). E. P.Thompson: as peculiaridades dos ingleses e outros artigos. 3. ed. Campinas: Unicamp, 1998. vol. 2, p. 11-46. (Coleção Textos Didáticos)

GERSHENSON, Beatriz; FERREIRA, Guilherme; AVILA, Liselen; JACQUES, Carla. Juventudes encerradas: extermínio e aprisionamento segundo opressões de classe, raça e gênero. Revista Argumentum, Vitória, v. 9, n. 1, p. 119 133, jan./abr. 2017. https://doi.org/10.18315/argum..v9i1.13724.

JACQUES, C. O. PARA ALÉM DA PERÍCIA SOCIAL: a intervenção com famílias entre direitos, experiências sociais e leis. Trabalho de Conclusão de Curso. PUCRS, 2017.

JACQUES, Carla; LEAL, Graziela. Determinantes sociais e território em sua inter-relação com as famílias e os processos de saúde-doença. Revista Sociais e Humanas, Santa Maria, v. 30, n. 01, p. 75-89, 2017. https://doi.org/10.5902/2317175826620.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. Editora Paz e Terra, 3ª Edição. Rio de Janeiro, 1985.

LEAL, Graziela Milani. Proteção social, sistema de garantia de direitos e intersetorialidade: ministério público e os desafios da atenção Integral ao idoso em uma relação teórico-prática. [Trabalho de Conclusão de Curso].Porto Alegre: PUCRS, Curso de Seviço Social, 2014.

LUKÁCS, Gyorgy. Ontologia do Ser Social. Os princípios ontológicos fundamentais de Marx. Livraria Ciências Humanas, São Paulo. 1979

MARK, Karl. Contribuição à Crítica da Economia Política. 2ª Ed. Editora Popular. São Paulo, 2008.

MARK, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. Editora Boitempo, São Paulo, 2004.

MARK, Karl. Sobre a questão judaica. Editora Boitempo, São Paulo, 2010.

MARK, Karl. O capital. São Paulo, Nova Cultural, Volume I, 1988.

MARTINELLI, Maria Lúcia. (Org.). Pesquisa qualitativa: um instigante desafio. São Paulo: Veras, 1999.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; SOUZA, Edinilsa Ramos de. Violência e saúde como um campo interdisciplinar e de ação coletiva. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 513-531, nov. 1997. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v4n3/v4n3a06.pdf&gt. Acesso em: 19 jul. 2016. https://doi.org/10.1590/S0104-59701997000300006.

MIOTO, R.C.T. Família, trabalho com famílias e Serviço Social. Serviço Social em Revista, Londrina, V. 12, n. 2, jan/jun. 2010.

PEREIRA, Camila Potyara. Proteção social no capitalismo: contribuições à crítica de matrizes teóricas e ideológicas conflitantes. 2013. xiii, 307 f., il. Tese (Doutorado em Política Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

PEREIRA, P. A. Pereira. Pluralismo de bem-estar ou configuração plural da política social sob o neoliberalismo. In Boschetti, Ivanete et al. Política Social: alternativas ao neoliberalismo. Brasília: UNB/PPG em Política Social/SER, 2004. P. 135 – 160.

PONTES, Reinaldo. Mediação e Serviço Social. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2000.

POSTER, M. Teoria Crítica da Família. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

PRATES, Jane. A Questão dos Instrumentais Técnico-Operativos numa Perspectiva Dialético Crítica de Inspiração Marxiana. Revista Textos e Contextos nº3. Porto Alegre: 2003.

RIBEIRO, Cristine. Problematizando o instrumento visita domiciliar. Sociedade em Debate, Pelotas. v. 16, n. 1, p. 209-21, 2010. Disponível em: http://www.revistas.ucpel.tche.br/index.php/rsd/article/view/346. Acesso em: 17 out. 2017

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Editora Letramento: São Paulo. 2017

SADER, Eder & PAOLI, Maria Célia. Sobre “classes populares” no pensamento sociológico brasileiro (notas de leitura sobre acontecimentos recentes).In:CARDOSO, Ruth C. L. A aventura antropológica – Teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986

SANTOS, Milton. O dinheiro e o Território. GEOgraphia. Revista da Pós- Graduação em Geografia, UFF. Rio de Janeiro, no1, 1999.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. Trad. Paulo Perdigão. Petrópolis: Vozes, 1997.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

WELTER, Pedro Belmiro. Igualdade entre filiação biológica e socioafetiva. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2003. p. 31.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
Oliveira Jacques, C. ., & da Luz Oliveira, J. . (2020). Serviço Social e a intervenção com famílias: Contribuições para uma concepção crítica e interseccional na garantia de direitos. Textos & Contextos (Porto Alegre), 19(2), e36834. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2020.2.36834
Seção
Artigos e Ensaios