Conjuntura brasileira no séc. XXI: o nó da nossa solidão

Palavras-chave: Dependência. América Latina. Imperialismo. Conjuntura. Resistências.

Resumo

O propósito deste artigo é o de propor uma análise que contribua para apreensão dos principais elementos que determinam a conjuntura brasileira atual, desde as principais dinâmicas econômicas que evidenciam o painel da barbárie que acompanha a tentativa de retomada do circuito de valorização do capital até os elementos mais coetâneos, que atam este contexto mais amplo com os particulares acontecimentos e processos que podem distinguir a atual conjuntura brasileira. Ademais, o objetivo adicional deste artigo é o de pensarmos sobre os processos de resistência, tendo como referência temporal o ano de 2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Augusto de Paiva, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Professora do Departamento de Serviço Social e do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É pesquisadora do Instituto de Estudos Latino-Americanos e coordenadora do PPGSS/UFSC – período 2016-2020.

Dilceane Carraro, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

É professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pesquisadora do Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA/UFSC). Atualmente é coordenadora de graduação em Serviço Social da UFSC.

Mirella Farias Rocha, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

É professora da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pesquisadora do Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA/UFSC).

Referências

ALVES, José Eustáquio. América Latina submergente. Ecodebate. Disponível em: https://www.ecodebate.com.br/2019/07/31/a-america-latina-submergente-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/. Acesso em: 25 out. 2019.

ARCARY, Valério. As Jornadas de Junho de 2013: balanço e perspectivas. Revista Praia Vermelha, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, jul./dez., p. 358-375, 2013.

BAMBIRRA, Vânia. O capitalismo dependente latino-americano. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2013.

BANCO MUNDIAL, B. M. World Bank Open Data. [S. l.]: World Bank, 2016.

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012.

CARCANHOLO, Reinaldo; NAKATANI, Paulo. O capital especulativo parasitário: uma precisão teórica sobre o capital financeiro característico da globalização. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 284-304, 1999.

CECEÑA, Ana Ester (org.). Hegemonias e Emancipações no século XXI. Buenos Aires/São Paulo: CLACSO, 2005.

CECEÑA, Ana Ester. Os desafios das emancipações em contexto militarizado. São Paulo: Expressão Popular: CLACSO, 2008.

CUEVA, Agustín. América Latina en la frontera de los años 90. Quito: Editorial Planeta del Ecuador, 1989.

DOS SANTOS, Theotonio. Socialismo ou fascismo. Florianópolis: Insular, 2018.

ENGELS, Friedrich. Prefácio. In: MARX, Karl. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

FERNANDES, Florestan. Nova República? Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

FERNANDES, Florestan. Sociedade de Classes e desenvolvimento. 5. ed. São Paulo: Global, 2008.

GALEANO, Eduardo. As Veias Abertas da América Latina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

GORENDER, Jacob. Escravismo Colonial. 6. ed. São Paulo: Expressão Popular: Perseu Abramo, 2016.

GUNDER FRANK, A. América Latina: subdesarrollo o revolución. México: Ediciones Era, 1973.

IBGE, I. B. D. G. E. E. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – PNAD Contínua. Brasília, DF: IBGE, 2017.

LEÓN- PORTILLA, Miguel. A conquista da América vista pelos índios. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

LUXEMBURGO, Rosa. A Questão Nacional e a Autonomia. Belo Horizonte, Oficina de Livros, 1988.

JAMES, C. L. R Os Jacobinos Negros: Toussaint L’Ouverture e a revolução de São Domingos. Tradução: Afonso Teixeira Filho. 1. ed. revisada. São Paulo: Boitempo, 2010. https://doi.org/10.5380/rv.v1i6/7.18494

MANDEL, Ernest. Capitalismo Tardio. 2. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Coleção Os Economistas).

MÁRQUEZ, G. Gabriel. A solidão da América Latina. In: MÁRQUEZ, G. Gabriel. Eu não vim fazer um discurso. Rio de Janeiro: Record, 2013.

MARIÁTEGUI, José Carlos. Sete ensaios de interpretação da realidade peruana. São Paulo: Expressão Popular: CLACSO, 2010.

MARIÁTEGUI, José Carlos. Por um socialismo indo-americano: ensaios escolhidos. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2011.

MARINI, Ruy Mauro. Subdesenvolvimento e revolução. 4. ed. Florianópolis: Editora Insular, 2012.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência. In: TRASPADINI, R.; STEDILE, J. P. O. (ed.). Ruy Mauro Marini: vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

MARINI, Ruy Mauro. América Latina: dependência e integração. São Paulo: Página Aberta, 1992.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2018.

MCINTOSH, Kriston; NUNN, Ryan; SHAMBAUGH, Jay. 8 gráficos que mostram quem são os imigrantes que se mudaram para os EUA. BBC News Brasil, 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-46385212. Acesso em: 20 out. 2019.

MÉSZÁROS, István. The structural crisis of capital. New York: Monthly Review Press, 2010.

MOURA, Clovis. Rebeliões da senzala. São Paulo: Anita Garibaldi, 2014.

OSORIO, Jaime. Padrão de Reprodução do Capital: Uma proposta teórica. In: FERREIRA, C.; OSORIO, J., et al. (ed.). Padrão de reprodução do capital: contribuições da teoria marxista da dependência. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

MOURA, Clovis. O Estado no centro da mundialização: a sociedade civil e o tema do poder. São Paulo: Outras Expressões, 2014.

MOURA, Clovis. Explotación redoblada y actualidad de la revolución: refundación societal, rearticulación popular y nuevo autoritarismo. México, DF: Editorial Itaca: UAM Xomichilco, 2009.

MOURA, Clovis. Teoría marxista de la dependencia. Historia, fundamentos, debates y contribuciones. México, DF: Universidad Autónoma Metropolitana e Editorial Itaca, 2016.

MOURA, Clovis. Sistema mundial, intercâmbio desigual y renta de la tierra. México, DF: Universidad Autónoma Metropolitana e Editorial Itaca, 2017.

RIBEIRO, Darcy. O Dilema Latino-americano. Petrópolis: Vozes, 1978.

RIBEIRO, Darcy. As Américas e a civilização. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SARMENTO, Rayza; REIS, Stephanie; MENDONCA, Ricardo Fabrino. As Jornadas de Junho no Brasil e a questão de gênero: as idas e vindas das lutas por justiça. Rev. Bras. Ciênc. Polít. [online], n. 22, p. 93-128, 2017. https://doi.org/10.1590/0103-335220172203

SILVA, Ludovico. A mais-valia ideológica. Florianópolis: Editora Insular, 2013.

WILLIAMS, E. Capitalismo e escravidão. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

ZAVARUCHA, Jorge. Relações civis-militares: o legado autoritário da Constituição Brasileira. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir (org.). O que resta da Ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010. (Coleção Estado de Sítio).

Publicado
2019-12-31
Como Citar
de Paiva, B. A., Carraro, D., & Rocha, M. F. (2019). Conjuntura brasileira no séc. XXI: o nó da nossa solidão. Textos & Contextos (Porto Alegre), 18(2), e36265. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2019.2.36265
Seção
Conjuntura, Pensamento Político e Método