Previdência social, trabalho e pessoa com deficiência

Palavras-chave: Previdência Social, Trabalho, Pessoa com deficiência

Resumo

Este trabalho é produto de nossa tese de doutorado e examina, no contexto contemporâneo de contrarreformas no âmbito da seguridade social brasileira, a aposentadoria do trabalhador com deficiência, a partir dos dados fornecidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social. Pautamos a deficiência como resultado de uma produção social da sociabilidade regida sob a lógica do capital, em um país de capitalismo periférico e dependente, marcado pela superexploração do trabalho que resulta na intensificação dos mecanismos de extração da mais-valia, com políticas sociais, respeitadas as particularidades históricas estruturais, cada vez mais agudizadas pela focalização e seletividade no místico Estado de direito burguês. Verificamos que as taxas que negam são exponencialmente superiores as de concessão do benefício, tão afinadas ao esperado pela burguesia rentista que busca ampliar a mercantilização dos serviço sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alano do Carmo Macedo, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Rio de Janeiro, RJ.

Assistente Social do INSS, lotado na Gerência Executiva Rio de Janeiro – Centro. Doutor em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Gráfica do Senado Federal, 1988.

BRASIL. Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. 4. ed. Brasília: Secretaria de Direitos Hu-manos, 2012. 100p.

BRASIL. Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. Regulamenta o § 1º do art. 201 da Constituição Federal, no tocante à aposentadoria da pessoa com deficiência segurada do Regime Geral de Previdência Social – RGPS. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp142.htm. Acesso em: 03 mar. 2019.

BRASÍLIA (Distrito Federal). Portaria Interministerial AGU/MPS/SEDH/MP nº 01, de 27 de janeiro de 2014. Aprova o instrumento destinado à avaliação do segurado da Previdência Social e à identificação dos graus de deficiência, bem como define impedimento de longo prazo, para os efeitos do Decreto n° 3.048, de 6 de maio de 1999. Brasília, 2014.

CENSO DEMOGRÁFICO 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Caracteristi-cas_Gerais_Religiao_Deficiencia/caracteristicas_reli-giao_deficiencia.pdf. Acesso em: 08 mar. 2019.

DINIZ, Débora. O que é deficiência? São Paulo: Brasi-liense, 2012.

FRANÇA, Thiago Henrique de Pinho Marques. Defici-ência e pobreza no Brasil:a relevância do trabalho das pessoas com deficiência. 2014. 336f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Economia da UC. Uni-versidade de Coimbra, Coimbra, 2014.

FRANZOI, Ana Cristina et al. Etapas da elaboração do Instrumento de Classificação do Grau de Funcio-nalidade de Pessoas com Deficiência para Cidadãos Brasileiros: Índice de Funcionalidade Brasileiro – IF-Br. Revista Acta Fisiátrica, São Paulo, USP, v. 20, n. 3, pp. 164-178, 2019.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no brasil:ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Biblioteca Azul, 2006.

FONSECA, Ricardo Tadeu Marques da. A ONU e o seu conceito revolucionário de pessoa com deficiência. 2008. Disponível em: http://styx.nied.unicamp.br/todosnos/noticias/a-onu-e-o-seu-conceito-revolucionario-de--pessoa-com-deficiencia/. Acesso em: 09 mar. 2019.

HILLESHEIM, Jaime. Conciliação trabalhista: ofensiva sobre os direitos dos trabalhadores na periferia do capitalismo. 2015. 695f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Centro Socioeconômico da UFSC. Universi-dade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

MANDEL, Ernest. Marxismo revolucionário atual. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.MARX, Karl. O capital. 12. ed. Tradução: Reginaldo Sant’Anna. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S. A., 1988. Livro 1. Volume I.

IANNI, Octavio (org.). Política e revolução social no Brasil.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

PRADO JR., Caio. A revolução brasileira: a questão agrá-ria no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

RIBERTO, Marcelo et al. Validação da Versão Brasileira da Medida de Independência Funcional. Revista Acta Fisiátrica, São Paulo, USP, v. 11, n. 2, pp. 72-76, 2004.

SILVA, Maria Lúcia Lopes da. Trabalho e previdência social no Brasil no contexto de crise do capital. O social em questão. Rio de Janeiro, PUC-RJ, n. 34, pp. 137-160, jul./dez. 2015. Disponível em: http://osocialemquestao.ser.puc-rio.br/media/OSQ_34_6_Silva.pdf. Acesso em: 14 mar. 2019.

Publicado
2020-07-30
Como Citar
Macedo, A. do C. (2020). Previdência social, trabalho e pessoa com deficiência. Textos & Contextos (Porto Alegre), 19(1), e34207. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2020.1.34207
Seção
Artigos e Ensaios