A Questão Regional no Neoliberalismo / The Regional Question in Neoliberalismo

  • Rosangela Nair de Carvalho Barbosa
Palavras-chave: Questão Regional, Neoliberalismo, Desenvolvimento Capitalista, Trabalho, Região Neoliberal.

Resumo

O texto aborda parte de pesquisa maior sobre as políticas de desenvolvimento regional nos anos recentes no Brasil, como dimensão da totalidade sistêmica que estabelece novos contornos a relação região/mundo. Esse trecho da pesquisa expõe o quadro interpretativo realizado a partir de fontes bibliográficas, documentos oficiais de governo e indicadores socioeconômicos, evidenciando que a mobilidade do capital e a externalização produtiva nesse estágio do capitalismo reconfiguram as relações de dominação nas regiões, com expansão das fronteiras dos negócios e ampliação da mercantilização da reprodução social, o que aprofunda a degradação do trabalho e a precariedade das condições urbanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosangela Nair de Carvalho Barbosa
Professora do Departamento de Política Social da Faculdade de Serviço Social da UERJ. Pesquisadora do Programa de Estudos de Trabalho e Política, da mesma universidade. Mestre em Sociologia pela UFRJ. Doutora em Serviço Social pela PUC-SP. Pós-doutora em Sociologia do Trabalho pela UFRJ. Bolsista Produtividade CNPq. Bolsista Prociência/UERJ-Faperj.

Referências

Acselrad, H. De "bota fora" e "zonas de sacrifício", um panorama dos conflitos ambientais no estado do Rio de Janeiro. ACSELRAD, H. (org), Conflito ambiental e meio ambiente no estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.

Alentejano, P.R. O conceito de região e a problemática dos assentamentos rurais. Revista NERA, ano I, n. 2, São Paulo: UNESP, 1998.

ALMEIDA, Alfredo Wagner B. de. Capitalismo globalizado e recursos territoriais: fronteiras da acumulação no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.

AMPARO, Paulo P. Os desafios a uma Política Nacional de Desenvolvimento Regional no Brasil. Interações, v.15, n.1. Campo Grande, 2014.

ANTUNES, Ricardo (org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil II. São Paulo: Boitempo, 2013.

BARBOSA, Rosangela N.C. Arranjo produtivo local, política do espaço e flexibilização do trabalho. Revista Serviço Social e Sociedade, n. 125, jan./abr. São Paulo: Cortez, 2016.

_____. A alienação, a crise e os Manuscritos Econômico-Filosóficos: retomada do debate na formação intelectual. Textos & Contextos, v. 13, n. 2, jul/dez. Porto Alegre: PUC-RGS, 2014.

_____. A Regionalização Produtiva e os Desafios da Política no Polo Gasquímico de Duque e Caxias.

RAMALHO, J.R. e FORTES, A. Desenvolvimento, Trabalho e Cidadania. Rio de Janeiro: 7 Letras/UFRJ, 2012.

BENKO, Georges. Economia, espaço e globalização. São Paulo: Hucitec, 1999.

Bourdieu, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

BRAGA, Ruy. A nostalgia do fordismo: modernização e crise na teoria da sociedade salarial. São Paulo: Xamã, 2003.

BRANDÃO, Carlos. Território & desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. São Paulo: Unicamp, 2007.

CARDOZO, Soraia A. Crise da política regional de desenvolvimento e a guerra fiscal. Revista Política e Planejamento Regional, v.1, n.1. Rio de Janeiro: IPPUR/UFRJ, 2014.

CASTILHO, Alceu. 20 grupos estrangeiros têm 3 milhões de ha de terras no Brasil. In De olho nos ruralistas, Observatório do Agronegócio no Brasil. Acesso em 20/01/2017: https://outraspalavras.net/deolhonosruralistas/2017/01/09/20-grupos-estrangeiros-tem-3-milhoes-de-ha-de-terras-no-brasil/).

Chesnais, F. (org.). A finança mundializada. São Paulo: Boitempo, 2005.

Dardot, P. e Laval, C. A nova razão do mundo; ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

EGLER, Cláudio G. Questão regional e gestão do território no Brasil. CASTRO, I. e outros (orgs.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

FONTES, Virginia. O Brasil e o capital imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ, 2010.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo, Nacional, 1976.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

_____. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Pauo: Boitempo, 2011.

Hobsbawm, E. A Era dos Extremos: o breve século XX. Eric. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

IPEA. Desigualdade regional recente: uma nota a partir de dados estaduais. Comunicados do IPEA, n.71. Brasília: IPEA, 2010.

Keller, P.F. Clusters, distritos industriais e cooperação interfirmas: uma revisão da literatura. Revista Economia & Gestão, v. 8, n. 16. Belo Horizonte: PUC-Minas, 2008.

LEFEBVRE, Henri. Espaço e política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

MANDEL, E. Capitalismo tardio. São Paulo: Abril, 1990.

MARICATO, E. Cidades no Brasil: neodesenvolvimentismo ou crescimento periférico predatório. II Lehmann Dialogues. Cambridge: Harvard, 2012.Mmeo.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência. Petrópolis: Vozes, 2000.

MARSHALL, Alfred. Princípios de economia: tratado introdutório. São Paulo: Abril Cultural, 1988.

Martins Junior, A, e Barbosa, M. S. As artimanhas da flexibilização no arranjo produtivo de calçados de Jaú-SP. Políticas & Trabalho. Revista de Ciências Sociais. João Pessoa, UFPB, 2011.

MATTOSO, Jorge. A Desordem do Trabalho. São Paulo:Editora Scritta, 1995.

MÉSZÁROS, István. Para Além do Capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

MOTA, Ana Elizabete. A precarização do trabalho na indústria do vestuário: apontamentos sobre a realidade brasileira e portuguesa. Socius Working Papers, n.04. Lisboa: ISEG/UTL, 2013.

MOUHOUD, E.P. Deslocalização das empresas e vulnerabilidade dos territórios: antecipar os choques da mundialização. Trad. Júlio Marques Mota. Coimbra: UC, 2007. Acesso em 20/01/2017 http://www4.fe.uc.pt/ciclo_int/doc_07_08/3_mouhoud_pt.pdf

OCDE. Relatório Territorial da OCDE: Brasil 2013. Publishing http://dx.doi.org/10.1787/9789264189058-pt

https://doi.org/10.1787/9789264189058-pt

OLIVEIRA, Francisco de. A questão regional: a hegemonia inacabada. Estudos Avançados, 7(18). São Paulo: USP, 1993.

_____. Crítica à razão dualista/ O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

OXFAM. Documento Informativo da OXFAM 2017. OXFAM Internacional, 2017. Acesso em 15 de janeiro de 2017: https://www.oxfam.org.br/sites/default/files/economia_para_99-relatorio_completo.pdf

PARANÁ, Edemilson. A finança digitalizada; capitalismo financeiro e revolução informacional. Florianópolis: Insular, 2016.

Porter, M. Vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

RODRIGUES, Haidée de C.P. Capitalismo atual, reificação e as novas formas dos processos de trabalho: o caso do polo de confecções do agreste em Toritama-PE. Marx e Marxismo 2013: Marx hoje, 130 anos depois. Niterói: UFF, NIEPMarx, 2013.

ROLNIK, Raquel. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Boitempo, 2015.

SALVADOR, Evilásio. Perfil da desigualdade e injustiça tributária; com base nas declarações de renda 2007-2013. Brasília: INESC, 2016.

Schumpeter, J. A Teoria do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

VITALI, S. et ali. The network of global corporate control. 2011. Acesso 15/01/2017: https://arxiv.org/pdf/1107.5728v2.pdf.

Publicado
2018-08-22
Como Citar
Barbosa, R. N. de C. (2018). A Questão Regional no Neoliberalismo / The Regional Question in Neoliberalismo. Textos & Contextos (Porto Alegre), 17(1), 178 - 196. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2018.1.26569
Seção
Neoliberalismo, Desenvolvimento e Gestão Urbana