As representações do MST na comunidade interpretativa dos jornalistas do Grupo RBS

  • Vilso Junior Chierentin Santi PUCRS

Resumo

No presente trabalho aspiramos mapear as representações movimentadas pelos profissionais do Grupo RBS acerca da questão agrária, ao tematizar o MST e suas ações nas páginas do jornal ZH2, relacionadoas ao que qualificamos como “matriz representacional hegemônica3”, historicamente construída para a problemática. Vinculamos a perspectiva utilizada às teorias do Jornalismo, tomando como ponto de partida os trabalhos de Traquina (2005), Lage (2005), Hall (2003), Zelizer (2000), Johnson (1999), Genro Filho (1987) e Tuchman (1978). Buscamos realizar também, um estudo sobre os emissores e os processos produtivos no jornalismo impresso através de uma dupla e/ou híbrida re-visada: pelas lentes dos Estudos Culturais Britânicos4; junto com os estudos do Jornalismo, com destaque para a hipótese do Newsmaking5. Nossa intenção é aproximar diferentes linhas teórico-metodológicas num diálogo fértil que possibilite, quem sabe, inovações conceituais para as pesquisas no campo jornalístico.
Publicado
2009-10-06
Seção
Jornalismo e Representação