Lutando contra o YouTube para se tornar visível para a comunidade: o discurso de um criador de conteúdo sobre trabalho, diversão, controle e recompensa

Palavras-chave: Economia do virtual, Capitalismo cognitivo, YouTube, Criador de Conteúdo, Análise de Conteúdo Temática

Resumo

O presente artigo discute aspectos da economia do virtual e capitalismo cognitivo a partir das noções de trabalho, diversão, controle e recompensa no YouTube. Com o objetivo de identificar se e como esses temas aparecem nos discursos dos creators e do YouTube, procedemos com a análise de conteúdo temática dos vídeos "DELETING MY CHANNEL AT 50 MILLION” publicado por Felix Arvid Ulf Kjellberg em seu canal, PiewDiePie, e o vídeo "Let`s talk about subscription", publicado no canal YouTube Help

Biografia do Autor

Ludimila Santos Matos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, da UFRGS. Mestre em Comunicação - PUC-Rio (2011). Bacharel em Comunicação Social - Jornalismo - UFMA (2008). Pesquisa cibercultura, YouTube, novas tecnologias, produção e estética de produtos audiovisuais. Experiência em desenvolvimento de conteúdo para o ambiente digital. Integrante do Laboratório de Interação Mediada por Computador - LIMC/UFRGS. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. 
Willian Fernandes Araújo, Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC
Possui doutorado em Comunicação e Informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017), mestrado em Processos e Manifestações Culturais na Universidade Feevale e graduação em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Maria. Realizou estágio de doutorado sanduíche no exterior (PSDE/Capes) no Institute Interdisciplinary Internet (IN3) da Universitat Oberta da Catalunya (UOC, Barcelona). Pesquisa a mediação tecnológica em mídias digitais, principalmente nos debates sobre infraestruturas, softwares e algoritmos.

Referências

ARAÚJO, W.F. . As narrativas sobre os algoritmos do Facebook: uma análise dos 10 anos do feed de notícias. 2017. 315 f. Tese de doutorado. Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. — São Paulo: Edições 70, 2016.

BURGESS, Jean; GREEN, Joshua. YouTube e a revolução digital: como o maior fenômeno da cultura participativa está transformando a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

BURRELL, J. How the machine “thinks”: understanding opacity in machine learning algorithms. Big Data & Society, v. 3, n. 1, 2016.

CORSANI, Antonella. Elementos de uma ruptura: a hipótese do capitalismo cognitivo. In: Galvão, A. PP.; Silva, G.; Cocco, G. (orgs.), Capitalismo cognitivo: trabalho, redes e inovação. Rio de Janeiro: DP&A, p. 16-32, 2003.

DELEUZE, G. Conversações: 1972-1990. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

GALLOWAY, Alexander R. Protocol: How control exists after decentralization. MIT press, 2004.

GLADWELL, Malcolm. The tipping point: how little things can make a big difference. Boston: Little, Brown, 2000.

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura da conexão. São Paulo: Aleph, 2014.

KITCHIN, R. Thinking critically about and researching algorithms. Information, Communication & Society, v. 20, n. 1, p. 14–29, jan. 2016.

KITCHIN, R.; DODGE, M. Code/space: software and everyday life. Cambridge, MA: MITPress, 2011.

KJELLBERG, Felix Arvid Ulf. DELETING MY CHANNEL AT 50 MILLION. [Filme-vídeo]. Produção de Felix Arvid Ulf Kjellberg, direção de Felix Arvid Ulf Kjellberg. Califórnia, YouTube, 2016. 10 min. color. son. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=6-_4Uoo_7Y4> Acessado em: 20 de julho de 2017.

KOSNIK, Abigail de. Fandom as free labor. In: Scholz, Trebor (ed.). Digital Labor: The Internet as Playground and Factory. New York: Routledge, 2013. p. 98-111.

KRIPPENDORFF, Klaus. Content analysis: An introduction to its methodology. Sage, 2004.

PRIMO, ALEX . A grande controvérsia: trabalho gratuito na Web 2.0. In: José Carlos Ribeiro; Vitor Brag; Paulo Victor Sousa. (Org.). Performances interacionais e mediações sociotécnicas. Salvador: EDUFBA, 2015, p. 1-15.

___________. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. 2007.

RECUERO, Raquel. Discutindo Análise de Conteúdo como Método: o# DiadaConsciênciaNegra no Twitter. Cadernos de Estudos Lingüísticos, v. 56, n. 2, 2014. Disponível em: < https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8641480> Acessado em: 10 de julho de 2017.

ROSS, Andrew. In search of the lost paycheck. In: Scholz, Trebor (ed.). Digital Labor: The Internet as Playground and Factory. New York: Routledge, 2013. p.13-32.

SCHOLZ, Trebor (Ed.). Digital Labor: The Internet as Playground and Factory. New York: Routledge, 2013.

SHIRKY, Clay. A cultura da participação: criatividade e generosidade no mundo conectado. Zahar, 2011.

SOCIALBLADE. Relatório de dados do canal PiewDiePie. Disponível em: Acessado em: 28 de julho de 2017

___________. Relatório de dados do canal YouTube Movies. Disponível em: Acessado em: 28 de julho de 2017

___________. Relatório de dados do canal YouTube Help. Disponível em: Acessado em: 28 de julho de 2017

TERRANOVA, Tiziana. Free labor: Producing culture for the digital economy. Social text. v. 18, n. 2, p. 33-58, 2000.

YOUTUBE. Aula: Pesquisa e descoberta no YouTube. Escola de Criadores de Conteúdo. 2017. Disponível em: <https://support.google.com/youtube/answer/141805?hl=pt-BR&ref_topic=1115985>. Acesso em: 5 nov. 2017.

__________. Mídia Kit. YouTube para a imprensa, 2017. Disponível em: < https://www.youtube.com/intl/pt-BR/yt/about/press/> Acesso em: 9 nov. 2017.

__________. Let`s talk about subscription. [Filme-vídeo]. Produção de YouTube Help, direção de YouTube. Califórnia, YouTube, 2016. 3 min. color. son. Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=zRAFWF3LJnw> Acessado em: 20 de julho de 2017.

___________. Sobre. 2017. Disponível em: <https://www.youtube.com/intl/pt-BR/yt/about/> Acesso em: 9 nov. 2017.

Publicado
2017-10-17
Seção
Artigos