Tendências do Cinema Brasileiro contemporâneo: modelos de produção e de representação

  • Miriam de Souza Rossini Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Vanesa Kalindra Labre de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Bibiana Nilsson Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Guilherme Fumeo Almeida Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Cinema brasileiro, modelos de produção, coprodução com televisão, coprodução internacional, baixo orçamento.

Resumo

Este artigo aborda três modelos de produção observáveis hoje no cinema brasileiro contemporâneo: de coproduções com a televisão, de coproduções internacionais e de baixo orçamento. Cada modelo de produção é analisado a partir de um exemplo fílmico:  Se eu fosse você 2 (2009, de Daniel Filho), Praia do Futuro (2014, Karim Aïnouz) e Castanha (2013, Davi Pretto). Procura-se, com isso, tensionar o que se entende por cinema brasileiro atualmente, já que a diversidade de modelos de produção leva, também, a uma diversidade estético-narrativa e de estilos de representação. 

Biografia do Autor

Miriam de Souza Rossini, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Doutora em História. Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação e do Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bolsista de Produtividade do CNPq.
Vanesa Kalindra Labre de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS. Bolsista Capes.
Bibiana Nilsson, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS.
Guilherme Fumeo Almeida, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS. Bolsista Capes.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo Cia. Das Letras, 2008.

FEIX, Daniel. Crítica: Filme “Castanha” é um marco do cinema gaúcho. Zero Hora, 20 nov. 2014. Disponível em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2014/11/critica-filme-castanha-e-um-marco-do-cinema-gaucho-4645948.html. Acesso em: 12 jul. 2016.

FILHO, Daniel. O Circo Eletrônico: fazendo TV no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

FRANÇA, Andréa. Imagens de itinerância no cinema brasileiro. In: FRANÇA A.; LOPES, D (orgs). Cinema, Globalização e interculturalidade. Chapecó, Argos, 2010.

MORIN, Edgar. Cultura de Massas no Século XX: neurose. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

NICHOLS, Bill. Introdução ao Documentário. Campinas, SP: Papirus, 2005.

RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal... o que é mesmo documentário? São Paulo: Editora Senac, 2008.

RUY, Karine dos Santos. Para onde vão nossos filmes: um estudo sobre a circulação do blockbuster nacional no mercado de salas. 2011. 180 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação Social, PUCRS, Porto Alegre, 2011.

____________________. Um longa na cabeça e (bem) menos de R$ 1 milhão na conta: estudo sobre a produção e a circulação do cinema de baixo orçamento no Rio Grande do Sul. 2016. 259f. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação Social,

PUCRS, Porto Alegre, 2016.

SANCHEZ, Marco. Coproduções abrem portas para o cinema brasileiro. Deutsche Welle. 13 de julho de 2015. Disponível em <http://www.dw.com/pt/coprodu%C3%A7%C3%B5es-abrem-portas-para-o-cinema-brasileiro/a-18541426> Acessado em 13 de julho de 2016.

_______________. “Castanha” brinca com limites entre documentário e ficção. Deutsche Welle, 07 fev. 2014. Disponível em: http://www.dw.com/pt/castanha-brinca-com-limites-entre-document%C3%A1rio-e-fic%C3%A7%C3%A3o/a-17418176. Acesso em: 12 jul. 2016.

SELIGMAN, Flavia; SANTOS, Araci Koepp dos. A burguesia vai ao paraíso: a representação do Brasil rico na comédia cinematográfica contemporânea. Revista Fronteiras – estudos midiáticos, IX(3): 205-211, Vol. IX Nº 3, pp. 205-211, set/dez 2007.

SILVA, João Guilherme Barone Silva e. Assimetrias, dilemas e axiomas do cinema brasileiro nos anos 2000. Porto Alegre: Revista Famecos, vol. 18, nº3, 2011.

WYATT, Justin. High concept: movies and marketing in Hollywood. Austin: University of Texas Press, 2006.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

Publicado
2016-09-21
Seção
Autor Convidado