Reflexões sobre o Acesso aos Arquivos de telejornais brasileiros

  • Antonio Brasil UFSC
  • Samira Moratti Frazão
Palavras-chave: Telejornalismo, Arquivos de Telejornais, Memória Televisiva,

Resumo

Os telejornais são a principal fonte de informações para a maioria dos brasileiros. Mas esses noticiários também são documentos fundamentais para preservarmos e conhecermos a nossa História recente. Ao contrário dos jornais impressos, os telejornais não são objeto de políticas públicas para sua preservação, catalogação e difusão. Os conteúdos dos telejornais brasileiros se encontram armazenados em arquivos e centros privados de documentação das emissoras de TV brasileiras e o acesso ainda é limitado e restrito. Nesse sentido, o artigo busca referências teóricas nas pesquisas de Michel Foucault sobre a importância dos documentos e arquivos em sua obra Arqueologia do Saber, procurando analisar as rotinas profissionais dos centros de documentação das televisões brasileiras. Também discute situações semelhantes em outros países e indica alternativas para garantir o acesso público aos arquivos.

Biografia do Autor

Antonio Brasil, UFSC
Professor e pesquisador no Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, desde 2010, e membro do Mestrado em Jornalismo. Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com tese sobre “Arquivos digitais para Telejornalismo”; mestre em Antropologia Social pela London School of Economics (LSE) e graduado em Comunicação/Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Trabalhou como jornalista na Rede Globo de TV em Londres, Inglaterra e foi correspondente para a América Latina na agência internacional de notícias World Wide TV News (WTN). Concluiu pesquisas de pós-doutorado em Novas Mídias para Jornalismo na Rutgers, The State University of New Jersey nos EUA em 2007 e Antropologia Social (A construção da imagem do Brasil no exterior pelos correspondentes internacionais) pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2009. Em 2011 assumiu a chefia do Laboratório de Telejornalismo do Departamento de Jornalismo da UFSC e é autor de diversos livros a destacar o Antimanual de Jornalismo e Comunicação pela Editora SENAC SP e Telejornalismo e Guerrilha Tecnológica pela Editora Ciência Moderna do Rio de Janeiro.
Publicado
2013-01-25
Seção
Autor Convidado