Masculinidades negras no espelho

Reflexões sobre os contos “Afrodisíaco” e “Memórias”, de Cristiane Sobral

Palavras-chave: Literatura negra de autoria feminina, Contos, Cristiane Sobral, Masculinidades negras

Resumo

Em tempos recentes, a literatura negra de autoria feminina tem ganhado proeminência social e se mostrado uma referência quando se trata de questionar as estruturas hegemônicas brancas, patriarcais e LGBTQIfóbicas tanto no campo literário, por meio de diferentes temáticas, perspectivas e estilos, quanto na sociedade como um todo. Dentre as diversas questões que ganham evidência nessas escritas está a construção de masculinidades negras. Neste artigo, analisamos dois contos de Cristiane Sobral publicados na obra Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção (2011): “Afrodisíaco” e “Memórias”. Nosso objetivo é verificar de que forma estes contribuem para debates contra-hegemônicos ao desestabilizarem visões estereotipadas sobre corpos masculinos negros, a partir de temas como estigmatização e objetificação, afeto, paternidade  e ancestralidade, além de trazerem uma renovação para o conjunto de produções de contos de autoria feminina no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana de Mesquita Silva, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutora em Letras - Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professora do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), em Petrópolis e no Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Roberta da Silva Calixto dos Santos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Mestra em Relações Étnico-Raciais pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Doutoranda em Letras pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Yago Eloi do Nascimento, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Especialista em Cultura Africana pela Faculdade Campos Elíseos (FCE), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Mestrando em Relações Étnico-Raciais pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil,

Referências

ALMEIDA, Silvio L. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

BERND, Zilá. Introdução à literatura negra. São Paulo: Brasiliense, 1988.

CARVALHES, Flávia Fernandes de; SILVA, Rafael B.; LIMA, Alexandre B. Reflexões sobre discursos a respeito do racismo no Brasil: considerações de uma psicologia social crítica. Revista Psicologia Política, Porto Alegre, v. 20, n. 48, p. 311-324, 2020. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpp/v20n48/v20n48a05.pdf. Acesso em: 4 mar. 2021.

CUNHA, Helena Parente. Além do cânone: vozes femininas cariocas estreantes na poesia dos anos 90. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2004.

CUTI. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

DAMASCENO, Benedita Gouveia. Poesia negra no modernismo brasileiro. Campinas: Pontes Editores, 1988.

FAUSTINO, Deivison Mendes. O pênis sem o falo: algumas reflexões sobre homens negros, masculinidades e racismo. In: BLAY, Eva Alterman (org.). Feminismos e masculinidades: novos caminhos para enfrentar a violência contra a mulher. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014. p. 75-104.

FERREIRA, Vera Lúcia da S. S. Cristiane Sobral. In: Literafro. [S. I.], 2020. Disponível em: www.letras.ufmg.br/literafro/autoras/203-cristiane-sobral. Acesso em: 6 fev. 2021.

SOBRAL, Cristiane. Quem não se afirma não existe. [Entrevista concedida a] Graziele Frederico, Lúcia T. Mollo e Paula Q. Dutra. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, v. 1, n. 51, p. 254-258, ago. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-40182017000200254&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 6 jan. 2021.

HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação. Tradução de Stephanie Borges. São Paulo: Editora Elefante, 2019.

INSTITUTO PROMUNDO. A situação da paternidade no Brasil (2019): Tempo de agir. Rio de Janeiro: Instituto Promundo, 2019. Disponível em: https://issuu.com/fmcsv/docs/a_situa__o_da_paternidade_no_brasil_tempo_de_agi. Acesso em: 15 fev. 2021.

JESUS chorou. Intérprete: Racionais MC’s. Compositor: M. Brown. In: NADA como um dia após outro dia. São Paulo: Casa Nostra/Zambia, 2002. 2 CDs, Faixa 4 (7 min 52 seg.), CD 1.

MALUNGO, Rolf; RIBEIRO, Alan A.; SOUZA, Henrique Restier da Costa. Apresentação: Dossiê Temático Os homens negros no Brasil: questões e perspectivas sobre as relações entre raça e gênero masculino. Revista da ABPN, Goiânia, v. 11, n. 30, p. 4-7, nov. 2019. Disponível em: https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/803/722. Acesso em: 7 mar. 2021.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. 3. ed. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MILLS, Charles W. The Racial Contract. Ithaca and London: Cornell University Press, 1997.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. Prefácio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

NOVA expressão da literatura negra, para Cristiane Sobral escrever é resistir. In: Afropress. 2013. Disponível em: http://www.afropress.com/post.asp?id=14519. Acesso em jan. 2021.

OLIVEIRA, Acauam S. O evangelho marginal dos Racionais MC’s. In: Racionais MC’s: Sobrevivendo no Inferno. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

PROENÇA FILHO, Domício. A trajetória do negro na literatura brasileira. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 50, p. 161-193, 2004.

QUILOMBHOJE (org.). Cadernos Negros 1. São Paulo: Edição dos autores, 1978.

ROSA, Waldemir. Homem Preto do Gueto: um estudo sobre a masculinidade no Rap brasileiro. 2006. 97 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Departamento de Antropologia, UnB, Brasília, 2006.

SILVA, Marcos Fabrício Lopes da. Apresentação. In: SOBRAL, Cristiane. Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção. Brasília: Dulcina, 2011. Livro não paginado.

SOBRAL, Cristiane. Espelhos, miradouros, dialéticas da percepção. Brasília: Dulcina, 2011.

SOBRAL, Cristiane. Entrevista. [Entrevista concedida a] Gláucia do Carmo Xavier. Revista do Instituto de Ciências Humanas, Belo Horizonte, v.13, n.17, p.112-121, jun. 2017. GEALI. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/revistaich/article/view/14755. Acesso em: 6 jan. 2021.

Publicado
2021-11-09
Como Citar
Silva, L. de M., Santos, R. da S. C. dos ., & Nascimento, Y. E. do . (2021). Masculinidades negras no espelho: Reflexões sobre os contos “Afrodisíaco” e “Memórias”, de Cristiane Sobral . Letras De Hoje, 56(2), 329-339. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.2.40152
Seção
O Conto Brasileiro Contemporâneo de Autoria Feminina