A presença do pensamento científico na obra Solar, de Ian McEwan

Palavras-chave: Literatura, Ciência, Concepções científicas, Ian McEwan.

Resumo

O estudo de como personagens originários das ciências naturais são representados na literatura, pode se tornar um caminho para estabelecer conexões entre essas duas áreas do conhecimento, aparentemente tão distintas. Além disso, a literatura também pode passar a refletir não apenas o saber da ciência, mas o do próprio cientista, demonstrando que esses dois campos do saber habitam o mesmo espaço cultural influenciando-se mutuamente. Na obra Solar (2010), do escritor inglês Ian McEwan, esse movimento é perceptível, pois, o protagonista é um ganhador do Prêmio Nobel de Física, logo, um profissional atuante dentro de seu campo de trabalho. Portanto, neste artigo o objetivo é analisar a representação do físico em Solar estabelecendo relações entre a imagem criada pelo autor e concepções filosóficas sobre o pensamento científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margarete Jesusa Hülsendeger, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutora em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. Revisão da tradução de Marina Appenzeller. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BARTHES, Roland. O Rumor da língua. Tradução de Mario Laranjeira. Revisão da tradução de Andréa Stahel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BENTLEY, Eric. A experiência viva do teatro. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

BOURDIEU, Pierre. Pierre Bourdieu: sociologia. Renato Ortiz (org.). Tradução de Paulo Monteiro e Alícia Auzmendi. São Paulo: Ática, 1983.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Tradução de Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras,1996.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. Tradução de Denice Barbara Catani. São Paulo: UNESP, 2004.

CALVINO, Italo. Assunto encerrado: discursos sobre literatura e sociedade. Tradução de Roberta Barni. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

CANDIDO, Antonio et al. A personagem de ficção. 13. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Tradução de Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuleo Fortes Santiago. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

FEYERABEND, Paul. Diálogos sobre o conhecimento. Tradução e notas de Gita K. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2001.

GRANGER, Gilles-Gaston. A ciência e as ciências. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: UNESP, 1994.

HÜLSENDEGER, Margarete J. V. C. A representação do físico na obra Solar, de Ian Mcwen. 2016. 109 p. Dissertação (Mestrado em Teoria da Literatura) – Programa de Pós-Graduação em Letras; Escola de Humanidades – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

ISAACSON, Walter. Einstein: sua vida, seu universo. Tradução de Celso Nogueira et al. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

MCEWAN, Ian. Solar. Tradução de Jorio Dauster. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

NICOLESCU, Basarab. O Manifesto da Transdisciplinaridade. Tradução de Lucia Pereira de Souza. São Paulo: Triom, 2001.

PAMUK, Orhan. O romancista ingênuo e o sentimental. Tradução de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

ROSENFELD, Anatol. Literatura e personagem. In: CANDIDO, Antonio. A personagem de ficção. 13. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014. p. 9-49.

SABATO, Ernesto. Uno y el universo. Buenos Aires: Seix Barral, 2006.

VALÉRY, Paul. Variedades. Tradução de Maria Martins de Siqueira. São Paulo: Iluminuras, 2007.

ZANETIC, João. Física e literatura: construindo uma ponte entre as duas culturas. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, v. 13, p. 55-70, out. 2006. Suplemento.

Publicado
2021-06-11
Como Citar
Hülsendeger, M. J. (2021). A presença do pensamento científico na obra Solar, de Ian McEwan. Letras De Hoje, 56(1), e37101. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.1.37101
Seção
Seção: Temática Livre