Envelhecimento sadio, Comprometimento Cognitivo Leve e doença de Alzheimer: um estudo das estratégias comunicativas na narrativa oral

  • Gislaine Machado Jerônimo Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Porto Alegre – Rio Grande do Sul – Brasil
Palavras-chave: Estratégias comunicativas, Narrativa, Envelhecimento

Resumo

O aumento de casos de Comprometimento Cognitivo Leve (CCL) e de doença de Alzheimer (DA) leva ao questionamento sobre as habilidades cognitivas e linguísticas comprometidas. A literatura, de modo geral, aborda os prejuízos na comunicação destas populações, sendo pouco investigadas as habilidades preservadas. Assim, este estudo objetiva analisar as estratégias comunicativas (ECs) presentes na produção de narrativa oral desses indivíduos, bem como verificar o impacto da variável escolaridade no esempenho da mesma atividade em idosos saudáveis. Participaram do estudo 95 idosos, os quais produziram uma narrativa oral baseada em uma sequência de figuras, The Dog Story (LE BOUEF, 1976). Os resultados mostraram que idosos com CCL e DA fizeram mais uso de ECs do que o grupo controle, ao passo que idosos saudáveis com alta escolaridade utilizaram menos. Portanto, as ECs mostraram-se um apoio à comunicação no CCL e na DA, assim como a escolaridade evidenciou-se um importante marcador de reserva cognitiva no envelhecimento sadio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gislaine Machado Jerônimo, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Porto Alegre – Rio Grande do Sul – Brasil
Graduada em Letras pela FAPA e em Fonoaudiologia pela UFRGS. Mestre e Doutora em Linguística pela PUCRS. Participa do Grupo de Estudos em Neurolinguística e Psicolinguística - GENP/PUCRS.

Referências

ALBERT, Marilyn S. et al. The diagnosis of mild cognitive impairment due to Alzheimer’sdisease: Recomendations from the National Institute on Aging-Alzheimer’s Association workgroups on diagnostic guideline for Alzheimer’s disease. Alzheimer’s & Dementia, v. 7, p. 270-279, 2011.

BRANDÃO, Lenisa. Perfil discursivo de pessoas com Doença de Alzheimer. 2005. 185 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Psicologia, Universidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

BRANDÃO, Lenisa. Produção da linguagem e envelhecimento. In: PARENTE, M.A.M.P. e Col. Cognição e envelhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 133-152.

BRANDÃO, Lenisa et al. Cognition and discourse production in Alzheimer’s disease: using informative prompts. Psychology & Neuroscience, v. 2, n. 2, p. 147-155, 2009.

BRANDÃO, L.; PARENTE, M. A. M. P.; PEÑA-CASANOVA, J. Estratégias comunicativas de pessoas com Alzheimer. Psicologia: reflexão e crítica, v. 23, n. 2, p. 308-316, 2010.

CARDEBAT, Dominique; DEMONET, Jean-François; DOYON, Bernard.Narrative discourse in dementia. In: Brownell, H. H; Yves , Joanette (Ed.). Narrative discourse in neurologically impaired and normal aging adults. San Diego: Singular; 1993. p. 317-22.

CAIXETA, Leonardo; PINTO, Henrique; SOARES, Vânia Lúcia; SOARES, Cândida. In: CAIXETA, Leonardo; TEIXEIRA, Antônio (Org.). Neuropsicologia Geriátrica: neuropsiquiatria cognitive em idosos. Porto Alegre: Artmed, 2014.

De LIRA, Juliana. Análise dos aspectos macrolinguísticos e desenvolvimento de um índice de avaliação do discurso oral em pacientes com doença de Alzheimer. 2014. 138 f. Tese (Doutorado, não publicada) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2014.

DIJKSTRA, Katinka et al.My recaller is on vacation: Discourse analysis of nursing-home residents with dementia. Discourse Processes, v. 33, n. 1, p. 53-76, 2002.

DIJKSTRA, Katinka et al.Conversational coherence: discourse analysis of older adults with and without dementia. Journal of Neurolinguistics, v. 17, p. 263-283, 2004.

DUONG, Anh; TARDIF, Andreanne; SKA, Bernadette. Discourse about discourse: What is it and how does it progress in Alzheimer’s disease? Brain and Cognition, v. 53, p. 177-180, 2003.

DRUMMOND, Cláudia.; COUTINHO, Gabriel.; FONSECA, Rochele et al. Deficits in narrative discourse elicited by visual stimuli are already presented in patients with mild cognitive impairment. Frontiers in Aging Neuroscience, v. 7, p. 1-11, 2015.

FÁVERO, Leonor Lopes; ANDRADA, Maria Lúcia C. V. O.; AQUINO, Zilda G. Oralidade e escrita: perspectivas para o ensino de língua materna. São Paulo: Cortez, 2000.

FICHMAN, Helenice Charchat; OLIVEIRA, Rosinda Martins; FERNANDES, Conceição Santos.Neuropsychological and neurobiological markers of the preclinical stage of Alzheimer’s disease. Psychology & Neuroscience, v. 4, n. 2, p. 245-253, 2011.

FRASER, Kathleen; MELTZER, Jed; RUDZICZ, Frank. Linguistic features identify Alzheimer’s disease in narrative speech. Journal of Alzheimer's Disease, v. 49, n. 2, p. 407-422, 2016.

GOMES, Irênio; TERRA, Newton. Doença de Alzheimer. In: IZQUIERDO, Ivan et al. (Org.). Envelhecimento, memória e doença de Alzheimer. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2015. p. 29-64.

JAKUBOVICZ, Regina; CUPELLO, Regina. Introdução à afasia: elementos para o diagnóstico e terapia. Rio de Janeiro: Revinter, 2005.

JERÔNIMO, Gislaine Machado; HÜBNER, Lilian Cristine. Produção discursiva e comunicação na doença de Alzheimer uma revisão de pesquisas. Revista Neuropsicologia Latinoamericana, v. 6, n 3, p. 4-15, 2014.

JUNCOS-RABADÁN, Onésimo; PEREIRO, Arturo X.; RODRÍGUEZ, María Soledad. Narrative speech in aging: quantity, information content, and cohesion. Brain and Language, v. 95, p. 423-434, 2005.

KOCH, Ingedore. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto, 2008.

LE BOUEF, Christine. Raconte – 55 historiettes en images. Paris: L’Ecole, 1976.

McKHANN, Guy et al. The diagnosis of dementia due to Alzheimer’s disease: Recommendations from the National Institute on Aging-Alzheimer’s Associations workgroups on diagnostic guidelines for Alzheimer’s disease. Alzheimer’s & Dementia, v. 7, p. 263-269, 2011.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE – OMS. Disponível em:<http://sbgg.org.br/oms-divulga-relatorio-sobreenvelhecimento-e-saude/>. Acesso em: 02 jun. 2017.

ORTIZ, Karin Zazo. Terapia nos distúrbios compreensivos. In: ORTIZ, Karin Zazo (Org.). Distúrbios neurológicos adquiridos: linguagem e cognição. São Paulo: Manole, 2010. p. 110-135.

PARENTE, Maria Alice; CAPUANO, Andréa; NESPOULOUS, Jean Luc. Ativação de modelos mentais no recontar de histórias por idosos. Psicologia: reflexão e crítica, v. 12, n. 1, 1999.

SCHWARTZ, Bennett; METCALFE, Janet. Tip-of-the-tongue (TOT) states: retrieval, behavior, and experience. Memory & Cognition, v. 39, p. 737-749, 2011.

TOLEDO, Cíntia Matsuda et al. Analysis of macrolinguistic aspects of narratives from individuals with Alzheimer's disease, mild cognitive impairment, and no cognitive impairment. Alzheimer's & Dementia: Diagnosis, Assessment & Disease Monitoring, 2017.

TOMOEDA, Cheryl; BAYLES, Kathryn. Longitudinal effects of Alzheimer Disease on discourse production. Alzheimer Disease and Associated Disorders, v. 7, n. 4, p. 223-236, 1993.

TUBERO, Ana. Paula. Parafasia: o quiproquó das palavras. In:MORATO, Edwiges. (Org.). A semiologia das afasias: perspectivas

linguísticas. São Paulo: Cortez, 2010. p. 62-101.

WEIRATHER, Randy. Communication strategies to assist comprehension in dementia. Hawal’l Medical Journal, v. 69, p. 72-79, 2010.

YANCHEVA, Maria. Automatic assessment of information content in speech for detection of dementia of the Alzheimer type. 2016. 70 f. Tese (Doutorado) – University of Toronto, Canadá, 2016.

Publicado
2018-06-05
Como Citar
Jerônimo, G. M. (2018). Envelhecimento sadio, Comprometimento Cognitivo Leve e doença de Alzheimer: um estudo das estratégias comunicativas na narrativa oral. Letras De Hoje, 53(1), 177-186. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2018.1.28894
Seção
Linguagem na perspectiva da Psico/Neurolinguística e da Neurociência Cognitiva