Processamento de estruturas coordenadas com elipse no Português Brasileiro

  • Andressa Christine Oliveira da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
  • Aline Alves Fonseca Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
  • Laís Lagreca de Carvalho Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
Palavras-chave: Elipse, sentenças coordenadas, processamento de sentenças, psicolinguística, português brasileiro

Resumo

Este trabalho investiga o processamento de dois tipos de sentenças coordenadas: (1) estrutura coordenada de objeto (nongapping), Alice assou bolos pras amigas e biscoitos pra sua prima; e (2) estrutura coordenada de sujeito (gapping), Alice assou bolos pras amigas e Camila pra sua prima. Conduzimos três testes: um questionário em que os participantes ranqueavam suas preferências de completação da oração principal “Alice assou bolos para as amigas e...”, e dois testes de self-paced reading em que medimos o tempo de reação à leitura do DP que aparece depois da conjunção “e” e do PP que segue o DP e desfaz uma possível ambiguidade. Esta pesquisa foi inspirada pelos trabalhos de Carlson (2001, 2002), que investigou o processamento dessas estruturas no inglês. Os resultados dos três experimentos sugerem que nem sempre a construção mais simples do ponto de vista estrutural (nongapping) é o input mais simples para o parser.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Christine Oliveira da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Juiz de Fora
Aline Alves Fonseca, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
Professora Adjunta do Departamento de Letras da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora
Laís Lagreca de Carvalho, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG,
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Juiz de Fora

Referências

CARLSON, Katy. The Effects of Parallelism and Prosody in the Processing of Gapping Structures. Language and Speech, v. 44, n. 1, p. 1-26, 2001.

CARLSON, Katy. Parallelism and Prosody in the Processing of Ellipsis Sentences. Outstanding Dissertations in Linguistics Series. New York: Routledge, 2002.

CARLSON, Katy. Clefting, Parallelism, and Focus in Ellipsis Sentences. In: FRAZIER, Lyn; GIBSON, Edward (Org.). Explicit and Implicit Prosody in Sentence Processing: Studies in Honor of Janet Dean Fodor. London: Springer, 2015. p. 63-84.

CUETOS, Fernando; MITCHELL, Don. Cross-linguistic differences in parsing: Restrictions on the use of the late closure strategy in Spanish. Cognition, v. 30, p. 73-105, 1988.

FORSTER, Jonathan; FORSTER, Kenneth. DMDX Display Software. Disponível em: <http://www.u.arizona.edu/~kforster/

dmdx/dmdx.htm>. Acesso em 12 de maio de 2017.

FRAZIER, Lyn; FODOR, Janet Dean. The Sausage Machine: A new two-stage parsing model. Cognition, n. 6, p. 1-34, 1978 FRAZIER, Lyn. On comprehending sentences: syntactic parsing strategies. Bloomington: Indiana University Linguistics Club, 1979.

MAIA, Marcus. Linguística experimental: aferindo o curso temporal e a profundidade do processamento. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 21, n. 1, p. 9-42, 2013.

MILHORANCE, Ludmila Pimenta Salles. Resolução de anáfora no contexto do sluicing: O caso do Português Brasileiro. 2014. 99 fl. Dissertação Mestrado em Linguística) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

RAYNER, Keith; CLIFTON JR, Charles. Language processing. In: MEDIN, Douglas (Ed.). Steven’s Handbook of Experimental Psychology: Memory and Cognitive Processes, 3. ed. New York: John Wiley and Sons Inc, 2002. Vol. 2, p. 261-316.

Publicado
2018-06-05
Como Citar
da Silva, A. C. O., Fonseca, A. A., & de Carvalho, L. L. (2018). Processamento de estruturas coordenadas com elipse no Português Brasileiro. Letras De Hoje, 53(1), 130-139. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2018.1.28689
Seção
Linguagem na perspectiva da Psico/Neurolinguística e da Neurociência Cognitiva