Adesão ao tratamento de adolescentes com diabetes mellitus tipo 1

  • Renata Simionato Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Tayla Karolina da Rocha Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Amanda Aires Lombardini Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Karin Viegas Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Gisele Pereira de Carvalho Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • Simone Travi Canabarro Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
Palavras-chave: doenças crônicas, autocuidado, comportamento do adolescente.

Resumo

Introdução: O diabetes mellitus (DM) é uma das mais importantes doenças crônicas da atualidade, acometendo milhões de pessoas em todo mundo. O controle efetivo da doença é indispensável para evitar complicações futuras. Para isso, é necessária uma dieta balanceada, prática de atividade física regular, monitorização da glicemia capilar e insulinoterapia.
Objetivo: Identificar os aspectos determinantes de adesão ao tratamento de adolescentes com DM1, atendidos em um centro de referência em DM do sul do Brasil.
Materiais e Métodos: Estudo transversal, descritivo e analítico, realizado com 45 adolescentes diagnosticados com DM1. A coleta de dados foi realizada em um centro de referência em DM, por meio de um questionário sociodemográfico e aplicação de escalas para a avaliação do autocuidado e adesão ao tratamento. Os dados foram analisados no SPSS® versão 20.0 para Windows. O presente estudo foi aprovado pelos Comitês de Ética e Pesquisa das instituições envolvidas.
Resultados: Prevaleceram meninos entre 10-19 anos, estudantes e de etnia branca. Na análise da hemoglobina glicada, 40 participantes (88,9%) apresentaram valores acima do esperado, 25 (55,5%) tiveram escore para provável adesão ao tratamento e 34 (75,5%) apresentaram déficit moderado de motivação.
Conclusão: Observou discordância entre os valores de hemoglobina glicada e adesão ao tratamento, sendo que os fatores que contribuem para tal referem-se ao esquema terapêutico de múltiplas doses de insulina e à dificuldade que os pacientes possuem quanto a sua aplicação, destacando-se a baixa motivação às recomendações de vida saudável. 

Referências

Leal DT, Fialho FA, Dias IMAV, Nascimento L, Arruada WC. Diabetes na infância e adolescência: o enfrentamento da doença no cotidiano da família. HU Rev. 2009;(35)4:288-95.

Calliari LEP, Monte O. Abordagem do diabetes melito na primeira infância. Arq Bras Endocrinol Metab. 2008;52(2):243-9.

https://doi.org/10.1590/S0004-27302008000200011

Santos JR, Enumo SRF. Adolescentes com diabetes mellitus tipo 1: seu cotidiano e enfrentamento da doença. Psicol Reflex Crít. 2003; 16(2):411-25.

https://doi.org/10.1590/S0102-79722003000200021

Minanni CA, Ferreira AB, Sant’Anna MJC, Coates V. Abordagem integral do adolescente com diabetes. Adolesc Saúde. 2010;7(1): 45-52.

Silverstein J, Klingensmith G, Copeland K, Plotnick L, Kaufman F, Laffel L, Deeb L, Grey M, Anderson B, Holzmeister LA, Clark N; American Diabetes Association. Care of children and adolescents with type 1 Diabetes. Diabetes Care. 2005 Jan;28(1):186-212.

https://doi.org/10.2337/diacare.28.1.186

International Diabetes Federation (IDF). IDF diabetes atlas [Internet]. 8ª ed. 2017 [capturado 2018 Ago 29]. Disponível em:

https://www.idf.org/e-library/epidemiology-research/diabetes-atlas.html

Ben AJ, Neumann CR, Mengue SS. Teste de Morisky-Green e Brief Medication Questionnaire para avaliar adesão a medicamentos. Rev Saúde Pública. 2012;46(2):279-89.

https://doi.org/10.1590/S0034-89102012005000013

Lima LAP, Weffort, VRS, Borges MF. Avaliação da qualidade de vida de crianças com diabetes mellitus tipo 1. Ciênc Cuid Saúde. 2011;10(1):127-33.

Marques RMB, Fornés NS, Stringhini MLF. Fatores socioeconômicos, demográficos, nutricionais e de atividade física no controle glicêmico de adolescentes portadores de diabetes melito tipo 1. Arq Bras Endocrinol Metab. 2011;55(3):194-202.

https://doi.org/10.1590/S0004-27302011000300004

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018 [Internet]. São Paulo: Editora Clannad; 2017 [capturado 2018 Ago 29]. Disponível em:

https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf

Andrade CJN. Influência dos fatores socioeconômicos e afetivoemocionais no controle glicêmico de crianças com diabetes mellitus

tipo 1 [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia. Instituto de Ciências da Saúde; 2013.

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes. Tratamento e acompanhamento do diabetes mellitus. Aspectos clínicos e laboratoriais da hemoglobina glicada. São Paulo: Sociedade Brasileira de Diabetes; 2016.

Istilli PT. Adesão ao agente antidiabético oral de pessoas com Diabetes mellitus: uso do Brief Medication Questionnaire [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2014.

Grant RW, Devita NG, Singer DE, Meigs JB. Polypharmacy and medication adherence in patients with type 2 diabetes. Diabetes Care. 2003;26(5):1408-12.

https://doi.org/10.2337/diacare.26.5.1408

Bezerra DS, Silva AS, Carvalho ALM. Avaliação das características

dos usuários com hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus em uma Unidade de Saúde Pública, no município de Jaboatão dos Guararapes-PE, Brasil. Rev Ciênc Farm Básica Apl. 2009;30(1): 69-73.

Organização Mundial da Saúde. Cuidados inovadores para as condições crônicas: componentes estruturais de ação: relatório mundial. Brasília: OMS; 2003.

Marques MB, Silva MJ, Coutinho JFV, Lopes MVO. Avaliação da competência de idosos diabéticos para o autocuidado. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(2):415-20.

https://doi.org/10.1590/S0080-62342013000200020

Publicado
2018-10-17
Seção
Artigos Originais