O impacto das tecnologias da informação e comunicação no PIB brasileiro: exercícios com o modelo de Paul Romer

  • Renato da Silveira Pazotto PUC São Paulo
  • Maria Cristina Sanches Amorim PUC São Paulo
  • Flávio Morgado PUC São Paulo
Palavras-chave: Desenvolvimento e Tecnologia da Informação e Comunicação. PIB Brasileiro. Paul Romer.

Resumo

O objetivo deste artigo é avaliar o impacto do investimento em TICs no PIB brasileiro. Quanto à metodologia, trata-se de exercício quantitativo com o modelo de Paul Romer, tendo como parâmetro estudo do International Telecommunication Union (ITU), agência das Nações Unidas que produziu o ICT Development Index (IDI), índice de desenvolvimento das tecnologias da informação. O resultado mostra que países com uma grande população, um baixo índice de capacitação e baixo acesso às tecnologias da informação são aqueles que apresentam maior variação percentual do PIB. Dados os ajustes necessários à utilização dos dados disponíveis, os valores absolutos encontrados são menos importantes do que a elaboração da ferramenta.

Biografia do Autor

Renato da Silveira Pazotto, PUC São Paulo
Economista graduado pela PUC-SP, diretor da Cisco Systems
Maria Cristina Sanches Amorim, PUC São Paulo
Economista, professora titular do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Administração da PUC-SP
Flávio Morgado, PUC São Paulo
Professor Doutor do Departamento de Computação da PUC-SP - Área de Administração e Computação e do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Profissões da Saúde da PUC-SP

Referências

BESANKO, David; BRAEUTIGAM, R. Ronald. Microeconomia, uma abordagem completa. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

CASTELLS, Manuel. Sociedade em rede. 8. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004. Vol. 1.

DOWBOR, Ladislau (1998). A reprodução social. Rio de Janeiro: Vozes, 1998. Vol. 2.

FREEMAN, Christopher. Technology, policy, and economic performance: lessons from Japan. [S.l.]: Pinter Publishers, 1987.

HALL, Peter; PRESTON, Pascal. The Carrier Wave: New Infornmation Technology and the Geography of Innovation, 1846-2003. Boston, USA: Unwin Hyman, 1988.

ITU. Measuring The Information Society 2010. Disponível em: <http://www.itu.int/ITU-D/ict/publications/idi/material/2010/MIS_2010_without_annex_4-e.pdf>. Acesso em: 03 jul. 2013.

JONES, Charles I. Introdução à teoria do crescimento econômico. 16. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

OECD. The knowledge-based economy. 1996. Disponível em: <http://www.oecd.org/science/sci-tech/1913021.pdf> . Acesso em: 03 jul. 2013.

ROMER, Paul M. Increasing returns and long-run growth. Journal of political economy, v. 94, p. 1002-1037, Oct. 1986.

VAHDAT, Henry. Universidade Corporativa: um instrumento à serviço da competitividade. Dissertação (Mestrado), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2008.

WEBSTER, FRANK. Theories of the information society, 3rd ed. New York: Routledge, 2006.

WORLD BANK. Dados dos Países Renda Nacional Bruta ajustada para a paridade de poder de compra. 2012. Disponível em: <http://databank.worldbank.org/data/home.aspx>. Acesso em: 03 jul. 2013.

Publicado
2015-07-16
Seção
Artigos