Tecnodiversidade, de Yuk Hui

Palavras-chave: Tecnodiversidade, Tecnologia, Arte, Filosofia

Resumo

A presente resenha tem como objetivo apresentar o novo livro de Yuk Hui, Tecnodiversidade. Nessa obra, o filósofo da tecnologia defende o desenvolvimento de um novo pensamento reflexivo, em torno da tecnologia a partir da localidade. A tecnodiversidade é pensada como o caminho para a construção de uma nova era, que daria fim à globalização unilateral e ao avanço tecnológico dependente do europeu, consequências do paradigma iluminista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Berghahn Santana, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Graduanda em Artes Visuais – Bacharelado, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, RS, Brasil. Atua como bolsista de Iniciação Científica (BIC-UFRGS) na pesquisa “Produção e Veiculação da Arte na Internet: Plataforma Verter” desde 2020.

Marthina Borghetti Rosa da Silveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Graduanda em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Trabalha com Ensino de Arte e ilustração. Suas pesquisas giram em torno das relações entre arte e sociedade na contemporaneidade.

Referências

Hui, Yuk. 2020. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu Editora.

Publicado
2021-08-06
Como Citar
Santana, G. B., & da Silveira, M. B. R. (2021). Tecnodiversidade, de Yuk Hui. Conversas & Controvérsias, 8(1), e41182. https://doi.org/10.15448/2178-5694.2021.1.41182
Seção
Resenha