A condição estatística da violência policial em Campinas contra jovens acusados de atos infracionais

Palavras-chave: Segurança pública, Juventude, Polícias, Direitos humanos, Violência.

Resumo

O principal propósito desta pesquisa é analisar como acontece o uso da violência física por agentes de segurança estatal na abordagem e apreensão de adolescentes acusados de práticas infracionais.  Para tal, a análise se direcionou para a relação entre juventude(s) e os agentes de segurança pública estatais, mais especificamente, as polícias. Para a análise da violência na relação juventude-polícia na região de Campinas, examinamos dados e procedimentos administrativos de apuração de violência contra adolescentes por agentes de segurança pública, conduzidos e concedidos para esta pesquisa pela Promotoria de Justiça Cível de Campinas, do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina de Oliveira Ribeiro, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo, SP, Brasil. Bolsista (Pibic/CNPq) no projeto “Violência Policial e Juventude em Campinas: processos de deslegitimação do jovem como sujeito de direitos”.

Luana Barbosa da Silva, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo

Mestranda na Ciência Política na Universidade de Campinas (Unicamp), em São Paulo, SP. Bolsista (Pibic/CNPq) no projeto “Como a seletividade racial gerada pela polícia contra menores infratores gera desigualdade em suas abordagens e apreensões?

Referências

Andrade, Francisco, Rayane Andrade. 2014. “Raça, Crime e Justiça”. Em Crime, Polícia e Justiça no Brasil, organizado por Renato Sérgio de Lima, José Luiz Ratton e Rodrigo Ghiringhelli, n. 1, 213-2019. São Paulo: Editora Contexto.

Alvarez, Marcos, Ana Lúcia Schritzmeyer, Fernando Salla, Liana de Paula, Mônica Braga. 2009. “Adolescentes em conflito com a lei: pastas e prontuários do ‘Complexo do Tatuapé’ (São Paulo/SP, 1990-2006)”. Revista Brasileira de Adolescência e Conflitualidade 1, n. 1: xi-xxxii. https://nev.prp.usp.br/wp-content/uploads/2015/01/down232.pdf

Carmo, Milena. 2017. “Margem Adentro: políticas sociais e resistências na zona sul de São Paulo”. Doutorado, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-08022017110349/publico/2017_MilenaMateuziCarmo_VCorr.pdf

Domenici, Thiago, Iuri Barcelos. 2019. “Negros são mais condenados por tráfico e com menos drogas em São Paulo”. São Paulo: Pública. Acessado Agosto 05, 2019. https://apublica.org/2019/05/negros-sao-mais-condenados-por-trafico-e-com-menos-drogas-em-sao-paulo/.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 2017. 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública. https://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2017/12/ANUARIO_11_2017.pdf

Fundação FEAC. 2017. Diagnóstico Socioterritorial: edição 2017. Campinas, SP: Fundação FEAC. https://www.feac.org.br/wp-content/uploads/2018/07/Diagn%C3%B3stico-Socioterritorial-13_07_18.pdf

Flauzina, Ana Luiza. 2006. “Corpo Negro Caído No Chão: O Sistema Penal e o Projeto Genocida do Estado Brasileiro”. Dissertação, Faculdade de Direito, Universidade de Brasília. https://repositorio.unb.br/handle/10482/5117

Paula, Liana de. 2015. “Da ‘questão do menor’ à garantia de direitos”. Civitas 15, n. 1 (Janeiro): 27-43. https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/download/16937/pdf_13/ https://doi.org/10.15448/1984-7289.2015.1.16937

Pimenta, Melissa. 2014. “Juventude e Violência”. In Crime, Polícia e Justiça no Brasil, organizado por Renato Sérgio de Lima, José Luiz Ratton e Rodrigo Ghiringhelli, n. 1, 220-229. São Paulo: Editora Contexto.

Schlittler, Maria Carolina. 2016. “Matar muito, prender mal’: a produção da desigualdade racial como efeito do policiamento ostensivo militarizado em SP”. Doutorado, Universidade Federal de São Carlos. http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/SCAR_fa6a6ddadd5a373b24454a1087aff501

Secretária Geral da Presidência da República (Brasil). Mapa do Encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília: Secretária Geral da Presidência da República; PNUD.

Sinhoretto, Jacqueline, Renato Lima. 2015. “Narrativa autoritária e pressões democráticas na segurança pública e no controle do crime”. Revista Contemporânea 4, n.1 (janeiro), 119-141. https://gvpesquisa.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/arquivos/sergio_lima_-_narrativa_autoritaria_-_299-696-1-sm.pdf

Sinhoretto, Jacqueline et al. 2016. “Juventude e violência policial no Município de São Paulo”. Revista Brasileira Segurança Pública v.10, n.1(fev): 10-35. http://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/download/590/226

Sposato, Karyna, Maria Auxiliadora Minahim. 2011. “A internação de adolescentes pela lente dos tribunais”. Revista Direito GV 7, n. 1: 211- 298. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1808-24322011000100014&script=sci_abstract&tlng=pt https://doi.org/10.1590/S1808-24322011000100014

Vianna, Adriana.1999. O mal que se adivinha: polícia e menoridade no Rio de Janeiro, 1910-1920. n. 1. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional.

Publicado
2020-08-20
Como Citar
Ribeiro, M. de O., & Silva, L. B. da. (2020). A condição estatística da violência policial em Campinas contra jovens acusados de atos infracionais. Conversas & Controvérsias, 7(1), e35636. https://doi.org/10.15448/2178-5694.2020.1.35636
Seção
Dossiê - Juventudes, participação e políticas públicas