Likes, memes e militância: ciberativismo na internet brasileira

Palavras-chave: ciberativismo, ciberacontecimento, internet, agência

Resumo

O presente artigo tem por objetivo investigar a influência do processo de revolução comunicacional provocado pela Internet na esfera política, focando no conceito de “ciberativismo”. Busca-se evidenciar as características particulares do ativismo praticado no ciberespaço. Para isso, são de interesse as motivações individuais para a ação política no ciberespaço, nos utilizando da noção de agência enquanto capacidade de ação mediada por uma situação social, que pode ser classificada de acordo com um continuum de intencionalidade representando os graus diferentes de consciência que existem em diferentes tipos de agência. Outro eixo de análise é a hipótese de que os “materiais não-humanos” são actantes, exercendo agência sobre os atores humanos no ciberespaço. Estas análises serão produzidas por meio de observação e tipificação de diferentes práticas que podem ser consideradas ciberativistas, tendo como foco principalmente grupos da rede social Facebook, a rede social de microblogging, Twitter, o aplicativo de mensagens WhatsApp, entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Nolasco, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS

Estudante de Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS.

Leonardo Frosi Ávila, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS

Estudante de Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS.

Airton Luiz Jungblut, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS

Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), em Porto Alegre, RS, Brasil. Professor da graduação e do PPG em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS.

Referências

Ahearn, Laura. 2001. “Language and Agency”. Annual Review of Anthropology, n. 30: 109-137. https://doi.org/10.1146/annurev.anthro.30.1.109

Araújo, Willian Fenandes. 2011. “Ciberativismo: levantamento do estado da arte na pesquisa no Brasil”. in Anais do V Simpósio Nacional Da Associação Brasileira De Pesquisadores Em Cibercultura (ABCiber), Florianópolis, SC, Novembro 16 a 18, 1-15. Florianópolis, SC, UFSC.

Barragán, Almudena. 2018. “Cinco ‘fake news’ que beneficiaram a candidatura de Bolsonaro”. El Pais, Outubro, 19, 2018. Acesso julho 15, 2019. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/18/actualidad/1539847547_146583.html

Barros, C. J. 2019. “Com medo de ameaças, Jean Wyllys, do PSOL, desiste de mandato e deixa o Brasil”. Folha de São Paulo, Janeiro, 24, 2019. Acesso Fevereiro 05, 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/01/com-medo-de-ameacas-jean-wyllys-do-psol-desiste-de-mandato-e-deixa-o-brasil.shtmlutm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=twfolha

Bennett, Lance and Alexandra Segerberg. 2012. “The logic of connective Action”. Information, Communication & Society 15(5): 739-768. https://doi.org/10.1080/1369118X.2012.670661

Braga, Renê Morais da Costa. 2018. “A indústria das fake news e o discurso de ódio”. in Direitos políticos, liberdade de expressão e discurso, Viana Rodolfo Viana Pereira, org, volume I, 203-220. Belo Horizonte: Instituto para o Desenvolvimento Democrático.

Cardoso, Isabella dos Santos. 2016. “O riso cruel nas mídias sociais: um estudo dos memes do impeachment de Dilma Rousseff”. Monografia em Jornalismo. UFRJ/ECO, Rio de Janeiro.

Gleicher, Nathaniel. 2018. “Garantindo um ambiente autêntico e seguro”. Facebook, Julho, 25, 2018. Acesso Julho 15, 2019. Disponível em: https://br.newsroom.fb.com/news/2018/07/garantindo-um-ambiente-autentico-e-seguro

Gragnani, Juliana. 2018. “Como planos de celular com Facebook e WhatsApp ilimitados podem potencializar propagação de notícias falsas”. UOL, Abril 16, 2018. Acesso Julho 15, 2019. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/bbc/2018/04/16/como-planos-de-celular-com-facebook-e-whatsapp-ilimitados-podem-potencializar-propagacao-de-noticias-falsas.html.

Haynes, Brad. 2018. “Facebook retira do ar rede ligada ao MBL antes das eleições”. Reuters, Julho 25, 2018. Acesso Julho 15, 2019. Disponível em: https://br.reuters.com/article/domesticNews/idBRKBN1KF1MI-OBRDN?fbclid=IwAR3UvrVm3yoiXdCL9DS5T5dTaTzmc_9ledcEocPcJnwtqhgm7uTB3dX288YJungblut, Airton L. 2011. “Ciberacontecimentos: reflexões etnográficas sobre o extraordinário no mundo on-line”. Civitas – Revista de Ciências Sociais, v. 11: 361-372. https://doi.org/10.15448/19847289.2011.2.9651

Jungblut, Airton L. 2015. “Práticas ciberativistas, agência social e ciberacontecimentos”. Vivência – Revista de Antropologia: 18-21.

Klang, M. and N. Madison. 2016. “The domestication of online activism”. First Monday 21, n. 6: 1-3, June 6, 2016. Acesso June 29, 2019. https://journals.uic.edu/ojs/index.php/fm/article/view/6790

Latour, Bruno. 2008. Reensemblar lo social: una introducción a la teoría del actor-red. Buenos Aires: Manantial.

Lemos, André. 2004. “Ciberativismo”. Acesso Fevereiro 04, 2020. http://www.facom.ufba.br/ci erpesquisa/lemos/ciberativismo.pdf.

Mello, P. C. 2018. “Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp”. Folha de São Paulo, Outubro 18, 2018. Acesso Julho 15, 2019. https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/empresarios-bancamcampanha-contra-o-pt-pelo-whatsapp.shtml.

Melo, Débora. 2018. “Caso MBL: Facebook não remove fake news, e sim contas falsas”. HuffpostBrasil, Julho 27, 2018. Acesso Junho 29, 2020. https://www.huffpostbrasil.com/2018/07/27/facebook-nao-remove-fake-news-mas-exclui-contas-falsas-entenda-a-acao-contra-o-mbl_a_23491062/

Ortellado, Pablo e Márcio Moretto Ribeiro. 2018. “Nota Técnica #2. A difusão dos boatos sobre Marielle Franco: do WhatsApp aos sites de notícias”. Monitor do debate político no meio digital, 2018. Monitor Digital, Abril 20, 2018. Acesso Maio 03, 2018. https://www.monitordigital.org/2018/04/20/nota-tecnica-02/

Ortner, Sherry. 2007. “Poder e Projetos: reflexões sobre a agência”. in Conferências e diálogos. Saberes e práticas Antropológicas, organizado por M. Grossi; C. Eckert; P. Fry, 45-80. Brasília: ABA; Blumenau: Nova Letra.

Padrões da Comunidade, Facebook. s.a. 2020. 21. Notícias Falsas. Acesso Junho 29, 2020. https://www.facebook.com/communitystandards/false_news

Pereira, M. B. 2018. “#EleiçãoSemLulaÉFraude x #MoluscoNaCadeia: Memes no julgamento do Lula e o confronto de enquadramentos por meio do humor.” Monografia, Instituto de Ciência Política (IPOL), Universidade de Brasília (UnB).

Pitombo, J. P. 2018. “MBL é condenado por TRE por publicar notícia falsa sobre Jaques Wagner (PT)”. Folha de São Paulo, Agosto 24, 2018. Acesso Julho 15, 2019. https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/08/mbl-condenado-por-tre-por-publicar-noticia-falsa-sobre-jaques-wagnerpt.shtml.

Ramalho, Renan. 2018. “TSE manda remover da internet vídeos de

Bolsonaro com críticas a material contra homofobia”. G1, Outubro 16, 2018. Acesso Julho 15, 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/noticia/2018/10/16/tse-manda-remover-da-internet-videos-de-bolsonaro-contra-o-kit-gay.ghtml

Rodrigues LR e FJP Pimenta. 2015. “Discussões sobre o conceito de ciberativismo e suas práticas atuais através de uma abordagem pragmaticista”. Anais do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Rio de Janeiro, RJ, Setembro 4 a 7, 2015, 1-12. Rio de Janeiro, Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação.

Sewell, William H., Jr. 1992. “A theory of structure: duality, agency, and transformation”. American Journal of Sociology, 98(1): 1-29. https://doi.org/10.1086/229967

Silveira, Sergio Amadeu. 2009. “Redes cibernéticas e tecnologias do anonimato”. Comunicação & Sociedade, Ano 30, n. 51, jan./jun: 113-134. https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v30n51p113-134

Uhr, Felipe. 2016. “Lanceiros Negros: presente em construção, futuro incerto”. Já, Julho 16, 2016. Acesso Fevereiro 15, 2020. http://www.jornalja.com.br/lanceiros-negros-presente-em-construcao-futuro-incerto/

Publicado
2020-08-20
Como Citar
Nolasco, A., Ávila, L. F., & Jungblut, A. L. (2020). Likes, memes e militância: ciberativismo na internet brasileira. Conversas & Controvérsias, 7(1), e35328. https://doi.org/10.15448/2178-5694.2020.1.35328
Seção
Dossiê - Juventudes, participação e políticas públicas