As casas de Rafael – a subjetivação do “morar” e do “se mudar”

Palavras-chave: Biografia, Moradia, Território, Interpretação

Resumo

Este artigo explora os sentidos atribuídos aos fenômenos do “morar”, “habitar” e do “se mudar” a partir da perspectiva de pesquisa biográfica. Para tanto, afasta-se de conceitos normativos sobre habitação, e observa as experiências de vida de Rafael, um ex-morador de uma das ilhas do Bairro Aquipélago, em Porto Alegre/RS, considerando seu fazer cotidiano e seus processos de ação e interpretação. A abordagem biográfica utilizada foi desenvolvida por Gabriele Rosenthal, e está fundamentada, entre outros, na sociologia interpretativa de Alfred Schütz. A reconstrução da entrevista demonstra que a interpretação sobre a situação de moradia, e sobre os processos de morar e se mudar, se complementam, relacionando experiências intersubjetivas que, a partir da narrativa biográfica de Rafael, envolvem categorias como “família”, “território”, “religião” e “trabalho”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naida Menezes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS.

Graduada e Mestre em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Doutora em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Programa de PósGraduação em Ciências Sociais. 

Priscila Queirolo Susin, Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul, PUCRS.

Psicóloga pela Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul (PUCRS). Mestre em Ciências Sociais
pela PUCRS. Doutora em Ciências Sociais pela PUCRS, pelo Programa de Pós Graduação em Ciências
Sociais.

Referências

ALONSO, José Antônio. Gênese e Institucionalização da Região Metropolitana de Porto Alegre. Porto Alegre, abril de 2008. Textos para Discussão FEE, n.29. Porto Alegre, 2008.

BACHELARD, Gaston. A poética do Espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

BARTOLOME, Leopoldo J.; WET, Chris de; et al. Displacement, Resettlement, Rehabilitation, Reparation and Development. World Commission on Dams. March.2000.

BAUER, Márcio André; CARRION, Rosinha da Silva Machado. Conflitos na gestão social do território: uma análise a partir da organização dos ilhéus em Porto Alegre. Cadernos EBAPE.BR, v. 14, n.3, Rio de Janeiro, jul./set. 2016.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Brasil em Síntese – Porto Alegre/RS. 2018. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/porto-egre/panorama>. Acesso em: 28.ago.2018.

CAVALCANTE, Cinthia Mendonça; JORGE, Maria S. B. Mãe é a que cria: o significado de uma maternidade substituta. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 25, n. 2, abr./jun. 2008.

COELHO, Cláudia Bastos. Melhorias habitacionais em favelas urbanizadas: impasses e perspectivas. Dissertação (Mestrado em Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

DEVOS, Rafael Vitorino. Uma Ilha assombrada na cidade: estudo etnográfico sobre cotidiano e memória coletiva a partir das narrativas de antigos moradores da Ilha grande dos Marinheiros, Porto Alegre. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

FARJADO, Maxwell Pinheiro. Assembleia de deus no brasil: uma igreja que cresce enquanto se fragmenta. Azusa: Revista de Estudos Pentecostais, Joinville, v. 5, n. 2, 2014.

FIGARO-GARCIA, Claudia. O ato de fugir de casa na adolescência: algumas hipóteses a partir de casos atendidos no projeto Caminho de Volta. Revista aSEPHallus de Orientação Lacaniana. Rio de Janeiro, v. 12, n.13, p. 45-59, nov. 2016 a abr. 2017.

FRANTZ, Pedro Saldanha. Carroceiros do delta do Jacuí: um olhar a partir da Lei dos Carroceiros, Porto Alegre/RS. Trabalho de Graduação (Disciplina de GEO01128) – Instituto de Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

GOMES, Aguinaldo José da Silva; RESENDE, Vera da Rocha. O Pai Presente: O Desvelar da Paternidade em Uma Família Contemporânea. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 20 n. 2, p. 119-125, Mai-Ago 2004.

GOVEIA, Larissa. Campos da Fazenda. Ocupação de vazio Urbano em Cachoeirinha. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

HEIDEGGER, Martin. Construir, Habitar, Pensar. Segunda Reunião de Darmastad. Vortäge und Aufsätze, G.Neske, Pfullingen, 1954. Disponível em: <http://www.fau.usp.br/wp-ontent/uploads/2016/12/heidegger_construir_habitar_pensar.pdf>. Acesso em: 02.mai.2018.

KAZTMAN, Rúben. La calidad de las relaciones sociales en las grandes ciudades de América Latina: viejos y nuevos determinantes. Pensamiento Iberoamericano, Madrid, n.1, segunda época, p. 177-205, 2007.

MACHADO da SILVA, Luiz Antonio; LEITE, Márcia Pereira. Violência, crime e polícia: o que os favelados dizem quando falam desses temas? Sociedade e Estado, Brasília, v. 22, n. 3, p. 545-591, set./dez. 2007.

MACHADO da SILVA, Luiz Antonio; “Violência urbana”, segurança pública e favelas - o caso do Rio de Janeiro atual. Caderno CRH, Salvador, v. 23, n. 59, p. 283-300, Maio/Ago. 2010.

MAFRA, Clara. Casa dos homens, casa de Deus. Análise Social, Lisboa, v. XLII, n. 182, p. 145-161, 2007.

MARCELIN, Lois Herns. A linguagem da casa entre os negros no Recôncavo Baiano. Revista Mana, Rio de Janeiro, v.5, n. 2, p. 31-60, 1999.

MARICATO, Ermínia. Metrópole, legislação e desigualdade. Estudos Avançados, São Paulo, IEA USP, v.17, n.48, p.151-166, 2003.

MARTINS, Cristina Maria dos Reis. Caracterização da Região Metropolitana de Porto Alegre. Textos para Discussão FEE, Porto Alegre, n.112, 2013.

MICHELOTO, Antônio Ricardo. Realidade e perspectivas das tradições religiosas na pós-modernidade. Interações – Cultura e Comunidade. Belo Horizonte, v.3, n.3, p. 97-112, 2008.

NORBERG-SCHULZ, Cristian. O fenômeno do Lugar. In: NESBITT, Kate. Uma nova agenda para a arquitetura. São Paulo: Cosac Naif, 2006.

PORTO ALEGRE. Secretaria Municipal de Cultura. Arquipélago: as ilhas de Porto Alegre – Memória dos Bairros. Porto Alegre: EU/Porto Alegre, 1995.

RECA, Inés. Familias nucleares pobres: vulnerabilidades y fortalezas. Santiago de Chile: U.ARCIS, 1996.

RICOEUR, Paul. A hermenêutica Bíblica. São Paulo: Loyola, 2008.

ROSENTHAL, Gabriele. História de vida vivenciada e história de vida narrada. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2017.

ROSENTHAL, Gabriele. Pesquisa Social Interpretativa: Uma Introdução. 5. Ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014.

SALAS, Julián. Tugurización y necesidades de habitabilidad básica, rémoras a la cohesión social en Lationoamérica. Pensamiento Iberoamericano. Cohesión Social en Iberoamérica, Madrid, n. 1, p. 207-230, segunda época, 2003.

SARAVÍ, Gonzalo. Segregación urbana y espacio público: los jóvenes en enclaves de pobreza estructural. Revista de la CEPAL, Santiago del Chile, n.83, p. 33-48, agosto 2004.

SCHENKER, Miriam; MINAYO, Cecília de Souza. A implicação da família no uso abusivode drogas: uma revisão crítica. Ciências e Saúde Coletiva, v.8, n.1, p. 299-306. Rio de Janeiro, 2003.

SCHÜTZ, Alfred. The Phenomenology of the Social World. London: Heinemann Educational Books, 1967.

SILVA, Jacqueline Severo da. Irregularidade fundiária e usucapião especial urbana: ruptura com a tradição jurídica de proteção à propriedade privada? A experiência de Porto Alegre (1989-2004). Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano Regional) –Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

SOUZA, Sueli Ribeiro Mota. Em diálogo com Deus: a construção de “self” entre mulheres pentecostais. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

UNITED NATIONS HUMAN SETTLEMENTS PROGRAMME – UN-HABITAT. Slum Almanac 2015 2016 - Tracking Improvement in the Lives of Slum Dwellers. Nairóbi: UNON, 2016. Disponível em:

<https://unhabitat.org/slum-almanac-2015-2016/>. Acesso em: 02.jun.2018.

VALLADARES, Licia do Prado. A invenção da favela: do mito de origem a favela.com (Locais do Kindle 3245). FGV. Edição do Kindle, 2005.

VILLAÇA, Flávio. São Paulo: segregação urbana e desigualdade. Estudos Avançados, São Paulo, n. 25 (71), 2011.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Menezes, N., & Susin, P. Q. (2019). As casas de Rafael – a subjetivação do “morar” e do “se mudar”. Conversas & Controvérsias, 6(2), e34292. https://doi.org/10.15448/2178-5694.2019.2.34292
Seção
Dossiê - Biografia e sociedade