ASPECTOS DA CAÇA E PERSEGUIÇÃO APLICADA À MASTOFAUNA NA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO IBIRAPUITÃ, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

  • Felipe Bortolotto Peters ULBRA
  • Paulo Ricardo de Oliveira Roth ULBRA
  • Maurício da Silveira Pereira ULBRA
  • Aguinaldo Dildo Piske PUC
  • Alexandre Uarth Christoff ULBRA
Palavras-chave: Mamíferos cinegéticos, unidade de conservação, bioma Pampa, predadores.

Resumo

A caça e a perseguição aplicada a fauna silvestre são atividades ilegais frequentemente praticadas em áreas protegidas e que apresentam números expressivos em se tratando de atividades proibidas. Os registros abordados neste trabalho foram coletados ocasionalmente durante inventário da fauna de vertebrados terrestres, realizado entre janeiro e julho de 2009, na porção sul da Área de Preservação Ambiental do Ibirapuitã. Foi verificado o impacto sobre 10 espécies, envolvidas em 26 registros, motivados pela caça de espécies cinegéticas; Dasypus novemcinctus (n= 4), Dasypus hybridus (n= 4), Euphractus sexcinctus (n= 1), Hydrochoerus hydrochaeris (n= 1), Mazama gouazoubira (n= 2); ou pela perseguição a espécies pragas/predadoras; Ctenomys torquatus (n= 1), Lycalopex gymnocercus (n= 1), Leopardus geoffroyi (n= 2), Conepatus chinga (n= 8), Procyon cancrivorus (n= 2).

Biografia do Autor

Felipe Bortolotto Peters, ULBRA
Departamento de Biologia, Museu de Ciências Naturais, Universidade Luterana do Brasil
Paulo Ricardo de Oliveira Roth, ULBRA
Departamento de Biologia, Museu de Ciências Naturais, Universidade Luterana do Brasil.
Maurício da Silveira Pereira, ULBRA
Departamento de Biologia, Universidade Luterana do Brasil.
Aguinaldo Dildo Piske, PUC
Programa de Pós Graduação – Pontifícia Universidade Católica do Paraná.
Alexandre Uarth Christoff, ULBRA
Departamento de Biologia, Museu de Ciências Naturais, Universidade Luterana do Brasil.
Publicado
2012-04-24
Seção
Artigos