ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DA MATA CILIAR DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO LAJEADO TUNAS, NA REGIÃO DO ALTO URUGUAI, RS

  • Fábio André Facco Jacomassa Universidade do Vale do Rio Dos Sinos
Palavras-chave: Floresta Estacional Decidual, Frederico Westphalen e Caminhamento

Resumo

A Mata Ciliar influência de vários modos os corpos de água, e sua remoção causa prejuízos para o homem e para a natureza. Com o objetivo de conhecer as espécies arbóreas da Mata Ciliar da Bacia hidrográfica do Rio Lajeado Tunas em Frederico Westphalen (27º18’87”S e 53º21’72”W) foi realizado um levantamento de sua vegetação entre agosto de 2002 e junho de 2006 utilizando-se o método do Caminhamento. Foram identificadas 89 espécies arbóreas nativas na mata ciliar distribuídas em 30 famílias. A família mais representativa foi Fabaceae com 15 espécies, seguida de Myrtaceae com 10, Euphorbiaceae e Rutaceae com 7 cada e Sapindaceae com 6. A Bacia, possui 649,63 ha, onde 86,52 ha são APPs. Em 48,45ha dessas APPs, há mata ciliar presente. As atividades agropecuárias associadas ao uso de queimadas e extrativismo florestal são apontadas como as principais causas da fragmentação florestal e degradação dos ecossistemas associados às bacias hidrográficas. Esta lista gera informação sobre quais espécies podem ser usadas para recuperação da mata ciliar da bacia Hidrográfica do Rio Lajeado Tunas, traz informações da mata ciliar do Alto Uruguai além de poder servir de base para trabalhos futuros.

Biografia do Autor

Fábio André Facco Jacomassa, Universidade do Vale do Rio Dos Sinos
Biólogo pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Campus de Frederico Westphalen, RS. Mestrando em Biologia - Diversidade e Manejo de Vida Silvestre, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS
Publicado
2011-02-21
Seção
Artigos