OSMORREGULAÇÃO EM JUVENIS DE PIAVA, Leporinus obtusidens (CHARACIFORMES: ANASTOMIDAE), DURANTE TROCAS DO pH DA ÁGUA

  • Carlos Eduardo Copatti Unicruz
  • Roberta Amaral
Palavras-chave: estresse, aqüicultura, fluxo iônico

Resumo

A piava por ser uma espécie que aproveita bem as fontes de proteína tanto vegetal quanto animal e por apresentar bom desempenho e aceitar dietas artificiais, contribui para um bom desempenho da piscicultura. Para o sucesso da aqüicultura intensiva é importante manter-se a qualidade da água controlando e analisando seus parâmetros físico-químicos, garantindo desta forma um aumento no cultivo de espécies comerciais de água doce, sendo assim o referido estudo tem como objetivo verificar as alterações de fluxo iônico da piava, Leporinus obtusidens, em mudança do pH da água, mantidos em um sistema de circulação fechada. Os juvenis foram expostos a seis tratamentos que envolveram trocas de pH 5,5; 7,5; 9,0, e para cada tratamento foram verificados as variações iônicas em oito exemplares. Para um período de 3 horas de exposição, ocorreram mais perdas de íons do que ganhos, exceto para Na+ em pH 5,5. Para Cl- houve redução de íons em todas as trocas, com diferença significativa apenas da passagem de 5,5 para 9,0 em comparação a 9,0 para 5,5. Valores de perda iônica também foram demonstrados na redução de pH 9,0 para 7,5 para o íon K+, devido ao aumento do estresse. De uma maneira geral, trocas de água envolvendo mudanças de pH geram estresse mesmo por períodos curtos de tempo.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Copatti, Unicruz
Área Ecologia e Fisiologia de peixes
Publicado
2010-05-18
Seção
Artigos