LEVANTAMENTO DE MORTES DE VERTEBRADOS SILVESTRES DEVIDO A ATROPELAMENTO EM UM TRECHO DA ESTRADA DO MAR (RS-389).

  • Aneline Hengemühle
  • Cristina Vargas Cademartori

Resumo

As estradas causam diversos impactos ao meio ambiente, entre os quais a mortalidade de animais devido a atropelamento, que pode causar redução significativa das populações vitimadas. O estudo teve como objetivo realizar um levantamento de mortes de vertebrados silvestres devido a atropelamento em um trecho de 12 km da RS-389 (Estrada do Mar), no município de Osório, RS, Brasil. No período de agosto de 2007 a maio de 2008 foram efetuadas 21 amostragens quinzenais, nas quais o trecho era percorrido a pé, possibilitando a melhor visualização das carcaças. Para a análise dos dados, utilizou-se o teste estatístico não paramétrico Kruskal-Wallis (KW), além da estatística descritiva. Registrou-se o atropelamento de 143 indivíduos, pertencentes a quatro classes, 12 ordens, 20 famílias e 25 espécies. O grupo dos répteis foi o mais vitimado, seguido pelo grupo dos mamíferos. A espécie mais comumente encontrada foi Trachemys dorbigni (Emydidae), seguida por Didelphis albiventris (Didelphidae). Registrou-se, ainda, dois indivíduos mortos de Lontra longicaudis, espécie ameaçada de extinção. Verificou-se que 6 km consecutivos foram responsáveis por 79% dos registros de atropelamento, demonstrando que este trecho da estrada poder ser considerado crítico. O impacto sobre a população de L. longicaudis deve receber especial atenção, por constar como vulnerável na lista de espécies ameaçadas de extinção do estado do Rio Grande do Sul.
Publicado
2009-04-13
Seção
Artigos