Falconiformes e Cathartiformes no litoral norte do Rio Grande do Sul, Brasil: análise de distribuição e abundância

  • Erli Schneider Costa
  • Alexandre Guimarães Só de Castro

Resumo

A avaliação da assembléia de Falconiformes e Cathartiformes foi feita no litoral norte do Rio Grande do Sul, entre o trajeto de Imbé a Torres, em um percurso de 78 km. Foram analisadas as relações existentes entre a distribuição destas aves, as estações do ano e a densidade da população humana no litoral norte do estado do Rio Grande do Sul. Analisando-se a abundância de Falconiformes e Cathartiformes com relação à estação do ano (primavera, verão, outono, inverno) obtiveram-se respectivamente os seguintes resultados: Milvago chimango (16%; 10%; 43%; 31%), Milvago chimachima (0%; 14%; 76%; 10%) e Coragyps atratus (0%; 0%; 100%; 0%). Considerando-se a densidade populacional humana fixa dos quadrantes, observa-se que a densidade de M. chimango apresenta uma relação direta com a mesma em todos os quadrantes, com exceção do Q8. Já M. chimachima e C. atratus apresentam relação inversa: aparecem com maior freqüência e densidade nas áreas em que são registradas as menores densidades populacionais humanas. Estes resultados indicam que estas aves, em especial M. chimachima e C. atratus podem servir como bioindicadores da qualidade ambiental na elaboração de futuros planos de conservação da região litorânea. Palavras-chave: Aves, zona costeira, bioindicadores, qualidade ambiental.
Seção
Artigos