Adição de vitamina a na dieta de pós-larvas de jundiá (Rhamdia quelen)

  • Sandro Quevedo Peil
  • Juvêncio Luis Osorio Fernandes Pouey
  • Paulo Rodinei Soares Lopes
  • Clarice Ribeiro Martins
  • Graciele Timm

Resumo

Com o objetivo de avaliar o efeito da adição de diferentes níveis de vitamina A (vit. A) na dieta de pós-larvas de jundiá (Rhamdia quelen) sobre o desempenho e sobrevivência do jundiá na fase inicial. Foram selecionadas 4800 pós-larvas de jundiá com 0,017g de peso médio no experimento, distribuídos em 16 aquários de 30 litros. Os aquários foram revestidos de papel pardo a exceção da parte frontal para permitir a observação dos animais. Retirou-se a iluminação do local para manter-se o fotoperíodo natural da região das 7 as 19hs. Para dieta foi utilizada uma ração comercial, sendo estabelecidos quatro níveis: controle (sem adição de vit. A); 3000; 9000; 15000 UI Kg-1 RE), com quatro repetições. O delineamento utilizado foi o completamente casualisado, com quatro tratamentos e quatro repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância usando o PROC GLM do aplicativo SAS, procedendo-se análise de regressão. O experimento foi conduzido por um período de 21 dias e ao final, os animais foram pesados, medidos e contados para determinar a sobrevivência. Houve diferença significativa (P<0,05) entre os níveis do tratamento para biomassa, peso médio e comprimento total. Na avaliação do ganho de peso e sobrevivência, os níveis com maior adição vitamínica resultaram em melhor desempenho. De acordo com estes resultados, recomenda-se um acréscimo mínimo de 3995 UI de vit.A kg-1RE nas rações comerciais para a fase inicial do jundiá (Rhamdia quelen). Palavras-chave: pós-larvas, jundiá, vitamina A, dieta, adição.
Seção
Artigos