Desempenho de alevinos de jundiá Rhamdia quelen alimentados com diferentes níveis de energia na dieta

  • Paulo R. S. Lopes
  • Juvêncio L. O. F. Pouey
  • Dariane B. S. Enke
  • Clarice R. Martins
  • Graciele Timm

Resumo

Experimento realizado na Universidade Federal de Pelotas, no Departamento de Zootecnia, Setor de Piscicultura da Faculdade de Agronomia. Uma das principais exigências nutricionais para qualquer espécie animal é a energia, essencial para a manutenção, crescimento e reprodução. Para avaliar a exigência de energia na dieta de alevinos de jundiá Rhamdia quelen (peso = 5g) numa dieta isoprotéica (35% proteína bruta), 4 níveis de energia foram utilizados (2700, 3000, 3300 e 3600 kcal EM kg-1). A fonte energética foi o óleo de arroz. Foram utilizados 160 alevinos, distribuídos em 16 unidades experimentais (aquários com 40 l), utilizando 10 alevinos em cada unidade. O delineamento experimental foi inteiramente casualisado, com quatro tratamentos e quatro repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e análise de regressão. Os resultados indicam que o nível com maior teor de energia na dieta (3600 kcal EM kg-1) demonstrou melhor peso médio final, fator de condição corporal e melhor biomassa (P<0,05). A melhor relação energia/proteína (10,2 kcal g-1) foi encontrada no tratamento com maior inclusão de óleo de arroz na dieta (21%), que diferiu dos demais tratamentos (P<0,05). Palavras-chave: jundiá, dieta, óleo, lipídios, alevinos, proteína.
Seção
Artigos