Investigação empiríca da perda máxima calculada pelo VaR: comparação do VaR Delta-Normal em períodos de crise sistêmica com as perdas ocorridas no IBOVESPA

Bruno Vinícius Ramos Fernandes, Bruno Borges Cardozo, Paulo Roberto Barbosa Lustosa

Resumo


 

Análise e conhecimentos dos riscos são partes fundamentais para qualquer instituição do mercado financeiro. Com a evolução da ciência, novas ferramentas vão sendo disponibilizadas para a mensuração do risco financeiro, dentre as mais utilizadas está o Value-at-Risk (Valor em risco ou VaR). Outro fator de risco que vem ocorrendo com frequência são as crises financeiras, ou sistêmicas, que alteram o comportamento do mercado. Tendo em vista a importância da ferramenta e sua variada metodologia de cálculo, este trabalho propõe verificar se o VaR consegue prever corretamente a perda máxima esperada, e sua relação com períodos em que houve ocorrência de crises sistêmicas. Os cálculos foram realizados para o período de janeiro/1996 a setembro/2009, tomando o Índice BOVESPA como ativo e utilizando o método VaR Delta-Normal. Com base nos resultados obtidos foi possível verificar, em períodos trimestrais e anuais, que o valor em risco não consegue prever corretamente a perda máxima esperada, especialmente em períodos de crise, onde apresentou maior margem de erro, pois a distribuição normal não modela os resultados dos extremos obtidos na amostra real.


Palavras-chave


Risco. Value-at-Risk. Crise financeira. Perda máxima.

Texto completo:

PDF


ISSN-L: 1516-2680
e-ISSN:
1980-6302


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. *Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS