Capital de risco no Brasil: a atuação do fundo de capital semente CRIATEC

Ana Paula Mussi Szabo Cherobim, Andréa Torres Barros Batinga de Mendonça, Sidele Woehl, Thiago Cavalcante Nascimento

Resumo


 

O capital de risco vem se destacando como fonte de financiamento, em especial, para a inovação. Entre os programas criados por órgãos públicos no Brasil para fomentar o desenvolvimento de empresas nos moldes de Capital de Risco, estão o Projeto Inovar e o Fundo CRIATEC. Este último é o objeto de estudo desse trabalho que busca descrever como o fundo de capital semente CRIATEC vem atuando no financiamento a empresas inovadoras de base tecnológica. Para atingir tal objetivo foi feita coleta de dados primários a partir de pesquisa em meio eletrônico com as empresas aportadas pelo Fundo e, dados secundários dos sites das empresas, do CRIATEC, do BNDES e do grupo gestor do Fundo. Observou-se certa concentração de empresas investidas na região Sudeste e algumas divididas nas regiões Nordeste e Sul, além do fato de não haver empresas contempladas no Centro-Oeste. Ainda foi possível observar que as empresas da área de biotecnologia e tecnologia da informação são as de maior atuação em participação no fundo. Em sua maior parte, essas empresas direcionam seus investimentos para pesquisa e desenvolvimento, vistos como prioridade para os gestores.


Palavras-chave


Capital de Risco. Inovação. CRIATEC.

Texto completo:

PDF


ISSN-L: 1516-2680
e-ISSN:
1980-6302


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. *Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS