Percepções de alunos de pós-graduação strict sensu em administração sobre competências gerenciais

André Luís Janzkovski Cardoso

Resumo


Este estudo procura identificar a influencia de variáveis demográficas na percepção sobre competências gerenciais. Trata-se de um trabalho quantitativo, em que os dados foram coletados utilizando-se de questionário eletrônico moldado a partir da revisão do referencial teórico. O estudo foi direcionado a alunos e ex-alunos de pós-graduação strict sensu em administração em uma universidade paranaense. Como principais resultados podese salientar: (1) a existência de diferenças de percepções estatisticamente significativas para a maioria das competências considerando a variável gênero; (2) que a variável idade não apresentou indícios de correlação; e (3) que a experiência profissional demonstrou haver uma correlação negativa apenas com a competência denominada Gestão Inovadora. A contribuição deste artigo está na indicação de que, dentre as variáveis demográficas pesquisadas, a variável gênero é a que= mais se correlaciona com a percepção sobre o constructo competências gerencial, evidenciando a importância de debates sobre questões de gênero nas organizações. A partir deste achado, pode-se iniciar uma reflexão acerca das ferramentas e modelos de competência que têm sido adotados nas organizações, e se tais instrumentos consideram ou não a existência de diferenças de percepções entre homens e mulheres. Estariam tais modelos enviesados em sua construção por não considerem haver diferenças de percepções entre os gêneros? A realização de estudos futuros nesse campo pode permitir a compreensão e a articulação dos diferentes significados dentro do processo de sense-making entre homens e mulheres.


Palavras-chave


Percepção de Competência. Competências Gerenciais. Gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


BOYATZIS, R. E. The competent manager. New York: John Wiley & Sons, 1982.

CARBONE, P. P. Gestão por competências e gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

CARDOSO, A. L. J. Percepções de Gestores sobre Competências Gerenciais em diferentes Contextos: Estabilidade e Mudança Organizacional. REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia (Impresso), v. 2, pp. 147-169, 2009.

CHEETHAM, G.; CHIVERS, G. Towards a holistic model of professional competence. Journal of European Industrial Training, 1996.

______.The reflective (and competent) practitioner: a model of professional competence which seeks to harmonise the reflective practitioner and competence-based approaches. Journal of European Industrial Training, 1998.

DRUCKER, P. O advento da nova organização. In: Harvard Business Review. Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

DUTRA, J. S. (org.) Gestão por competências. São Paulo: Gente, 2001.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2 ed. Porto Alegre. Artmed, 2009.

HAIR, Jr. Análise Multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2006.

HUNT, J. W.; LAING, B. Leadership: the Role of the Exemplar. Business Strategy Review. v. 8, n. 1, 1997.

KLEMP Jr. O. G. Competências de liderança. HSM Management, v. 3, n. 17, 1999.

KOLB, D. A. A gestão e o processo de aprendizagem. In: STARKEY, K. (org.) Como as organizações aprendem – relatos do sucesso das grandes empresas. São Paulo: Futura, pp. 321-341, 1997.

LE BOTERF, G. Competénce et navigation profissionnelle. Paris: Éditions d´Organisatio, 1999.

______. Desenvolvendo a competência dos profissionais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

MARSHALL, J. Researching women and leadership : some comments on challenges and opportunities. International Review of Women and Leadership. v.1, n.1, pp. 1-10, 1995.

McLAGAN, P. A. "Competencies", Training and Development. American Society for Training and Development, v. 51, n. 5, may, pp. 40-47, 1997.

McCLELLAND, D. C. Testing for Competence rather than Intelligence. American Psychologist. v. 28, n. 1, 1973.

McGREGOR, J.; TWEED, D. Facing the challenge of improving managerial competence in small business: The New Zealand experience. 31st European Small Business Seminar. Dublin, Ireland, 2001.

ROBOTHAM, D.; JUBB, R. Competences: measuring the unmeasurable. Management Development Review. Bradford, v.9, n. 5, 1996.

RUAS, R. Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: RUAS, R., ANTONELLO, C. S., BOFF, L. H. (orgs.) Aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre : Bookman,

STOCKDALE, M. S.; CROSBY, F. J. The psychology and management of workplace diversity. Blackwell, 2006.

THOMAS, K. M.; MACK, D. A.; MONTAGLIANI, A. The arguments against diversity: are they valid? In: STOCKDALE, M. S.; CROSBY, F. J. The psychology and management of workplace diversity. Blackwell, pp. 31-

, 2006.

ZARIFIAN, P. Objective Competence. Liasson, Paris, 1999.




ISSN-L: 1516-2680
e-ISSN:
1980-6302


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. *Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS