“Fake news”, pós-verdade e sociedade do capital: o irracionalismo como motor da desinformação jornalística

Rafael Bellan Rodrigues de Souza

Resumo


Investiga-se a constituição histórico-social do fenômeno da pós-verdade e, no âmbito jornalístico, das chamadas “fake news”, analisando-as como decorrentes de processos econômicos, sociais e ideológicos característicos das mutações no sistema metabólico do capital. Assim, busca-se compreender a relação entre as mudanças da ordem econômica e a consolidação e intensificação da pós modernidade, dimensão ideológica e cultural do capitalismo tardio, em sua recente inserção na esfera cotidiana, a pós-verdade. Por meio do debate em torno das categorias lukacsianas de irracionalismo e decadência ideológica, propõe-se uma reflexão sobre os fundamentos ontológicos da desinformação jornalística e, por conseguinte, da perda da realidade objetiva por ela promovida.


Palavras-chave


Jornalismo. “Fake News”. Irracionalismo.o

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BARROCO, Maria Lúcia Silva. Lukács e a crítica do irracionalismo: elementos para uma reflexão sobre a barbárie contemporânea. In: DEL ROIO, Marcos. Gÿorgy Lukács e a emancipação humana. São Paulo: Boitempo, 2013.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Padrões de manipulação no jornalismo brasileiro: fake news e a crítica de Perseu Abramo 30 anos depois. Revista Rumores, São Paulo, n. 23, v. 12, jan/jun. 2018. https://doi.org/10.11606/issn.1982-677x.rum.2018.144229

D’ANCONA, Matthew. Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de Fake News. Barueri: Faro Editorial, 2018. https://doi.org/10.20396/etd.v21i1.8652833

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Editora Boitempo, 2016. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2018.149022

EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

EAGLETON, Terry. Depois da teoria: um olhar sobre os Estudos Culturais e o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

ENZENSBERGER, Hans Magnus. Elementos para uma teoria dos meios de comunicação. São Paulo: Conrad Editora, 2003.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2012.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do Cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. v.1.

HARVEY, David. 17 contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016.

HARVEY, David. A Condição Pós-Moderna. São Paulo: Ed. Loyola,1993.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

HUWS, Ursula. Vida, trabalho e valor no século XXI: desfazendo o nó. Caderno CRH, Salvador, v. 27, n. 70, p. 13-30, jan./abr. 2014. https://doi.org/10.1590/s0103-49792014000100002

JAMESON, Frederic. Pós-Modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 1998. https://doi.org/10.11606/d.8.2013.tde-12022014-113107

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo Editorial, 2013.

LUKÁCS, György. Marx e Engels como historiadores da literatura. São Paulo: Boitempo, 2016.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

PINASSI, Maria Orlanda. Da miséria ideológica à crise do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

PONTES, Felipe. Adelmo Genro Filho e a Teoria do Jornalismo. Florianópolis: Insular, 2015.

RAMONET, Ignácio. A explosão do jornalismo: das mídias de massas à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

RAMONET, Ignácio. Meios de comunicação: um poder a serviço de interesses privado? In: MORAES, Dênis de. Mídia, poder e contrapoder. Da concentração monopólica à democratização da informação. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.

SAFATLE, Vladimir. O circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016. https://doi.org/10.26512/rfmc.v3i1.12501

SCHNEIDER, Marco. A comunicação e o gosto: uma abordagem marxista. Tese. (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação. São Paulo: ECA/USP, 2008. https://doi.org/10.1590/s0100-19652004000200014

SENNET, Richard. A corrosão do caráter. São Paulo: Editora Record, 2009.

SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis. Rio de Janeiro: Vozes, 2006.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WOOD, Ellen. Em defesa da história: o marxismo e a agenda pós-moderna. Revista Crítica Marxista 3, 1996.

ŽIŽEK, Slavoj. Primeiro como tragédia, depois como farsa. São Paulo: Boitempo, 2011. https://doi.org/10.24824/978854441505.4




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2019.3.33105

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Métricas por PLOS ALM. Dados disponíveis somente após 12/2014.


ISSN-L: 1415-0549 | e-ISSN: 1980-3729


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS