A imagem em movimento e os espaços da arte contemporânea: outras formulações do audiovisual

Eduardo Antonio de Jesus

Resumo


O texto reflete sobre as passagens e contaminações históricas e contemporâneas entre arte e cinema ancorando principalmente nas dinâmicas do espaço, mostrando como se efetua uma vertente do audiovisual contemporâneo que se coloca na intercessão entre a tradicional sala escura de exibição, a caixa preta, e os espaços de exposição como museus e galerias, o cubo branco. Construímos um breve contexto histórico, para em seguida nos determos nas dinâmicas do espaço a partir da noção de heterotopia em Foucault para analisar algumas obras exibidas na 32ª Bienal de São Paulo (2016).


Palavras-chave


Cinema. Arte contemporânea. Espaço expositivo.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Aracy. Catálogo da exposição Expo-projeção 1973. Disponível em: http://www.expoprojecao.com.br/_pdf/expo_catalogo_73.pdf. Acesso em: 12 dez. 2017.

FOUCAULT, Michel. Outros Espaços (1967). In: FOUCAULT, Michel. Estética: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MATOS, Diego. Vídeo nas aldeias. In: VOLZ, Jochen e REBOUÇ AS, Julia (org.). 32ª Bienal de São Paulo: Incerteza viva. Catálogo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2017.137327

MOLINA, Camila; HIRSZMAN, Maria. Especial 32ª Bienal – Vivenciar o espaço. Jornal Estado de São Paulo, 6 de setembro de 2016. Disponível em: http://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,especial-32-bienal-vivenciar-o-espaco,10000074268. Acesso em: 22 out. 2016. https://doi.org/10.1590/s0102-88392001000300004

MONTEIRO, Lúcia. Crítica passa 13 horas em instalação sobre o tempo e o cinema. Folha de São Paulo, 20 de setembro de 2016. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/09/1922770-critica-passa-13-horas-em-instalacao-sobre-o-tempo-e-o-cinema-leia-relato.shtml. Acesso em: 22 out. 2016. https://doi.org/10.20509/tem-1980-542x2016v223908

OITICICA, Hélio. Aspiro ao Grande Labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1973.

OITICICA, Hélio. In: AMARAL, Aracy. Catálogo da exposição Expo-projeção 1973. Disponível em: http://www.expoprojecao.com.br/_pdf/expo_catalogo_73.pdf. Acesso em: 12 dez. 2017.

PAÏNI, Dominique. Reflexões sobre o cinema exposto. In: MACIEL, Kátia (org.). Cinema sim: narrativas e reflexões. São Paulo: Itaú Cultural, 2008.

REBOUÇ AS, Julia. A relação entre cinema e artes visuais ou a retomada de um programa de liberdade. In: BRASIL, André; ROCHA, Marília (org.). Teia 2002-2012. Belo Horizonte: Teia, 2002.

VOLZ, Jochen. Jornadas espirais: incerteza viva. In: VOLZ, Jochen; REBOUÇ AS, Julia (org.). 32ª Bienal de São Paulo: Incerteza viva. Catálogo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2017.137327

RAZUK, Alvaro. Arquitetura da 32ª Bienal dialoga com o parque do Ibirapuera. [Blog Internet]. Disponível em: http://bienal.org.br/post.php?i=2357. Acesso em: 12 fev. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2019.3.31437

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Métricas por PLOS ALM. Dados disponíveis somente após 12/2014.


ISSN-L: 1415-0549 | e-ISSN: 1980-3729


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS