Jornal como fonte e/ou objeto da escrita histórica: proposta metodológica aplicada à análise das representações sobre “o político” na “grande imprensa carioca” de 1955 a 1960

Letícia Sabina Wermeier Krilow

Resumo


Este trabalho faz breves considerações metodológicas sobre o uso da imprensa, especialmente do jornal, como fonte e/ou objeto de estudos históricos. Tal proposta se justifica ao se considerar a carência de uma sistematização acerca dos diferentes tipos de precauções que devem ser tomadas ao se utilizar os jornais em distintas pesquisas. Dessa forma, o trabalho está dividido em quatro partes, iniciando com uma abordagem mais descritiva, onde alguns dos principais cuidados metodológicos, de caráter pré-textual, foram sintetizados. Em um segundo momento, tem-se um tratamento mais prático, onde é apresentada uma metodologia que dê conta de atender as demandas do nível pré-textual. Sendo que, essa metodologia foi desenvolvida a partir de um estudo de caso, mais especificamente, para a pesquisa que objetiva analisar as representações sobre “o político”, nas páginas dos jornais Jornal do Brasil, Correio da Manhã, Última Hora e O Globo, no período de 1955 a 1960. Já no terceiro momento, são elencados alguns apontamentos relacionados ao caráter textual da utilização dos periódicos na escrita histórica. Por fim, se encerra o artigo com a exposição de metodologias que dão conta da formação de um corpus documental de análise baseado em textos jornalísticos. Salienta-se que tais metodologias também foram desenvolvidas para o estudo de caso acima referido.


Palavras-chave


Jornais. Proposta metodológica. Escrita histórica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Alzira A.; LATTMAN-WELTMAN, Fernando. A Imprensa em Transição: O Jornalismo Brasileiro nos anos 50. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

AGUIAR, Rafe. Dicionário Jornalístico: entenda todos os jargões. Coisas de Jornalista, 2016.

ALSINA, Miquel R. La construcción de la notícia. Paidós, Barcelona, 1989.

BAHIA, Juarez. Jornal, história e técnica. São Paulo: Ática, 1990.

BARBOSA, Marialva. “Cinquenta anos em cinco”: Consolidando o mito da modernização (1950-1960). In: BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil: 1990-2000. Rio de Janeiro: Maud X, 2007. p. 149-173.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: 70, 2011.

BIRD, ELIZABETH S.; DARDENNE, ROBERT W. Mito, registo e ‘estórias’: explorando as qualidades narrativas das notícias. In: TRAQUINA, Nelson (org.). Jornalismo: Questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993. p. 263-277.

BERGER, Cristha. Toda a notícia que couber, o leitor apreciar e o anunciante aprovar, a gente publica. In: MOUILLIAUD, M (org.) O Jornal: forma e sentido. Brasília: Paralelo 15, 2002. p. 715-726.

BOURDÉ, Guy; MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Mem Martins (Portugal): Publicações Europa-América, 1990.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2015a.

BOURDIEU, Pierre. A produção da crença: contribuições para uma economia dos bens simbólicos. Porto Alegre: Zouk, 2015b.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Lisboa: Perspectiva, 1989.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de Uma Teoria da Prática, Precedido de Três Estudos de Etnologia Cabila. Oeiras: Celta Editora, 2002.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales. 1929-1989. São Paulo: Edit. Univ. Estadual Paulista, 1991.

BURKE, Peter. Uma História Social do Conhecimento: de Gutemberg a Diderot. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CAPELATO, Maria Helena. Imprensa e História do Brasil. São Paulo: Contexto/Edusp, 1988.

CHALABY, J. O Jornalismo como invenção anglo-americana: Comparação entre o desenvolvimento do jornalismo francês e anglo-americano (1830-1920). Media & Jornalismo, [S. l.], n.3, p. 29-50, 2003.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2013.

CHARTIER, R. (org.) Práticas de Leitura. Trad. Cristiane Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

DARNTON, Robert. Jornalismo: toda notícia que couber, a gente publica. In: DARNTON, Robert. O Beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo: Cia das Letras, 1990, p. 41-57.

ECO, Umberto. Lector in fabula. A cooperação interpretativa no texto narrativo. Trad. Attilio Cancian, São Paulo, Perspectiva, 2002.

ELMIR, Cláudio Pereira. As armadilhas do jornal: algumas considerações metodológicas de seu uso para a pesquisa histórica. Cadernos do PPG em História da UFRGS, Porto Alegre, n.13, p. 19-29, dez. 1995.

GOLDENSTEIN, Gisela T. Do Jornalismo Político à Indústria Cultural. São Paulo: Summus, 1987.

JASMIN, Marcelo; FERREZ Jr., João. História dos Conceitos: dois momentos de um Encontro Intelectual. In: JASMIN, Marcelo Gantus; FERES JÚNIOR, J. (org.). História dos conceitos: debates e perspectivas. Rio de Janeiro: Edições Loyoloa; Editora PUC-Rio, 2006. https://doi.org/10.1590/s0102-69092005000100002

KARAWEJCZYK, Mônica. O Jornal como documento histórico: breves considerações. Historiae, Rio Grande, v.1, n.3, p. 131-147, 2010.

KRILOW, Letícia S. W. Cidades de Papel: as representações sobre as favelas na imprensa carioca durante o Segundo Governo Vargas (1951-1954). 2018. 220f. Dissertação (Mestrado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. https://doi.org/10.5327/z2447-211520161600027

KUNCZIK, Michael. A Produção da Notícia. In: Conceitos de jornalismo. São Paulo: Summus, 2003, p. 219-275.

LAURENZA, Ana M. A. Lacerda X Wainer: o Corvo e o Bessarabiano. 2. ed. São Paulo: Ed. SENAC, 1998.

LE GOFF, J.; NORA, P. História: novos problemas, novas abordagens, novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

LUCA, Tania de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 111-153. https://doi.org/10.5327/z2447-211520161600027

MARTINS, Luis Carlos dos Passos. História dos conceitos e conceitos na História: a imprensa como fonte/objeto da História Conceitual do Político. In: DOMINGOS, Charles Sidarta Machado; BATISTELLA, Alessandro; ANGELI, Douglas Souza (org.). Capítulos de História Política: fontes, objetos e abordagens. São Leopoldo: Oikos, 2018. E-book. p. 53-74. https://doi.org/10.33662/ctp.v9i1.10470

MATTELART, Armand. História das teorias da comunicação. 9. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

MOLOTCH, Harvey; LESTER, Marilyn. As notícias como procedimento institucional: acerca do uso estratégico de acontecimentos de rotina, acidentes e escândalos. In: TRAQUINA, Nelson. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

MORAES, Roque. Análise de Conteúdo. Revista Educação. Porto Alegre, ano XXII, n. 37, 1999.

MOUILLIAUD, Maurice (org.) O Jornal: forma e sentido. Brasília: Paralelo 15, 2002.

RANCIÈRE, Jacques. O conceito de anacronismo e a verdade do historiador. Tradução Mônica Costa Netto. In: SALOMON, Marlon (org.). História, verdade e tempo. Chapecó: Argos, 2011. p. 21-50.

REIS, José Carlos. Escola dos Anais. A inovação em História. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Imprensa e História no Rio de Janeiro dos anos 1950. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Clientelismo, corrupção e publicidade: como sobreviviam as empresas jornalísticas no Rio de Janeiro dos anos 1950? Ciberlegenda, Niterói, n. 8, [p. 1-15], 2002. https://doi.org/10.22409/c-legenda.v0i08.26157

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Jornalismo, literatura e política: a modernização da imprensa carioca nos anos 1950. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 31, p. 147-160, 2003.

RIBEIRO, Lavina. Madeira. Imprensa e Espaço Público: A Institucionalização do Jornalismo no Brasil (1808-1964). Rio de Janeiro: E-Papers, 2004. https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v25n41p97-114

RODRIGUES, Adriano Dutra. O acontecimento. In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

SILVA, Rafael Souza. Diagramação: o planejamento visual gráfico na comunicação impressa. São Paulo: Summus, 1985.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: INTERCOM; Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011.

SCHUDSON, Michael. Descobrindo a Notícia: Uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes, 2010.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo I. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2005.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo II. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2008.

TRAQUINA, Nelson. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

WOLF, Mauro. Teoria das comunicações de massa. São Paulo: Martins Fontes, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/21778-3748.2019.1.33745

e-ISSN: 2178-3748

 

Avaliação do Qualis CAPES 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - B3


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

 

 


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS