Formação de professores nas escolas Wenceslau Braz e Técnica Nacional: o ensino de matemática

Arlete de Jesus Brito, Elmha Coelho Moura

Resumo


A industrialização brasileira proporcionou o surgimento de uma rede federal de ensino profissionalizante, que aolongo de sua história assumiu diversas denominações. Essas escolas formavam jovens trabalhadores para inserirem- se no mercado de trabalho industrial. A falta de professores para atuarem nessas escolas conduziu à criação da Escola Normal de Artes e Ofícios Wenceslau Braz e aos Cursos Pedagógicos na Escola Técnica Nacional (ETN). Este artigo discute os cursos de formação de professores realizados pela Escola Normal de Artes e Ofícios e pela Escola Técnica Nacional e aborda alguns elementos do ensino de matemática praticados nessa formação. Para tanto, foramutilizados documentos do arquivo do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ), decretos, Boletins da Comissão Brasileiro-Americana para o Ensino Industrial (CBAI) e literaturas referentes ao tema.


Palavras-chave


Ensino industrial. Formação de professores. Ensino de Matemática.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, M. M. A. Matemáticas Elementares na Escola Normal de Natal: legislação, programas de ensino, material didático (1908-1970). 2016. 224 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2016.

BOLETIM DA CBAI. Rio de Janeiro (DF), v. 4, n. 12, p. 572, maio 1950.

BOLETIM DA CBAI. Rio de Janeiro/DF, v. 5, n. 5, p. 653-655, maio 1951.

BOLETIM DA CBAI. Rio de Janeiro/DF, v. 6, n. 10, p. 912-916, out. 1952.

BRASIL. Decreto de criação da Escola Normal. 1835. BRASIL. Decreto no 7.566. Criação das Escolas de Aprendizes e Artífices. 1909.

BRASIL. Decreto no 4.073. Lei Orgânica do Ensino Industrial. 1942.

BRASIL. Decreto no 8.680. Dispõe sobre os Cursos Pedagógicos de Ensino Industrial e seu funcionamento. 1954.

CARDOSO, T. F. L. A formação docente na Escola de Artes e Ofícios Wenceslau Braz (1917-1934). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 1., 2000, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: SBHE, 2000. p. XX-XX.

CARDOSO, T. F. L. O papel social da Escola Normal de Artes e Ofícios Wenceslau Braz. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 23., 2005, Londrina. Anais [...]. Londrina: ANPUH, 2005. p. 1-7.

CARDOSO, T. F. L. Uma escola normal, uma “escola de trabalho”. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 8, n. 15, p. 59-72, jan./jul. 2013.

CELESTE FO. M. Os conflitos na Escola Normal de Piracicaba na década de 1930. História da Educação (Online), Porto Alegre, v. 20, n. 48, p. 213-233, 2016.

https:// doi.org/10.1590/2236-3459/52821

CEFETRJ. CEFET/RJ seu tempo e sua história: 90 anos de formação profissional. Rio de Janeiro: O Centro 2007. Doado pelo Arquivo Geral do CEFETRJ. Rio de Janeiro/Brasil.

CIAVATTA, M.; SILVEIRA, Z. S. da. Celso Suckow da Fonseca. Recife: Massangana, 2010.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: UNESP, Brasília, DF: Flacso, 2000a.

CUNHA, L. A. O ensino industrial-manufatureiro no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 89-193, 2000.

ESCOLA TÉCNICA NACIONAL (ETN). O Brasil precisa de professores – 1960 (cartaz). Arquivo Geral. Fundo ETN, cx. 61.2.2. Rio de Janeiro: Arquivo do CEFETRJ.

FONSECA, C. S. História do ensino industrial no Brasil. Rio de Janeiro: [s. n.], 1961.

KULESZA, W. A. A institucionalização da Escola Normal no Brasil (1870-1910). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 79 n. 193, p. 63-71, 1998.

MACHADO, L. R. S. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA: Brasília, 26, 27 e 28 de setembro de 2006. Anais [...]. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008.

MENESES FILHO, A.; COSTA, M. A. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: o olhar da legislação (1917-2017). In: COLÓQUIO NACIONAL, 4.; COLÓQUIO INTERNACIONAL, 1., 2017. Local. Anais [...]. Tema: A produção do Conhecimento em Educação Profissional. p. 1-12.

Disponível em: https://ead.ifrn.edu.br/coloquio/anais/2017/trabalhos/eixo3/E3A3.pdf. Acesso em: 13 mar. 2019.

MOURA, E. C. M. O Ensino de Matemática em duas escolas profissionalizantes: Brasil e Portugal, no período de 1942 a 1978. 2016. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Programa de Pós-graduação em Educação Matemática, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2016.

MOURA, E. C. M.; BRITO, A. J. Desenho técnico: uma análise ergológica na formação do técnico brasileiro. In: CONGRESSO IBEROAMERICANO DE EDUCACIÓN MATEMÁTICA, 8., 2017, Madrid. Atas [...]. Madrid, 2017. p. 25-33.

OLIVEIRA, A. S. A formação do professor para a educação profissional: mapeando a produção bibliográfica. 2016. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2016.

OLIVEIRA, M. C. A. Geometria e desenho como matérias do curso normal no período da Primeira República no Brasil. Interfaces Científicas, Aracaju, v. 3, n. 2, p. 43-54, 2015.

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2015v3n2 p43-54

PORTELA, M. S. Escola Normal: o projeto das elites brasileiras para a formação de professores. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2009.

RHEINHEIMER, J. M. Ensinar e aprender Matemática, ressonâncias da Escola Nova: um olhar sobre a formação de professores no Instituto de Educação General Flores da Cunha (1940-1955). 2018. 203 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018.

SOARES F. S. O ensino de matemática na Escola Normal da Corte (1876-1889). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 54, p. 128-143, 2013.

https://doi.org/10.20396/rho. v13i54.8640173

SOUZA, C. O ensino de matemática na Escola Normal de Belém entre 1950-1970: fragmentos de história. 2015.115 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós- Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.

https://doi. org/10.18542/amazrecm.v12i23.2427

SOUZA, F. C. S.; RODRIGUES, I. S. Formação de professores para educação profissional no Brasil: percurso histórico e desafios contemporâneos. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v. 17, n. 2 [72], p. 621-638, abr./jun. 2017. https://doi.org/10.20396/rho.v17i2.8644682

URBANETZ, S. T. Uma ilustre desconhecida: a formação docente para a educação profissional. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 12, n. 37, p. 863-883, set./dez. 2012.

https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.7207

VAITKUNAS, A. D. A industrialização brasileira: da Primeira Guerra Mundial à crise de 1929. 2017. 101 f. Dissertação (Mestrado em História Econômica) – Programa de Pós-Graduação em História Econômica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.33900

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS